Meneguzzi Nenhum comentário

Vereador volta a lamentar retirada do Senai José Gazola da Zona Norte de Caxias, região que é a mais violenta da cidade

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) reafirma importância da qualificação de jovens para superar a violência. Ao mesmo tempo, ele lamenta o fechamento do Senai José Gazola, no bairro São José, que atendia a mais de 400 pessoas desde a década de 1980. Nesse local, tinham oportunidade de realizar cursos profissionalizantes que os preparavam para o mercado de trabalho. Segundo reportagem do Jornal Pioneiro, desta sexta-feira, 27 de setembro, a Zona Norte contabiliza maior número de assassinatos, nos últimos três anos. A maioria das mortes vitimou homens de 18 a 29 anos.

Conforme levantamento, em 2019 foram contabilizados 67 assassinatos, sendo 369 homicídios, 41 confrontos com a polícia, 27 latrocínios e 17 feminicídios. A maioria das vítimas foram mortas a tiro, num total de 362. Os bairros que mais sofrem com a criminalidade estão localizados na Zona Norte e proximidades, entre eles, Santa Fé, Vila Ipê, Reolon e Fátima, totalizando 83 mortes. Primeiro de Maio, Planalto, Euzébio Beltrão de Queiróz, Serrano, Esplanada e Charqueadas contabilizam 82 óbitos.

Desde setembro de 2018, Meneguzzi intermediou reuniões, encontros e levou a necessidade da discussão sobre a manutenção do serviço do Senai José Gazola na Zona Norte à tribuna da Câmara em diversas situações. No início de setembro de 2019, a prefeitura intermediou um termo de cessão de uso daquela área pública entre o Senai e a Brigada Militar, para que o prédio abrigue um batalhão de choque. Na visão do parlamentar, é importante a presença das forças de repressão, mas diante dos índices de violência na cidade e falta de amparo aos jovens, dando a eles todo suporte e capacitação para estarem empregados, é uma lástima a perda daquele espaço, fazendo com que esses adolescentes fiquem propensos a entrar na criminalidade.

Ele volta a reforçar que violência se combate com emprego. Para Meneguzzi, se a cidade não acolher esses jovens, qualificando-os, certamente o crime os acolherá. “Eu vibro com um batalhão de choque aqui, mas preferia humildemente que aquele local fosse utilizado para a área da educação porque é essa a necessidade, a formação profissional. A Zona Norte de Caxias tem uma população de 100 mil habitantes e muitos jovens estão sem emprego e sem formação,” esclareceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *