Artigo: “Os jovens precisam de emprego”

maio 5, 2021
Os jovens precisam de emprego ( Alberto Meneguzzi)
Eu apresentava tranquilamente o programa num Domingo desses pela manhã na Rádio Caxias. Foi quando falei no ar do Projeto Pescar da Paróquia São José e coloquei depoimentos de cinco jovens que falaram como o projeto modificou suas vidas. Foi coisa de dez minutos no máximo.
Pronto.
Um executivo de uma empresa de Caxias ouviu, mandou recado pelo whats da rádio, pediu o contato do projeto, fiz a intermediação com o pessoal do Pescar/São José e fiquei muito, mas muito feliz, em saber que um dos jovens do projeto, de 18 anos, foi contratado pela instituição. A empresa, chamada SL VEÍCULOS, é revenda da FORD para toda a região da Serra e dos Vales.
Eu a Margô, choramos juntos ao saber desta notícia. O projeto que concebemos, o Acredita, tem esse objetivo: ajudar pessoas, indicar caminhos, transmitir esperança e na medida do possível ,mostrar o trabalho lindo que muitos projetos sociais fazem.
E, no que se refere aos jovens, eu tenho um carinho especial, pois trabalhei com jovens durante quase 30 anos na catequese: precisamos olhar para eles com atenção, pois muitos estão fora da sala de aula, não possuem cursos profissionalizantes e acabam se perdendo nas drogas, na depressão, no crime, na tristeza, na falta a de perspectiva de uma vida melhor. Quando um jovem, em situação de vulnerabilidade, é cuidado, ajudado na formação humana, é ouvido e orientado e recebido e amado, por qualquer instituição de ensino ou projeto social, e a ele é dado disciplina, orientação, espiritualidade e formação profissional, não tem como dar errado. A nossa juventude precisa muito de emprego. São 14, 4 milhões de desempregados no país e um percentual muito grande está na faixa etária dos 19 aos 29 anos. Isso em contar os menores aprendizes que tem cada vez menos oportunidades.
O nosso programa de Rádio, o Acredita, ajudou nisso: foi apenas UM por enquanto, mas para nós, foi motivo de muita alegria que um jovem de 18 anos, conseguiu colocação no mercado de trabalho por que alguém ouviu um programa de Rádio num domingo pela manhã e se interessou em contratar.
Que Deus abençoe os nossos jovens.
Que Deus abençoe este empresário.
Que Deus abençoe o projeto Pescar e outros projetos que trabalham com nossos jovens.
Que Deus nos abençoe como jornalistas e comunicadores que somos. Nós acreditamos em dias melhores.

Alimentação saudável: os prós e contras do café

maio 1, 2021

Alimentação saudável: os prós e contras do café. No quadro DICA DA TATI, a especialista em alimentação saudável Tatiana Fernandes, conversa com o jornalista Alberto Meneguzzi no programa Acredita, apresentado aos domingos, das 08h às 10h na Rádio Caxias 93,5 FM.

 

Depressão e ansiedade: como identificar e tratar

maio 1, 2021

Uma conversa com a Psiquiatra Daniela Borsoi Carvalho sobre depressão e ansiedade. Que sentimentos são esses? Como identificar e de que maneira tratar. A médica falou no programa Acredita, apresentado aos domingos pela Rádio Caxias 93,5 FM, das 08h às 10h pelo jornalista Alberto Meneguzzi

 

Atualização da situação de Caxias registra mais 8 óbitos somente nesta quinta

abril 1, 2021

Dados até 17h30 de 01/04/2021 – Fonte – Prefeitura de Caxias do Sul

39.536 casos positivos (35.100 recuperados; 3.409 em isolamento domiciliar, 173 em enfermaria, 125 em UTI e 729 óbitos)

3.480 aguardando resultado

117.554 casos negativos

Ocupação UTIs

Adulto privado (clínico): 43 leitos ocupados, 98%

Adulto privado (covid-19): 93 leitos ocupados, 96%

Adulto SUS (clínico): 34 leitos ocupados, 100%

Adulto SUS (covid-19): 64 leitos ocupados, 107%

* Às 17h desta quinta-feira, 24 pessoas aguardavam por um leito de UTI pelo SUS. Destas, 14 pessoas de Caxias do Sul aguardando leito de UTI covid; cinco de outros municípios aguardando leito de UTI covid em hospitais de Caxias; e cinco de Caxias aguardando leito de UTI clínico.

Registrados mais oito óbitos por complicações do coronavírus

A vítima 722 é uma mulher de 72 anos que faleceu no dia 31. A 723ª é uma mulher de 71 anos que faleceu no dia 31. A 724ª é um homem de 21 anos que faleceu no dia 31. A 725ª é uma mulher de 83 anos que faleceu no dia 31. A 726ª é um homem de 81 anos que faleceu no dia 31. A 727ª é um homem de 60 anos que faleceu no dia 31. A 728ª é um homem de 71 anos que faleceu no dia 30. A 729ª é uma mulher de 86 anos que faleceu no dia 1 de abril.

Dessa forma, Caxias do Sul registra 729 óbitos, sendo 399 masculinos entre 20 e 97 anos e 330 femininos entre 33 e 99 anos.

** Além dos oito óbitos notificados em Caxias do Sul nesta quinta-feira, também foram notificados três óbitos de moradores de outras cidades que estavam hospitalizados na cidade.

“Estamos indo de mal a pior” diz Meneguzzi sobre desemprego no país

janeiro 12, 2021
Cinco mil empregos serão perdidos por causa do fechamento das fabricas da Ford no Brasil? Ao mesmo tempo, a empresa anuncia o investimento de mais de R$ 3 bilhões em unidades na Argentina? Outra: mais 300 serão perdidos por causa do fechamento da fabrica da Ioki em Nova Prata? Vão fabricar pipoca em Minas Gerais?
O Banco do Brasil quer enxugar seu quadro funcional em quase 5 mil funcionários através do fechamento de agências, postos de atendimento e escritórios e de um plano de demissões voluntárias.
Caraca! O nosso país vai indo de mal a pior.
E a vacina?
Quando será?
Segundo o Ministro Pazzuelo ( o cara do exército), será no dia D e na hora H. Quando?
Oiiiii? Eu ouvi bem?
O Ministro tá dizendo que vacina vai chegar em todos os estados, no mesmo instante, na mesma hora “H”e no dia “D”?
Eu nunca ouvi tanta burrice e estupidez por parte de um Ministro da Saúde. É o que há de pior.
**Alberto Meneguzzi, jornalista e relações públicas

“Não haverá vacina contra hipocrisia, burrice e egoísmo” diz Meneguzzi

janeiro 4, 2021
Eu não tenho mais esperança que qualquer autoridade ou governo vai conseguir coibir aglomerações e festas em vários lugares.
As pessoas, simplesmente não querem isolamento e não querem mais respeitar regra alguma.
E não é de agora. Aqui em Caxias, foi sempre assim. Andem pelas ruas e verão a quantidade de pessoas caminhando, circulando, correndo, nas paradas de ônibus, sem máscara. Elas não estão nem aí. Confesso que a vontade que eu tenho é sair gritando ” coloca a máscara, olha a máscara, tira a máscara do queixo.” Vi até uma corredora de rua com a máscara pendurada no cotovelo.
Qual o efeito de uma máscara no queixo ou no cotovelo? Qual o efeito de uma máscara pendurada na bermuda? Eu sempre disse desde o início desta pandemia: ela está servindo para que as “máscaras caiam”. Sim, as máscaras das pessoas estão caindo de uma forma mais rápida. Muita gente está mostrando quem verdadeiramente é nesta pandemia: egoístas, materialistas, sem humanidade alguma, babacas, idiotas, que só tem olhar para o próprio umbigo e sem condição nenhuma de observar e sentir a dor do outro.

Surpresa? Capaz!

Antes, tudo isso acontecia também, mas agora começamos a observar de forma mais concreta quem é de verdade e quem é de mentira.
Nem vou falar de praias lotadas, hotéis abarrotados de gente, festas das mais diversas e tantas outras situações constrangedoras que os meios de comunicação andam divulgando.
Mas a morte, a doença, o sofrimento de famílias inteiras, não faz mais efeito. Não toca mais o coração de ninguém dizer que ainda morrem mais de 1 mil pessoas por dia no Brasil. Ninguém sente nada ao saber que contêineres de refrigeração estão sendo colocados novamente ao lado dos hospitais de Manaus para receber corpos de vítimas. Ninguém tá nem aí se aqui no RS estamos de bandeira preta, amarela, laranja, vermelha e muito menos com a ocupação de leitos nos hospitais do sus e particulares na cidade onde mora. Nada mais emociona, nada mais entristece, nada mais faz refletir, nada mais toca o coração. Podem divulgar o que quiser, os números mais temerosos e as notícias mais assustadoras a respeito da pandemia.
A julgar pelas fotos, pela exposição nas redes sociais das viagens dos mergulhos, dos encontros, das aglomerações, das bebedeiras e dos flagrantes desrespeito as regras ( leis) e orientações de saúde para este período que estamos vivendo, julgo que boa parte de nós todos já estamos contaminados, mas não com a Covid, mas sim, com o vírus da hipocrisia, ignorância, exibicionismo, estupidez e desumanidade.
E contra isso, nenhuma vacina dará um jeito.
( Alberto Meneguzzi é jornalista e Relações Públicas. Foi integrante da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Caxias do SuLldurante três anos.)

Meneguzzi defendeu a qualidade da saúde e educação públicas de Caxias do Sul

dezembro 29, 2020

Vereador também lutou por políticas públicas para a capacitação profissional e geração de emprego, principalmente, para os jovens

Uma das maiores lutas do primeiro mandato do vereador Alberto Meneguzzi/PSB foi pela qualidade da prestação dos serviços públicos de saúde e de educação. Desde 2017, denunciou o descaso praticado pelo Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que operou a UPA Zona Norte, até o ano passado, baseado em informações recebidas de funcionários e usuários do SUS. “Foram dezenas de denúncias encaminhadas ao Ministério Público Federal e Estadual, Cremers e Ministério do Trabalho sobre mau atendimento da população e infração da legislação trabalhista, como atos de assédio moral aos trabalhadores”, ressalta.

Meneguzzi também denunciou problemas na gestão da UPA Central (antigo Postão), por parte do InSaúde, principalmente, este ano, por causa da pandemia. “Como integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente, foram dezenas de vistorias, inclusive, de madrugada, verificando denúncias, como morosidade no atendimento, entre outras. Este ano, tivemos situações que envolveram o descumprimento das medidas de prevenção ao Coronavírus, como festas e confraternizações na UPA Central, por exemplo”, destaca.

O parlamentar também integrou a Comissão de Educação, onde entre várias ações, articulou pela manutenção do Senai José Gazola e a utilização do espaço físico como um centro de capacitação profissional para jovens. Além disso, foi autor do projeto do Programa Municipal do Primeiro Emprego, aprovado este mês pelo plenário, favorecendo o ingresso de jovens no mercado de trabalho e concedendo incentivos fiscais para empresas que aderirem ao programa.

Também lutei pela geração de emprego e renda para a população, principalmente, pelo acesso às informações sobre vagas. Idealizei o projeto de lei que criou a Agência Municipal de Emprego, aprovado pela Câmara, mas o prefeito cassado recorreu à Justiça e não implantou o órgão, que seria um auxiliar do FGTAS/Sine, na busca e intermediação de mão de obra”, ressalta.

Estado mantém Caxias e Serra Gaúcha na bandeira vermelha do Coronavírus

dezembro 18, 2020

A atualização preliminar dos índices de propagação do Coronavírus, divulgada nesta sexta-feira (18), manteve a classificação de Caxias do Sul e a Serra Gaúcha, no Modelo de Distanciamento Controlado do governo estadual, como zona de alto risco da pandemia. Com isso, os 49 municípios da região deverão manter as medidas de contenção referentes à bandeira vermelha, no período de 22 a 28 de dezembro.

Nesta rodada, a única região Covid que não apresenta risco alto de contágio é Guaíba, classificada em bandeira laranja (risco epidemiológico médio). Na tarde desta sexta-feira, não há informação de que o Executivo irá recorrer da decisão por meio da Associação dos Municípios da Encosta superior do Nordeste (Amesne). Neste caso, o resultado sairá na tarde de segunda-feira (21), depois da reunião do Gabinete de Crise do governo gaúcho. 

 

*Com informações do governo do Estado

Legislativo inaugura foto de Meneguzzi na galeria dos ex-presidentes

dezembro 17, 2020

O parlamentar presidiu a Câmara de Vereadores em 2018

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB, entrou, na manhã desta quinta-feira (17), para a galeria de ex-presidentes do Legislativo caxiense. O parlamentar presidiu a Câmara em 2018, no segundo ano de mandato. Ele participou de todas as Mesas Diretoras da XVII Legislatura.

O ato ocorreu na Sala de Reuniões da Presidência, e contou com a presença de poucas pessoas devido às restrições referentes à pandemia do coronavírus. Entre elas, a esposa, Margô Segat, irmãos, cunhados, sobrinhos e alguns vereadores e servidores do Legislativo.

Meneguzzi saudou a esposa Margô e a família. “Obrigado por chorarem junto comigo, na derrota, agora, mas por sorrirem e vibrarem comigo nas vitórias. Principalmente, por serem pessoas que me acolhem independentemente da função que eu ocupe”, concluiu.

Depois do descerramento da foto, o atual presidente da Câmara, vereador Ricardo Daneluz/PDT, que havia sido vice-presidente em 2018, agradeceu a Meneguzzi pela contribuição social dele como parlamentar. Os vereadores Felipe Gremelmaier/MDB, Elisandro Fiuza/Republicanos, Renato Oliveira/PCdoB e Gladis Frizzo/MDB também se manifestaram, ressaltando a luta do vereador na área da saúde.

Alberto Meneguzzi foi vice-presidente da Casa, em 2017, no seu primeiro mandato como vereador. Em 2018, foi presidente do Legislativo. Em 2019 e 2020, também fez parte da Mesa Diretora, atuando como 2º secretário nos dois períodos.

Ainda no final da manhã, se reuniu com alguns funcionários da Câmara de Vereadores aos quais fez agradecimentos.

Vereador Meneguzzi pede esclarecimentos sobre renovação de contrato com o InSaúde

dezembro 16, 2020

Executivo não divulgou nenhuma informação sobre o futuro do contrato de gestão da UPA Central

O integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente do Legislativo municipal, vereador Alberto Meneguzzi/PSB, encaminhou, nesta quarta-feira (16), um ofício ao secretário municipal de Saúde, Jorge Olavo Castro. No documento, ele solicita informações sobre a renovação do contrato de gestão compartilhada da UPA Central com o InSaúde, que encerrou no dia 14 de dezembro.

Segundo o parlamentar, os questionamentos se devem à total falta de informações sobre o processo. “Enviei mensagem de WhatsApp ao secretário, mas não recebei nenhuma resposta. Nem sequer à presidência da Comissão, o Executivo deu qualquer satisfação sobre o processo”, justificou.

No mesmo ofício, Meneguzzi pediu informações sobre os valores repassados, este ano, pelos governos Federal e Estadual para as medidas de contenção à pandemia da Covid-19. “eu quero saber quanto o Município recebeu da União e do Estado para investir na prevenção e no tratamento dos pacientes de Coronavírus. Além disso, em que foram gastos estes valores”, salientou.