Estado mantém Caxias do Sul e Serra Gaúcha na bandeira laranja do Covid-19

agosto 7, 2020

A atualização preliminar dos índices de propagação do Coronavírus, divulgada no início nesta sexta-feira (07), manteve a classificação de Caxias do Sul e a Serra Gaúcha como zona de médio risco da pandemia. Com isso, pela segunda semana consecutiva, os 49 municípios da região continuarão adotando as medidas de contenção referentes à bandeira laranja, no período 11 a 17 de agosto. Também estão neste grupo, as regiões de Lajeado, Santa Maria, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa e Santa Cruz do Sul.

Já as regiões de Capão da Canoa, Palmeira das Missões, Erechim, Pelotas, Bagé, Uruguaiana, Novo Hamburgo, Porto Alegre, Canoas, Taquara, Passo Fundo e Guaíba foram classificadas como zonas de alto risco. Elas deverão adotar os protocolos referentes à bandeira vermelha.

 

* Com informações do Governo do Estado

Vereador Alberto Meneguzzi visita UPA Zona Norte

agosto 6, 2020

Parlamentar verificou novo sistema de trabalho no primeiro mês de contrato com a FUCS

O integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo, vereador Alberto Meneguzzi/PSB visitou, na tarde desta quarta-feira (05), UPA Zona Norte. A agenda ocorreu no Dia Nacional da Saúde. O parlamentar foi recebido pelo diretor médico, Walter Praetzel Porto; e as coordenadoras administrativa, Fabiane de Andrade, e de enfermagem, Vilma Ceron. Desde 1º de julho, a unidade é administrada pela Fundação Universidade de Caxias do Sul (FUCS). Atualmente, são 202 funcionários trabalhando no pronto atendimento.

Meneguzzi visitou as instalações e conversou com os novos gestores a respeito da administração compartilhada da UPA Zona Norte com a Secretaria Municipal de Saúde. O vereador foi informado de que, por causa da pandemia, o número de atendimentos reduziu em relação aos primeiros meses do ano. Além disso, de que as alas de Psiquiatria e Traumatologia foram transferidas para a UPA Central (antigo Postão). “Lamento o fechamento destas alas. Apesar de diminuir o custo para o Município, me preocupa o fato destes dois tipos de serviços deixarem de ser prestados naquela região da cidade, sendo transferidos para a zona central”, salienta.

Ainda segundo Alberto Meneguzzi, o contrato emergencial com a FUCS, autorizado pelo Legislativo, vem sendo cumprido dentro das metas que foram propostas. “Há um outro ambiente no local. Ao contrário da época do IGH, que eram denúncias a toda hora por descumprimento das leis trabalhistas e protocolos de atendimento, que várias vezes levei ao conhecimento do Ministério Público. A grande maioria dos empregos foram preservados pela FUCS e essa foi uma das minhas reivindicações”, ressalta.

O parlamentar reitera posicionamento contrário à terceirização dos serviços de saúde pública. “No contexto que foi criado pela rescisão de contrato com o IGH, o contrato emergencial com a FUCS foi o mais sensato para manter o atendimento da população. Entretanto, acredito que, durante este período intermediário, o Município estude a municipalização da UPA Zona Norte e também o retorno dos servidores públicos à UPA Central e não renove o contrato com o InSaúde, no final deste ano”, reafirma.

Ouça a notícia em podcast

Caxias do Sul e Serra Gaúcha retornam à bandeira laranja do Coronavírus

agosto 3, 2020

O governo estadual aceitou o recurso impetrado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), em nome dos 49 associados e incluiu Caxias do Sul e região da Serra Gaúcha como zona de médio risco da Covid-19. Com isso, o município deverá seguir as medidas de contenção referentes à bandeira laranja do Coronavírus. A decisão foi anunciada na tarde desta segunda-feira (03), depois da reunião do Gabinete de Crise e a classificação vale até a próxima segunda-feira (10). Houve menos incidência de mortes e hospitalizações, segundo o governo do Estado.

Novas medidas de contenção, referentes à bandeira laranja podem ser implantadas pelo Executivo. Até esta segunda-feira, por exemplo, estava permitida a entrada de uma pessoa por família nos supermercados, distanciamento controlado nos estabelecimentos comerciais considerados como de atividades essenciais e uso obrigatório da máscara nas ruas e para ingressos nos locais autorizados ao atendimento ao público, entre outras.

Meneguzzi critica preço abusivo dos combustíveis e problemas de atendimento nos bancos

julho 28, 2020

Parlamentar lamenta aumento da gasolina e sistema de relacionamento da rede bancária com os clientes

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou, na sessão desta terça-feira (28), sobre assuntos que ele considera pontuais em período de pandemia. Ele começou falando sobre a majoração do preço da gasolina, em Caxias do Sul. Segundo o parlamentar, há muita desculpa para a majoração do preço e falta concorrência. O parlamentar ressaltou que o preço está em cerca de R$ 4,50 e não há muita diferença entre os postos. “Deveria ter uma ação mais específica, inclusive, do Ministério Público. É um absurdo que a gente continue com os mesmos problemas em relação ao preço aqui em Caxias e, nas cidades da região, um preço mais em conta, enquanto a distância das refinarias é quase a mesma. O consumidor é vítima novamente dessa questão”, salientou.

Meneguzzi também lamentou a falta de estrutura dos bancos para o atendimento dos clientes nesta pandemia. Conforme ele, faltam funcionários e eficiência nos protocolos adotados pela rede bancária. O vereador destacou que há muita fila, apesar do agendamento. Problemas que não se justificam devido ao lucro destas instituições. “Os bancos têm um lucro estratosférico e não conseguem organizar um atendimento decente para a população. Parece que um idoso não é bem-vindo numa agência, pois muitos não sabem mexer no aplicativo. Façam um protocolo decente para seus clientes”, ressaltou.

O parlamentar também pediu explicações sobre reclamações de beneficiários da Bolsa Emergencial, do governo federal, cujo saldo teria sumido do aplicativo Caixa Tem. “Além do auxílio emergencial chegar nas mãos de quem não precisa e quando chega para quem precisa, o dinheiro some. Não se sabe se é ação de golpistas e os bancos, às vezes, não dão a devida explicação e as pessoas ficam sem explicação”, enfatizou.

Ainda de acordo com Meneguzzi, o Executivo precisa implementar ações mais efetivas contra o desemprego gerado pelo fechamento de muitas empresas nesta pandemia. O vereador citou ações como a criação da Agência Municipal de Emprego e a reativação da Comissão Tripartite de Emprego. Além disso, pediu melhor atendimento da Sala do Empreendedor. “Algumas pessoas procuram agora orientações, estão ligando e não estão obtendo o retorno. A Secretaria de Desenvolvimento não consegue auxiliar os empreendedores que estão quebrando, até agora não mostrou nada nesse período de crise”, afirmou.

Ouça a notícia em podcast

 

Aplicativo de Meneguzzi registra quase 100% de efetividade no atendimento das demandas

julho 24, 2020

Em menos de três anos, foram mais de 350 demandas e 600 downloads

O aplicativo Acredita Caxias, idealizado pelo vereador Alberto Meneguzzi/PSB recebeu, desde janeiro deste ano, 147 demandas da população de Caxias do Sul. No acumulado de três anos, foram mais de 350 solicitações e 600 downloads do aplicativo, que atingiu a nota máxima de avaliação. Elas foram encaminhadas a diversos órgãos da administração pública e entidades privadas que prestam serviços aos consumidores.

Conforme estatística de acompanhamento das solicitações, realizada pelo gabinete do parlamentar, deste total, ate agora 142 foram atendidas. O percentual de efetividade é de 96%. Apenas cinco delas não foram atendidas na totalidade.

Este ano, entre as demandas mais encaminhadas foram sobre serviços públicos e, mais recentemente, por causa da pandemia, sobre cobranças excessivas nas contas de água e energia elétrica. Das 147 demandas protocoladas até esta sexta-feira (24), foram 55 sobre atendimento de saúde, 30 de educação, 20 contra as cobranças do Samae e 07 reclamando do valor cobrado na conta da RGE. Outras 35 solicitações foram de assuntos diversos, como problemas de pavimentação, iluminação pública, atraso e superlotação no transporte coletivo, entre outras.

O Acredita Caxias também contém um blog do vereador, caracterizando-se como uma forma mais ágil e fácil de o cidadão enviar suas demandas para o gabinete de Meneguzzi. Junto com as solicitações, podem ser enviadas fotos e vídeos sobre as demandas. “É um canal aberto 24 horas por dia para a população denunciar a má prestação de serviços públicos e privados, encaminhar suas demandas e também sugerir ações por parte do governo e do parlamento”, reitera Meneguzzi.

O aplicativo e o blog também servem para dar mais transparência ao trabalho do parlamentar. “Reunimos em uma única plataforma digital, também o acesso às informações sobre o meu mandato, em texto, áudio e vídeo. Recentemente, colocamos no ar a Rádio Acredita, que pode ser acessada pelo aplicativo e pelo blog, contendo música selecionada, notícias da minha atuação parlamentar e prestação de serviços comunitários”, ressaltou.

Para fazer o download do Acredita Caxias basta acessar a loja da Google Play, procurar pelo nome do aplicativo ou acessar o link https://goo.gl/NJGN4o.

Ouça a notícia em podcast

Meneguzzi critica liberação de futebol em período de pandemia em Caxias do Sul

julho 21, 2020

Parlamentar lamenta decisão do Executivo e rebate justificativas para a realização de partidas

Os jogos de futebol que ocorrerão em Caxias do Sul, nesta semana, foram tema de pronunciamento do vereador Alberto Meneguzzi/PSB. Ele levantou o debate sobre as questões sanitárias que envolvem a realização dos clássicos Gre-Nal, nesta quarta-feira (22) e Ca-Ju, na quinta-feira (23).

Meneguzzi ressaltou que os eventos esportivos não deverão impactar tanto na economia, assim como justificou a direção da CIC Caxias, a não ser os hotéis que hospedarão as delegações. “O entorno do estádio também gera economia. O boteco, o vendedor de churrasquinho, eles não estarão trabalhando lá por causa da pandemia”, alegou.

Além disso, que os eventos irão despender um aparato de segurança pública. “A Brigada Militar vai ter que colocar em torno de 60 policiais para fazer a escolta das delegações. A corporação que vem desenvolvendo atividades importantes, como combate ao tráfico de drogas vai ter que botar sua energia, pagar hora-extra para fazer escolta de clube de futebol”, salientou.

Alberto Meneguzzi também ressaltou que as partidas de futebol deverão gerar aglomerações de torcedores em residências e outros tipos, que estão proibidas pelo poder público. Ele destacou ainda a proximidade do Estádio Centenário ao Hospital da Unimed. “O hospital tem 23 pessoas internadas com a Covid-19, sendo 15 delas na UTI. Ali daquele hospital, já morreram cinco pessoas”, informou.

O parlamentar criticou a postura do secretário de Saúde de Caxias, Jorge Olavo Castro, por ter liberado a realização dos jogos. “Muito me admira um secretário de Saúde dar aval para partida de futebol, num momento como esse. Não há clima para futebol, neste momento de pandemia. Liberar o futebol em todo Estado parece um deboche, um desrespeito às vítimas, seus familiares, profissionais da saúde e a todos aqueles que estão na linha de frente do combate à pandemia. Não se justifica em época de bandeira vermelha”, concluiu.

Foto: Fernando Santos

Ouça a notícia em podcast

 

 

Estado nega recurso da Amesne e Caxias do Sul continua na bandeira vermelha do Coronavírus

julho 20, 2020

Caxias do Sul e região da Serra Gaúcha continuam na bandeira vermelha do Coronavírus. A decisão foi anunciada na tarde desta segunda-feira (20), pelo governador Eduardo Leite, durante uma live, direto do Palácio Piratini. O governo do Estado negou o recurso, que havia sido impetrado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), em nome dos 49 associados.

A reclassificação entra em vigor, para fins de avaliação, nesta terça-feira (21) e vale por uma semana. Permanece em vigor o último decreto municipal, que, entre outras medidas, proibiu a abertura dos supermercados e shoppings aos domingos, dia em que a frota do transporte coletivo somente funciona nos horários de pico, no início da manhã e início da noite.

 

Vereador pede testagem de Covid-19 nos participantes de curso presencial da Guarda Municipal

julho 16, 2020

Denúncias revelaram que um servidor estaria infectado durante o treinamento

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB enviou um ofício ao líder de governo no Legislativo, vereador Velocino Uez/PDT, nesta quarta-feira (15), solicitando esclarecimentos do Executivo sobre a realização de um curso presencial, promovido pela Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social, durante toda a última semana.

O parlamentar recebeu informações que 21 servidores da Guarda Municipal participaram do treinamento. Além deles, o secretário Hernest Larrat dos Santos. O fato mais grave, conforme as mensagens recebidas pelo vereador, é de que um dos participantes do referido curso teria feito exame neste sábado (11) e testado POSITIVO para a Covid-19. Também há informações que já na quinta-feira (09) ele teria apresentado sintomas da doença, mas não foi afastado da turma.

Na sessão desta quinta-feira (16), Meneguzzi criticou a realização do treinamento e pediu a testagem de todos os participantes. “Foi uma determinação da Polícia Federal, disse a resposta que a Secretaria de Segurança me mandou. Eu tenho informação que não houve o devido cuidado, até de distanciamento. Por mais que a Secretaria explique, 20 servidores estão trabalhando em um testou positivo. Não teve nenhuma testagem nestes outros servidores. Tem que testar estes servidores. Não é só monitorar, é afastar, se for o caso, preservando a saúde deles, das famílias e dos demais guardas municipais”, afirmou.

Foto: Gabriela Bento Alves

Ouça a notícia em podcast

 

 Meneguzzi promove reflexão no Dia do Ato pela Cultura da Paz Ana Clara Adami

julho 16, 2020

Data lembra a morte da menina que se tornou símbolo contra a violência em Caxias

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou na sessão desta quinta-feira (16) sobre o Dia do Ato pela Cultura da Paz Ana Clara Adami, que lembra a morte da menina de 11 anos, que morreu neste dia, em 2015, depois de ser baleada quando chegava para o encontro de catequese, nas proximidades da igreja São Pio X, em Caxias do Sul. Antes da manifestação na tribuna, o parlamentar propôs um minuto de silêncio em memória da jovem. O vereador também distribuiu uma máscara de proteção ao Coronavírus, alusiva à data.

Segundo Meneguzzi, a lei que criou a data tem a intenção de chamar a atenção da sociedade sobre a violência e a construção da paz social. “A ideia é avançarmos um discurso de paz, de família, de políticas públicas e de reflexão. Trilharmos outros caminhos. Ela tinha amor, zelo, carinho e atenção da família. O que muitas dessas crianças com 11 anos não têm na relação com seus pais. Mas é isso que as crianças precisam dos pais e da família”, afirmou.

Alberto Meneguzzi ressaltou que nesta quinta-feira, a menina estaria completando 17 anos e ingressando na universidade. “Ela deixou diversas cartas, condenando, inclusive, a pena de morte. Incrível ler os escritos da Ana Clara, que sempre falava de paz”, destacou.

O parlamentar refletiu sobre a deficiência na segurança pública. “O que mudou de lá para cá. Se formos pensar em efetivo de Brigada Militar, não mudou nada. Até piorou na região do Bairro Pio X. Quantas crianças e jovens são assassinados em Caxias do Sul? Se formos fazer um balanço, vai ver que boa parte dos assassinados aqui são jovens, que morrem no trânsito ou estão no tráfico de drogas”, salientou.

O projeto de lei que instituiu o Dia do Ato pela Cultura da Paz Ana Clara Adami foi aprovado em 2017. Além de Meneguzzi, também assinaram a matéria os vereadores Edi Carlos Pereira de Souza e Elói Frizzo/PSB, e Gustavo Toigo/PDT.

Meneguzzi também foi o autor do projeto de lei que denominou uma rua do Loteamento Villa Di Fillippo, no Bairro São Caetano como Ana Clara Adami. A proposta foi aprovada por unanimidade do plenário, em outubro de 2017. As placas de identificação somente agora estão sendo colocadas nas duas quadras da via pública.

Foto: Fernando Santos

 Ouça a notícia em podcast

 

Meneguzzi recebe confirmação sobre rescisões da terceirizada CCS

julho 15, 2020

Valor liberado pela Justiça deverá ser repassado mediatamente aos funcionários demitidos

O vereador Alberto Meneguzzi /PSB recebeu confirmação do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio, Conservação, Limpeza Urbana, Ambiental e Áreas Verdes de Caxias do Sul (Sindilimp), Henrique Silva, sobre as rescisões de contrato dos ex-funcionários da CCS Serviços Terceirizados. A empresa prestava serviços para a Prefeitura de Caxias do Sul, mas teve o contrato rescindido por descumprimento das leis trabalhistas, como atraso e falta de pagamento de salários e benefícios sociais. A informação é de que a entidade sindical receberia a liberação do valor depositado judicialmente pelo Executivo, na tarde desta quarta-feira (15). Com isso, os trabalhadores serão chamados a partir desta quinta-feira (16) para receberem o pagamento de suas rescisões.

“São profissionais que já recebiam um salário baixo e agora com a pandemia, estão precisando muito desse valor. É um direito deles, trabalharam e precisam receber. A conduta dessa empresa já era conhecida da região”, ressalta.
Ainda conforme Henrique Silva, o valor liberado será rateado entre os mais de 20 demitidos. O valor restante das rescisões será cobrado do Município, na Justiça do Trabalho. “A terceirização só tem trazido problemas para o serviço público de Caxias, como ocorreu com o IGH, na UPA Zona Norte. Agora quem vai arcar com as rescisões será o imposto pago pelo contribuinte e o Município terá que correr atrás para ser ressarcido do valor, sem a mínima garantia”, salienta Meneguzzi.