Estado mantém Caxias e Serra Gaúcha na bandeira vermelha do Coronavírus

dezembro 18, 2020

A atualização preliminar dos índices de propagação do Coronavírus, divulgada nesta sexta-feira (18), manteve a classificação de Caxias do Sul e a Serra Gaúcha, no Modelo de Distanciamento Controlado do governo estadual, como zona de alto risco da pandemia. Com isso, os 49 municípios da região deverão manter as medidas de contenção referentes à bandeira vermelha, no período de 22 a 28 de dezembro.

Nesta rodada, a única região Covid que não apresenta risco alto de contágio é Guaíba, classificada em bandeira laranja (risco epidemiológico médio). Na tarde desta sexta-feira, não há informação de que o Executivo irá recorrer da decisão por meio da Associação dos Municípios da Encosta superior do Nordeste (Amesne). Neste caso, o resultado sairá na tarde de segunda-feira (21), depois da reunião do Gabinete de Crise do governo gaúcho. 

 

*Com informações do governo do Estado

Legislativo inaugura foto de Meneguzzi na galeria dos ex-presidentes

dezembro 17, 2020

O parlamentar presidiu a Câmara de Vereadores em 2018

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB, entrou, na manhã desta quinta-feira (17), para a galeria de ex-presidentes do Legislativo caxiense. O parlamentar presidiu a Câmara em 2018, no segundo ano de mandato. Ele participou de todas as Mesas Diretoras da XVII Legislatura.

O ato ocorreu na Sala de Reuniões da Presidência, e contou com a presença de poucas pessoas devido às restrições referentes à pandemia do coronavírus. Entre elas, a esposa, Margô Segat, irmãos, cunhados, sobrinhos e alguns vereadores e servidores do Legislativo.

Meneguzzi saudou a esposa Margô e a família. “Obrigado por chorarem junto comigo, na derrota, agora, mas por sorrirem e vibrarem comigo nas vitórias. Principalmente, por serem pessoas que me acolhem independentemente da função que eu ocupe”, concluiu.

Depois do descerramento da foto, o atual presidente da Câmara, vereador Ricardo Daneluz/PDT, que havia sido vice-presidente em 2018, agradeceu a Meneguzzi pela contribuição social dele como parlamentar. Os vereadores Felipe Gremelmaier/MDB, Elisandro Fiuza/Republicanos, Renato Oliveira/PCdoB e Gladis Frizzo/MDB também se manifestaram, ressaltando a luta do vereador na área da saúde.

Alberto Meneguzzi foi vice-presidente da Casa, em 2017, no seu primeiro mandato como vereador. Em 2018, foi presidente do Legislativo. Em 2019 e 2020, também fez parte da Mesa Diretora, atuando como 2º secretário nos dois períodos.

Ainda no final da manhã, se reuniu com alguns funcionários da Câmara de Vereadores aos quais fez agradecimentos.

Vereador Meneguzzi pede esclarecimentos sobre renovação de contrato com o InSaúde

dezembro 16, 2020

Executivo não divulgou nenhuma informação sobre o futuro do contrato de gestão da UPA Central

O integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo municipal, vereador Alberto Meneguzzi/PSB, encaminhou, nesta quarta-feira (16), um ofício ao secretário municipal de Saúde, Jorge Olavo Castro. No documento, ele solicita informações sobre a renovação do contrato de gestão compartilhada da UPA Central com o InSaúde, que encerrou no dia 14 de dezembro.

Segundo o parlamentar, os questionamentos se devem à total falta de informações sobre o processo. “Enviei mensagem de WhatsApp ao secretário, mas não recebei nenhuma resposta. Nem sequer à presidência da Comissão, o Executivo deu qualquer satisfação sobre o processo”, justificou.

No mesmo ofício, Meneguzzi pediu informações sobre os valores repassados, este ano, pelos governos Federal e Estadual para as medidas de contenção à pandemia da Covid-19. “eu quero saber quanto o Município recebeu da União e do Estado para investir na prevenção e no tratamento dos pacientes de Coronavírus. Além disso, em que foram gastos estes valores”, salientou.

 

Meneguzzi critica novo projeto que concede honorários de sucumbência aos procuradores do Município

dezembro 10, 2020

Parlamentar se manifestou contra a proposta do repasse da verba já rejeitada pelo Legislativo

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB, se pronunciou, na sessão desta quinta-feira (10), sobre o projeto do Executivo, protocolado esta semana na Câmara de Vereadores, que cria a Advocacia-Geral do Município. A matéria unificar a Procuradoria-Geral e a Controladoria-Geral.


Meneguzzi ressaltou que dois itens do projeto irão onerar os cofres públicos. O primeiro deles é o Art. 26º, que estende as prerrogativas dos procuradores da Prefeitura aos assessores jurídicos da Câmara de Vereadores. O parlamentar lembrou que o plenário da Casa, recentemente, aprovou o projeto de modernização administrativa, a fim de reduzir o custo. ”
É uma ingerência do Executivo no trabalho do Legislativo, criando uma despesa a mais para Câmara, colocando o assessor jurídico no mesmo patamar dos procuradores. Nós aprovamos aqui um projeto extinguindo verba de representação para o chefe de comunicação e para o diretor-geral. Também fizemos uma redução nos auxiliares de bancada. Frente a esta série de reformas, agora o prefeito manda um projeto em que aumenta o custo da Casa”, salientou.

O vereador também criticou o Art. 50º, que regulamenta o pagamento dos chamados “honorários de sucumbência” aos procuradores do Município. A verba é oriunda dos processos ganhos pelo Município, na Justiça, em que os réus pagam um percentual aos advogados. Meneguzzi ressaltou que a matéria protocolada pela gestão anterior, foi rejeitada pelo plenário, no ano passado. “Uma afronta a esta Casa. Trabalhamos durante toda uma legislatura para tentar diminuir o tamanho da Câmara. Não é nada contra o trabalho dos procuradores, que são trabalhadores valorosos, pessoas competentes, têm competência e formação para isso, mas não podemos voltar a discutir sobre os horários sucumbenciais”, ressaltou.

Legislativo vota proposta de Meneguzzi que institui orientação de idosos sobre golpes financeiros

dezembro 9, 2020

A matéria obriga bancos e lotéricas a orientarem os clientes da Terceira Idade

O projeto do vereador Alberto Meneguzzi/PSB, entra na pauta de votação, na sessão desta quinta-feira (10). Segundo o texto, as instituições financeiras, agências bancárias e casas lotéricas ficam obrigadas a alertarem seus clientes, principalmente idosos, sobre golpes financeiros. 

Em alguns casos, as vítimas perdem muito dinheiro, depois de receberem propostas para ganhar mais ou até mesmo ajudar algum familiar ou conhecido. Caem no ‘conto do vigário’ para resgatar um bilhete, que supostamente teria sido premiado pela loteria federal,” conclui.

Ainda de acordo com a proposta, é necessário obrigar os gerentes e funcionários a alertarem os idosos quando realizam saques de valores superiores a R$ 2 mil. Segundo o Procon, os golpes aumentaram com a pandemia e passaram a ser realizados por meio virtual. Em média, pelo menos uma ocorrência diária tem sido registrada no órgão de defesa do consumidor.

Meneguzzi pede fiscalização mais rigorosa à gestão do InSaúde na UPA Central

setembro 24, 2020

Parlamentar relatou denúncias de suposta negligência no atendimento médico e conivência no caso das confraternizações internas

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou na sessão desta quinta-feira (23), sobre denúncias recebidas de funcionários da UPA Central, referentes às confraternizações denunciadas recentemente pela imprensa local, protocolos adotados pela empresa gestora (InSaúde) e procedimentos médicos adotados no serviço de pronto atendimento. Conforme ele, os trabalhadores afirmaram que houve cerca de cinco festas deste tipo entre março e maio deste ano.

Além disso, apresentaram fotos e postagens em redes sociais, que revelam a realização das festinhas internas, inclusive, durante o dia e sem a observação dos protocolos de contenção da Covid-19 e com o conhecimento e participação da direção da UPA. Fato que foi negado pelos gestores, em uma reunião realizada no final de agosto entre a Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo, equipe diretiva da empresa e representantes da Secretaria Municipal de Saúde.

Eu pensei que a UPA fosse 24 horas e que o zelo da direção do InSaúde também fosse 24 horas. Não sabia que, de madrugada, todo mundo pode fazer o que quiser lá dentro. Então, a história de que a direção do InSaúde não sabia das confraternizações é mentira. Aliás, o instituto deveria demitir os dois diretores e a chefia de enfermagem, porque mentiram, fomos coniventes e, inclusive, participaram das confraternizações, assim como fizeram com os funcionários denunciados”, afirmou.

Meneguzzi também relatou denúncias recebidas de trabalhadores da UPA Central, referentes à conduta de médicos. Segundo eles, alguns profissionais costumam tratar os pacientes com negligência, descaso e desumanidade. Além disso, que a direção da empresa não tem um canal de comunicação com os trabalhadores.

Alguns servidores da UPA têm medo de serem demitidos. Eles não conseguem ser ouvidos pela direção do InSaúde. Já houve casos de óbito, segundo eles. Tem médicos que deixam as pessoas esperando por horas, porque estão dormindo. É assim que o médico tem que tratar a população? A Secretaria de Saúde deveria ficar mais atenta ao que ocorre na UPA Central, fiscalizar mais. Serão R$ 24 milhões em um ano pagos pelo Município e o InSaúde continua repetindo os mesmos erros do IGH na UPA Zona Norte”, salientou.

O vereador alertou ainda para o término do contrato do InSaúde com o Município, no dia 30 de outubro. Ele disse que os 200 funcionários estão apreensivos com o futuro da unidade de pronto atendimento e a manutenção dos empregos. “Essa empresa ficou ou não fica? A UCS? Vai ser feito um novo edital? Ou essa empresa que está fazendo um caos de gestão?”, questionou.

Ouça a notícia em podcast

Vereador Alberto Meneguzzi visita UPA Zona Norte

agosto 6, 2020

Parlamentar verificou novo sistema de trabalho no primeiro mês de contrato com a FUCS

O integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo, vereador Alberto Meneguzzi/PSB visitou, na tarde desta quarta-feira (05), UPA Zona Norte. A agenda ocorreu no Dia Nacional da Saúde. O parlamentar foi recebido pelo diretor médico, Walter Praetzel Porto; e as coordenadoras administrativa, Fabiane de Andrade, e de enfermagem, Vilma Ceron. Desde 1º de julho, a unidade é administrada pela Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS). Atualmente, são 202 funcionários trabalhando no pronto atendimento.

Meneguzzi visitou as instalações e conversou com os novos gestores a respeito da administração compartilhada da UPA Zona Norte com a Secretaria Municipal de Saúde. O vereador foi informado de que, por causa da pandemia, o número de atendimentos reduziu em relação aos primeiros meses do ano. Além disso, de que as alas de Psiquiatria e Traumatologia foram transferidas para a UPA Central (antigo Postão). “Lamento o fechamento destas alas. Apesar de diminuir o custo para o Município, me preocupa o fato destes dois tipos de serviços deixarem de ser prestados naquela região da cidade, sendo transferidos para a zona central”, salienta.

Ainda segundo Alberto Meneguzzi, o contrato emergencial com a FUCS, autorizado pelo Legislativo, vem sendo cumprido dentro das metas que foram propostas. “Há um outro ambiente no local. Ao contrário da época do IGH, que eram denúncias a toda hora por descumprimento das leis trabalhistas e protocolos de atendimento, que várias vezes levei ao conhecimento do Ministério Público. A grande maioria dos empregos foram preservados pela FUCS e essa foi uma das minhas reivindicações”, ressalta.

O parlamentar reitera posicionamento contrário à terceirização dos serviços de saúde pública. “No contexto que foi criado pela rescisão de contrato com o IGH, o contrato emergencial com a FUCS foi o mais sensato para manter o atendimento da população. Entretanto, acredito que, durante este período intermediário, o Município estude a municipalização da UPA Zona Norte e também o retorno dos servidores públicos à UPA Central e não renove o contrato com o InSaúde, no final deste ano”, reafirma.

Ouça a notícia em podcast

Caxias do Sul e Serra Gaúcha retornam à bandeira laranja do Coronavírus

agosto 3, 2020

O governo estadual aceitou o recurso impetrado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), em nome dos 49 associados e incluiu Caxias do Sul e região da Serra Gaúcha como zona de médio risco da Covid-19. Com isso, o município deverá seguir as medidas de contenção referentes à bandeira laranja do Coronavírus. A decisão foi anunciada na tarde desta segunda-feira (03), depois da reunião do Gabinete de Crise e a classificação vale até a próxima segunda-feira (10). Houve menos incidência de mortes e hospitalizações, segundo o governo do Estado.

Novas medidas de contenção, referentes à bandeira laranja podem ser implantadas pelo Executivo. Até esta segunda-feira, por exemplo, estava permitida a entrada de uma pessoa por família nos supermercados, distanciamento controlado nos estabelecimentos comerciais considerados como de atividades essenciais e uso obrigatório da máscara nas ruas e para ingressos nos locais autorizados ao atendimento ao público, entre outras.

Meneguzzi critica preço abusivo dos combustíveis e problemas de atendimento nos bancos

julho 28, 2020

Parlamentar lamenta aumento da gasolina e sistema de relacionamento da rede bancária com os clientes

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou, na sessão desta terça-feira (28), sobre assuntos que ele considera pontuais em período de pandemia. Ele começou falando sobre a majoração do preço da gasolina, em Caxias do Sul. Segundo o parlamentar, há muita desculpa para a majoração do preço e falta concorrência. O parlamentar ressaltou que o preço está em cerca de R$ 4,50 e não há muita diferença entre os postos. “Deveria ter uma ação mais específica, inclusive, do Ministério Público. É um absurdo que a gente continue com os mesmos problemas em relação ao preço aqui em Caxias e, nas cidades da região, um preço mais em conta, enquanto a distância das refinarias é quase a mesma. O consumidor é vítima novamente dessa questão”, salientou.

Meneguzzi também lamentou a falta de estrutura dos bancos para o atendimento dos clientes nesta pandemia. Conforme ele, faltam funcionários e eficiência nos protocolos adotados pela rede bancária. O vereador destacou que há muita fila, apesar do agendamento. Problemas que não se justificam devido ao lucro destas instituições. “Os bancos têm um lucro estratosférico e não conseguem organizar um atendimento decente para a população. Parece que um idoso não é bem-vindo numa agência, pois muitos não sabem mexer no aplicativo. Façam um protocolo decente para seus clientes”, ressaltou.

O parlamentar também pediu explicações sobre reclamações de beneficiários da Bolsa Emergencial, do governo federal, cujo saldo teria sumido do aplicativo Caixa Tem. “Além do auxílio emergencial chegar nas mãos de quem não precisa e quando chega para quem precisa, o dinheiro some. Não se sabe se é ação de golpistas e os bancos, às vezes, não dão a devida explicação e as pessoas ficam sem explicação”, enfatizou.

Ainda de acordo com Meneguzzi, o Executivo precisa implementar ações mais efetivas contra o desemprego gerado pelo fechamento de muitas empresas nesta pandemia. O vereador citou ações como a criação da Agência Municipal de Emprego e a reativação da Comissão Tripartite de Emprego. Além disso, pediu melhor atendimento da Sala do Empreendedor. “Algumas pessoas procuram agora orientações, estão ligando e não estão obtendo o retorno. A Secretaria de Desenvolvimento não consegue auxiliar os empreendedores que estão quebrando, até agora não mostrou nada nesse período de crise”, afirmou.

Ouça a notícia em podcast

 

Aplicativo de Meneguzzi registra quase 100% de efetividade no atendimento das demandas

julho 24, 2020

Em menos de três anos, foram mais de 350 demandas e 600 downloads

O aplicativo Acredita Caxias, idealizado pelo vereador Alberto Meneguzzi/PSB recebeu, desde janeiro deste ano, 147 demandas da população de Caxias do Sul. No acumulado de três anos, foram mais de 350 solicitações e 600 downloads do aplicativo, que atingiu a nota máxima de avaliação. Elas foram encaminhadas a diversos órgãos da administração pública e entidades privadas que prestam serviços aos consumidores.

Conforme estatística de acompanhamento das solicitações, realizada pelo gabinete do parlamentar, deste total, ate agora 142 foram atendidas. O percentual de efetividade é de 96%. Apenas cinco delas não foram atendidas na totalidade.

Este ano, entre as demandas mais encaminhadas foram sobre serviços públicos e, mais recentemente, por causa da pandemia, sobre cobranças excessivas nas contas de água e energia elétrica. Das 147 demandas protocoladas até esta sexta-feira (24), foram 55 sobre atendimento de saúde, 30 de educação, 20 contra as cobranças do Samae e 07 reclamando do valor cobrado na conta da RGE. Outras 35 solicitações foram de assuntos diversos, como problemas de pavimentação, iluminação pública, atraso e superlotação no transporte coletivo, entre outras.

O Acredita Caxias também contém um blog do vereador, caracterizando-se como uma forma mais ágil e fácil de o cidadão enviar suas demandas para o gabinete de Meneguzzi. Junto com as solicitações, podem ser enviadas fotos e vídeos sobre as demandas. “É um canal aberto 24 horas por dia para a população denunciar a má prestação de serviços públicos e privados, encaminhar suas demandas e também sugerir ações por parte do governo e do parlamento”, reitera Meneguzzi.

O aplicativo e o blog também servem para dar mais transparência ao trabalho do parlamentar. “Reunimos em uma única plataforma digital, também o acesso às informações sobre o meu mandato, em texto, áudio e vídeo. Recentemente, colocamos no ar a Rádio Acredita, que pode ser acessada pelo aplicativo e pelo blog, contendo música selecionada, notícias da minha atuação parlamentar e prestação de serviços comunitários”, ressaltou.

Para fazer o download do Acredita Caxias basta acessar a loja da Google Play, procurar pelo nome do aplicativo ou acessar o link https://goo.gl/NJGN4o.

Ouça a notícia em podcast