Caxias e Serra Gaúcha continuam na bandeira laranja do Coronavírus

outubro 23, 2020

A atualização preliminar dos índices de propagação do Coronavírus, divulgada nesta sexta-feira (23), manteve a classificação de Caxias do Sul e a Serra Gaúcha no Modelo de Distanciamento Controlado do governo estadual, como zona de risco médio da pandemia. Com isso, os 49 municípios da região deverão manter as medidas de contenção referentes à bandeira laranja, no período 27 de outubro a 02 de novembro. 

Classificadas em amarelo na 24ª rodada, as regiões de Bagé, Cachoeira do Sul e Palmeira das Missões apresentaram piora nos indicadores e passaram, nesta 25ª, para a bandeira laranja.

As regiões de Cruz Alta, Ijuí e Santo Ângelo – todas da macrorregião Missioneira, que estavam na bandeira laranja –, também apresentaram piora nos indicadores e voltaram para a bandeira vermelha.

 

*Com informações do governo do Estado

Caxias do Sul e Serra Gaúcha retornam à bandeira laranja do Coronavírus

agosto 3, 2020

O governo estadual aceitou o recurso impetrado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), em nome dos 49 associados e incluiu Caxias do Sul e região da Serra Gaúcha como zona de médio risco da Covid-19. Com isso, o município deverá seguir as medidas de contenção referentes à bandeira laranja do Coronavírus. A decisão foi anunciada na tarde desta segunda-feira (03), depois da reunião do Gabinete de Crise e a classificação vale até a próxima segunda-feira (10). Houve menos incidência de mortes e hospitalizações, segundo o governo do Estado.

Novas medidas de contenção, referentes à bandeira laranja podem ser implantadas pelo Executivo. Até esta segunda-feira, por exemplo, estava permitida a entrada de uma pessoa por família nos supermercados, distanciamento controlado nos estabelecimentos comerciais considerados como de atividades essenciais e uso obrigatório da máscara nas ruas e para ingressos nos locais autorizados ao atendimento ao público, entre outras.

Meneguzzi critica preço abusivo dos combustíveis e problemas de atendimento nos bancos

julho 28, 2020

Parlamentar lamenta aumento da gasolina e sistema de relacionamento da rede bancária com os clientes

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou, na sessão desta terça-feira (28), sobre assuntos que ele considera pontuais em período de pandemia. Ele começou falando sobre a majoração do preço da gasolina, em Caxias do Sul. Segundo o parlamentar, há muita desculpa para a majoração do preço e falta concorrência. O parlamentar ressaltou que o preço está em cerca de R$ 4,50 e não há muita diferença entre os postos. “Deveria ter uma ação mais específica, inclusive, do Ministério Público. É um absurdo que a gente continue com os mesmos problemas em relação ao preço aqui em Caxias e, nas cidades da região, um preço mais em conta, enquanto a distância das refinarias é quase a mesma. O consumidor é vítima novamente dessa questão”, salientou.

Meneguzzi também lamentou a falta de estrutura dos bancos para o atendimento dos clientes nesta pandemia. Conforme ele, faltam funcionários e eficiência nos protocolos adotados pela rede bancária. O vereador destacou que há muita fila, apesar do agendamento. Problemas que não se justificam devido ao lucro destas instituições. “Os bancos têm um lucro estratosférico e não conseguem organizar um atendimento decente para a população. Parece que um idoso não é bem-vindo numa agência, pois muitos não sabem mexer no aplicativo. Façam um protocolo decente para seus clientes”, ressaltou.

O parlamentar também pediu explicações sobre reclamações de beneficiários da Bolsa Emergencial, do governo federal, cujo saldo teria sumido do aplicativo Caixa Tem. “Além do auxílio emergencial chegar nas mãos de quem não precisa e quando chega para quem precisa, o dinheiro some. Não se sabe se é ação de golpistas e os bancos, às vezes, não dão a devida explicação e as pessoas ficam sem explicação”, enfatizou.

Ainda de acordo com Meneguzzi, o Executivo precisa implementar ações mais efetivas contra o desemprego gerado pelo fechamento de muitas empresas nesta pandemia. O vereador citou ações como a criação da Agência Municipal de Emprego e a reativação da Comissão Tripartite de Emprego. Além disso, pediu melhor atendimento da Sala do Empreendedor. “Algumas pessoas procuram agora orientações, estão ligando e não estão obtendo o retorno. A Secretaria de Desenvolvimento não consegue auxiliar os empreendedores que estão quebrando, até agora não mostrou nada nesse período de crise”, afirmou.

Ouça a notícia em podcast

 

Meneguzzi critica liberação de futebol em período de pandemia em Caxias do Sul

julho 21, 2020

Parlamentar lamenta decisão do Executivo e rebate justificativas para a realização de partidas

Os jogos de futebol que ocorrerão em Caxias do Sul, nesta semana, foram tema de pronunciamento do vereador Alberto Meneguzzi/PSB. Ele levantou o debate sobre as questões sanitárias que envolvem a realização dos clássicos Gre-Nal, nesta quarta-feira (22) e Ca-Ju, na quinta-feira (23).

Meneguzzi ressaltou que os eventos esportivos não deverão impactar tanto na economia, assim como justificou a direção da CIC Caxias, a não ser os hotéis que hospedarão as delegações. “O entorno do estádio também gera economia. O boteco, o vendedor de churrasquinho, eles não estarão trabalhando lá por causa da pandemia”, alegou.

Além disso, que os eventos irão despender um aparato de segurança pública. “A Brigada Militar vai ter que colocar em torno de 60 policiais para fazer a escolta das delegações. A corporação que vem desenvolvendo atividades importantes, como combate ao tráfico de drogas vai ter que botar sua energia, pagar hora-extra para fazer escolta de clube de futebol”, salientou.

Alberto Meneguzzi também ressaltou que as partidas de futebol deverão gerar aglomerações de torcedores em residências e outros tipos, que estão proibidas pelo poder público. Ele destacou ainda a proximidade do Estádio Centenário ao Hospital da Unimed. “O hospital tem 23 pessoas internadas com a Covid-19, sendo 15 delas na UTI. Ali daquele hospital, já morreram cinco pessoas”, informou.

O parlamentar criticou a postura do secretário de Saúde de Caxias, Jorge Olavo Castro, por ter liberado a realização dos jogos. “Muito me admira um secretário de Saúde dar aval para partida de futebol, num momento como esse. Não há clima para futebol, neste momento de pandemia. Liberar o futebol em todo Estado parece um deboche, um desrespeito às vítimas, seus familiares, profissionais da saúde e a todos aqueles que estão na linha de frente do combate à pandemia. Não se justifica em época de bandeira vermelha”, concluiu.

Foto: Fernando Santos

Ouça a notícia em podcast

 

 

Estado nega recurso da Amesne e Caxias do Sul continua na bandeira vermelha do Coronavírus

julho 20, 2020

Caxias do Sul e região da Serra Gaúcha continuam na bandeira vermelha do Coronavírus. A decisão foi anunciada na tarde desta segunda-feira (20), pelo governador Eduardo Leite, durante uma live, direto do Palácio Piratini. O governo do Estado negou o recurso, que havia sido impetrado pela Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), em nome dos 49 associados.

A reclassificação entra em vigor, para fins de avaliação, nesta terça-feira (21) e vale por uma semana. Permanece em vigor o último decreto municipal, que, entre outras medidas, proibiu a abertura dos supermercados e shoppings aos domingos, dia em que a frota do transporte coletivo somente funciona nos horários de pico, no início da manhã e início da noite.

 

Vereador pede testagem de Covid-19 nos participantes de curso presencial da Guarda Municipal

julho 16, 2020

Denúncias revelaram que um servidor estaria infectado durante o treinamento

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB enviou um ofício ao líder de governo no Legislativo, vereador Velocino Uez/PDT, nesta quarta-feira (15), solicitando esclarecimentos do Executivo sobre a realização de um curso presencial, promovido pela Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social, durante toda a última semana.

O parlamentar recebeu informações que 21 servidores da Guarda Municipal participaram do treinamento. Além deles, o secretário Hernest Larrat dos Santos. O fato mais grave, conforme as mensagens recebidas pelo vereador, é de que um dos participantes do referido curso teria feito exame neste sábado (11) e testado POSITIVO para a Covid-19. Também há informações que já na quinta-feira (09) ele teria apresentado sintomas da doença, mas não foi afastado da turma.

Na sessão desta quinta-feira (16), Meneguzzi criticou a realização do treinamento e pediu a testagem de todos os participantes. “Foi uma determinação da Polícia Federal, disse a resposta que a Secretaria de Segurança me mandou. Eu tenho informação que não houve o devido cuidado, até de distanciamento. Por mais que a Secretaria explique, 20 servidores estão trabalhando em um testou positivo. Não teve nenhuma testagem nestes outros servidores. Tem que testar estes servidores. Não é só monitorar, é afastar, se for o caso, preservando a saúde deles, das famílias e dos demais guardas municipais”, afirmou.

Foto: Gabriela Bento Alves

Ouça a notícia em podcast

 

 Meneguzzi promove reflexão no Dia do Ato pela Cultura da Paz Ana Clara Adami

julho 16, 2020

Data lembra a morte da menina que se tornou símbolo contra a violência em Caxias

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou na sessão desta quinta-feira (16) sobre o Dia do Ato pela Cultura da Paz Ana Clara Adami, que lembra a morte da menina de 11 anos, que morreu neste dia, em 2015, depois de ser baleada quando chegava para o encontro de catequese, nas proximidades da igreja São Pio X, em Caxias do Sul. Antes da manifestação na tribuna, o parlamentar propôs um minuto de silêncio em memória da jovem. O vereador também distribuiu uma máscara de proteção ao Coronavírus, alusiva à data.

Segundo Meneguzzi, a lei que criou a data tem a intenção de chamar a atenção da sociedade sobre a violência e a construção da paz social. “A ideia é avançarmos um discurso de paz, de família, de políticas públicas e de reflexão. Trilharmos outros caminhos. Ela tinha amor, zelo, carinho e atenção da família. O que muitas dessas crianças com 11 anos não têm na relação com seus pais. Mas é isso que as crianças precisam dos pais e da família”, afirmou.

Alberto Meneguzzi ressaltou que nesta quinta-feira, a menina estaria completando 17 anos e ingressando na universidade. “Ela deixou diversas cartas, condenando, inclusive, a pena de morte. Incrível ler os escritos da Ana Clara, que sempre falava de paz”, destacou.

O parlamentar refletiu sobre a deficiência na segurança pública. “O que mudou de lá para cá. Se formos pensar em efetivo de Brigada Militar, não mudou nada. Até piorou na região do Bairro Pio X. Quantas crianças e jovens são assassinados em Caxias do Sul? Se formos fazer um balanço, vai ver que boa parte dos assassinados aqui são jovens, que morrem no trânsito ou estão no tráfico de drogas”, salientou.

O projeto de lei que instituiu o Dia do Ato pela Cultura da Paz Ana Clara Adami foi aprovado em 2017. Além de Meneguzzi, também assinaram a matéria os vereadores Edi Carlos Pereira de Souza e Elói Frizzo/PSB, e Gustavo Toigo/PDT.

Meneguzzi também foi o autor do projeto de lei que denominou uma rua do Loteamento Villa Di Fillippo, no Bairro São Caetano como Ana Clara Adami. A proposta foi aprovada por unanimidade do plenário, em outubro de 2017. As placas de identificação somente agora estão sendo colocadas nas duas quadras da via pública.

Foto: Fernando Santos

 Ouça a notícia em podcast

 

Estado nega recurso da Amesne e Caxias entra na bandeira vermelha do Coronavírus

julho 13, 2020

Caxias do Sul e região da Serra Gaúcha tiveram recurso da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amensae) negado para permanecerem com as medidas de contenção referentes à bandeira laranja do Coronavírus. A decisão foi anunciada na tarde desta segunda-feira (13), pelo governador Eduardo Leite, durante uma live, direto do Palácio Piratini. Com isso, o Município entra para a bandeira vermelha do Covid-19.

A reclassificação entra em vigor, para fins de avaliação, nesta terça-feira (14) e vale por uma semana. Permanece em vigor o último decreto municipal, que, entre outras medidas, proibiu a abertura dos supermercados e shoppings aos domingos, dia em que a frota do transporte coletivo somente funciona nos horários de pico, no início da manhã e início da noite.

 

Justiça Eleitoral reitera que cadastro de eleitores não será prorrogado devido à pandemia

julho 8, 2020

Mesmo com a transferência das eleições, o prazo encerrou em maio

Conforme o calendário eleitoral, o dia 6 de maio foi o prazo para regularizar a situação cadastral, realizar inscrição, pedir transferência de domicílio ou troca de seção no mesmo município. O chefe da 169ª Zona Eleitoral de Caxias do Sul, Edson Borowisk, informa que, em função do adiamento das eleições municipais de outubro e mudança da data para 15 de novembro, muitos eleitores estão procurado informações sobre o título eleitoral, mas o prazo não será reaberto. Ele destaca que a data-limite está prevista no artigo 91, da Lei 9.504/1997 e não sofreu nenhuma alteração devido à pandemia do Coronavírus nem da transferência das eleições.

Ainda segundo Borowski, as empresas não necessitam do título de eleitor para a contratação de trabalhadores. Ele ressalta também que eventuais problemas com CPFs não estão relacionados com título de eleitor. Nestes casos, as informações devem ser obtidas na Receita Federal.

Ouça a notícia em podcast

 

 

 

 

 

 

 

UBS Cinquentenário já tem novo endereço

julho 3, 2020

A Unidade Básica de Saúde será instalada na Avenida Júlio de Castilhos, em frente ao SENAC

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB, se manifestou em suas redes sociais na noite desta quinta-feira (02), sobre o surto de coronavírus na UBS Cinquentenário. Na manhã desta sexta-feira (03), a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou o novo endereço da Unidade Básica de Saúde, a qual deverá ser reaberta em 30 dias. Será instalada na Avenida Júlio de Castilhos, 3633, em frente ao SENAC.

A SMS já estudava um novo espaço, pois o atual é pequeno para os mais de 25 mil usuários. No total, são 20 servidores e uma higienizadora. Desses, 5 foram afastados imediatamente quando iniciaram os primeiros sintomas gripais e foram testados por meio do método RT-PCR.

Segundo o secretário Municipal da Saúde, Jorge Olavo Hahn Castro, todos os usuários que estiverem com sintomas gripais e foram atendidos na UBS Cinquentenário no período de 11 de junho a 1º de julho serão testados após o 14º dia do início dos sintomas. A Unidade Básica de Saúde entrará em contato para fazer o agendamento.

Em caso de necessidade de atendimento médico, os usuários podem procurar a UPA Central.

Ouça a notícia em podcast