Meneguzzi Nenhum comentário

Parlamentar lamenta decisão do Executivo e rebate justificativas para a realização de partidas

Os jogos de futebol que ocorrerão em Caxias do Sul, nesta semana, foram tema de pronunciamento do vereador Alberto Meneguzzi/PSB. Ele levantou o debate sobre as questões sanitárias que envolvem a realização dos clássicos Gre-Nal, nesta quarta-feira (22) e Ca-Ju, na quinta-feira (23).

Meneguzzi ressaltou que os eventos esportivos não deverão impactar tanto na economia, assim como justificou a direção da CIC Caxias, a não ser os hotéis que hospedarão as delegações. “O entorno do estádio também gera economia. O boteco, o vendedor de churrasquinho, eles não estarão trabalhando lá por causa da pandemia”, alegou.

Além disso, que os eventos irão despender um aparato de segurança pública. “A Brigada Militar vai ter que colocar em torno de 60 policiais para fazer a escolta das delegações. A corporação que vem desenvolvendo atividades importantes, como combate ao tráfico de drogas vai ter que botar sua energia, pagar hora-extra para fazer escolta de clube de futebol”, salientou.

Alberto Meneguzzi também ressaltou que as partidas de futebol deverão gerar aglomerações de torcedores em residências e outros tipos, que estão proibidas pelo poder público. Ele destacou ainda a proximidade do Estádio Centenário ao Hospital da Unimed. “O hospital tem 23 pessoas internadas com a Covid-19, sendo 15 delas na UTI. Ali daquele hospital, já morreram cinco pessoas”, informou.

O parlamentar criticou a postura do secretário de Saúde de Caxias, Jorge Olavo Castro, por ter liberado a realização dos jogos. “Muito me admira um secretário de Saúde dar aval para partida de futebol, num momento como esse. Não há clima para futebol, neste momento de pandemia. Liberar o futebol em todo Estado parece um deboche, um desrespeito às vítimas, seus familiares, profissionais da saúde e a todos aqueles que estão na linha de frente do combate à pandemia. Não se justifica em época de bandeira vermelha”, concluiu.

Foto: Fernando Santos

Ouça a notícia em podcast

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *