Meneguzzi cobra renovação de convênio da Semma com a RGE

novembro 8, 2019

Parceria visava recolher material resultante da poda de árvores próximas à rede elétrica

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB lamenta que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) não tenha renovado o convênio com a RGE, para o recolhimento de galhos de árvores que resultam das podas realizadas pela distribuidora de energia elétrica. A informação partiu do gerente de relacionamento da RGE, Rafael Dala Brida, durante reunião realizada no gabinete dele, na manhã desta sexta-feira (08).

Brida revelou que o convênio foi encerrado no ano passado. Desta forma, desde janeiro, os galhos têm ficado depositados em via pública, aguardando pelo recolhimento de forma particular. Um exemplo são os galhos que foram deixados por algum tempo na Rua Salle, entre Júlio de Castilhos e Pinheiro Machado.

Meneguzzi acredita que o Executivo deveria renovar a parceria. “Os galhos acumulados pelas ruas e calçadas, depois das podas preventivas, causam transtorno para pedestres e motoristas. Além disso, representam perigo à segurança pública. A Semma não deveria ter cancelado o convênio. Indico que a prefeitura repense essa questão”, afirma Meneguzzi.

Meneguzzi solicita à Secretaria do Meio Ambiente informações sobre o Canil Municipal

julho 18, 2019

O parlamentar quer detalhes acerca da política de cuidado com os animais

Informações sobre o Canil Municipal foram solicitadas pelo vereador Alberto Meneguzzi (PSB) à Secretaria do Meio Ambiente. Os pontos estão no requerimento 103/2019, aprovado na sessão ordinária desta quinta-feira, 18 de julho. Conforme a Lei Orgânica, o Executivo terá 30 dias para enviar as respostas ao Legislativo. O autor atentou que o material pode ser remetido por meio de CD ou pendrive.

O parlamentar elencou tópicos com questionamentos. Perguntou acerca da entrevista para adoção de animais e critérios utilizados; utilização ou não de correntes; microchipagem. Apontou para a segurança do canil, pessoas responsáveis pela doação de animais. Pediu o número de animais nos canis e quantos estão presos. Indagou acerca do número de canis construídos entre janeiro de 2017 e julho de 2019 e do local onde ficam os cães idosos.

Meneguzzi também requisitou os critérios para a realização da eutanásia e quem toma a decisão sobre o recolhimento ou não de animais de rua. O vereador ainda solicitou detalhes envolvendo medicação, vacinação, manutenção de estrutura física do Canil Municipal, entre outros.

Câmara irá aderir à Agenda Ambiental na Administração Pública com digitalização de processos

julho 2, 2018

Legislativo se reuniu com representantes da prefeitura para alinhar convênio de descarte de documentos

Reunião aconteceu nesta segunda-feira – Foto Tales Armiliato

O Legislativo caxiense deliberou pela adesão à Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), programa do Ministério do Meio Ambiente. A decisão foi encaminhada na manhã desta segunda-feira (02/07), durante reunião do presidente da Câmara, vereador Alberto Meneguzzi/PSB, com a diretora-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca), Amarilda Bortolotto, e a secretária municipal do Meio Ambiente, Patrícia Rasia. A Comissão de Avaliação de Documentos da Casa também acompanhou o encontro, além de outros servidores e do diretor-geral da Casa, Rodrigo Weber.

Instituída pela Resolução de Mesa 618/A, de 21 de novembro de 2012, a Comissão foi reativada neste ano, e visa a extinção gradativa do papel na Câmara. Atualmente, o grupo formado por cinco servidores, está desenvolvendo estudos de viabilidade para a digitalização de documentos da Casa

A reunião, solicitada pelo Legislativo, teve o objetivo de alinhar um convênio entre o Parlamento e o Executivo, com a finalidade de estabelecer descartar e destruir documentos e fitas VHS.

De acordo com o coordenador do grupo de servidores que compõe a Comissão, Eduardo Reis, a Câmara está em processo de elaboração do plano de classificação e da tabela de temporalidade de documentos do Legislativo caxiense. Com isso, a Câmara mostra sua preocupação com todo o percurso, desde a produção e impressão dos documentos até sua correta destinação.

A secretária do Meio Ambiente, Patrícia Rasia, enalteceu a iniciativa do Legislativo em trabalhar a digitalização de documentos e citou a importância da adesão à Agenda Ambiental na Administração Pública, uma vez que o Executivo caxiense também estabeleceu uma comissão para tratar do assunto. Ela, inclusive, se comprometeu a buscar informações sobre a possibilidade de a Câmara buscar o programa do governo federal em conjunto com a prefeitura. “É uma questão prática que vai além da teoria”, comentou.

Sobre o descarte dos documentos, Patrícia considerou importante a movimentação da Câmara para que todos os processos sejam feitos observando as legislações ambientais. Ela irá encaminhar ao comitê responsável a demanda do envio dos documentos que não forem confidenciais às associações credenciadas junto à Cadeira Produtiva da Reciclagem. Já com relação ao VHS, a presidente da Codeca, Amarilda Bortolotto, ponderou que o Executivo não possui nenhum convênio nesse sentido, mas irá revisar o contrato com a empresa responsável pela destruição dos eletrônicos levados ao Ecoponto, para saber se há como fazer o encaminhamento. Ao todo, são 490 fitas desse tipo de mídia.

Para o presidente da Câmara, Alberto Meneguzzi/PSB, a extinção gradativa do papel é uma das prioridades da Legislatura. O processo iniciou em 2017, com a redução nas compras e deve prosseguir com os próximos presidentes. “Queremos melhorar a questão dos processos e tudo isso demanda um trabalho conjunto, por isso convidamos vocês do Executivo, para ouvir, tirar dúvidas e ver o que podemos construir juntos”, concluiu.

Além do processo de elaboração do plano de classificação e da tabela de temporalidade de documentos, a Câmara também está em processo de orçamento para a implantação de placas fotovoltaicas para a captação de energia solar.

O presidente da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (CSMA), Renato Oliveira/PCdoB e o líder de governo, vereador Chico Guerra/PRB, também acompanharam a reunião.

Meneguzzi comanda reunião com Executivo para alinhar convênio de descarte de documentos da Câmara

junho 30, 2018

Reunião da Comissão de Avaliação de Documentos deliberou pela extinção gradativa do papel

A Comissão de Avaliação de Documentos da Câmara Municipal de Caxias do Sul irá se reunir na próxima segunda-feira, 02 de julho, a partir das 09h30, com a secretária municipal do Meio Ambiente, Patrícia Rasia, e com a diretora-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul (Codeca), Amarilda Bortolotto. O encontro foi solicitado pelo presidente do Legislativo, vereador Alberto Meneguzzi (PSB), para alinhar um convênio entre o Parlamento e o Executivo, com a finalidade de estabelecer descartar e destruir documentos e fitas VHS, após a sua completa digitalização.

Instituída pela Resolução de Mesa 618/A, de 21 de novembro de 2012, a Comissão foi reativada neste ano, e visa a extinção gradativa do papel na Câmara. Atualmente, o grupo formado por cinco servidores, está desenvolvendo estudos de viabilidade para a digitalização de documentos da Casa.

O grupo tem por função elaborar, revisar e aplicar o plano de classificação e a tabela de temporalidade de documentos do Legislativo caxiense. Além disso, deve indicar ações para padronizar a produção documental, de acordo com as técnicas legais e propor políticas de difusão e acesso às informações contidas no acervo institucional.

De acordo com o presidente da Câmara, Alberto Meneguzzi (PSB), a iniciativa tem como objetivo deixar um legado para as próximas administrações, além de contribuir para a questão da sustentabilidade. “Na primeira reunião foi levantado o tema do descarte desses documentos que têm mais de duas décadas. Por isso, o grupo está viabilizando a tabela da temporalidade de guarda e a presidência está fazendo os contatos burocráticos para que tudo seja feito dentro da legalidade e das normas ambientais”, comenta.

Meneguzzi se reúne com grupo que visa implantar digitalização de documentos no Legislativo

junho 25, 2018

Encontro com Comissão de Avaliação de Documentos deliberou pela extinção gradativa do papel

A Comissão de Avaliação de Documentos da Câmara Municipal de Caxias do Sul se reuniu, na manhã desta segunda-feira, 25 de junho, com o presidente do Legislativo, vereador Alberto Meneguzzi (PSB), para dar início os estudos de viabilidade para a digitalização de documentos da Casa. O grupo é formado por cinco servidores lotados nos setores administrativo, legislativo, de informática, arquivo e protocolo, além do Centro de Memória. O diretor-geral Rodrigo Weber, também participou do encontro.

Instituída pela Resolução de Mesa 618/A, de 21 de novembro de 2012, a Comissão foi reativada neste ano, com a intenção da extinção gradativa do papel, hoje utilizados em larga escala na Câmara. A sistemática segue o modelo que está em fase de implantação no Legislativo de Porto Alegre. No encontro, também foi tratada a necessidade do descarte de documentos que já têm o tempo de guarda expirado.

Além disso será necessária a destruição de fitas VHS, onde foram gravadas as sessões do início da TV Câmara Caxias e que já estão convertidas em DVD e HD. Para isso, está marcada uma nova reunião com a presidente da Codeca, Amarilda Bortolotto, para a próxima segunda-feira, 02 de julho, com a finalidade de estabelecer um convênio. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) também será convidada.

O grupo tem por função elaborar, revisar e aplicar o plano de classificação e a tabela de temporalidade de documentos do Legislativo caxiense. Além disso, deve indicar ações para padronizar a produção documental, de acordo com as técnicas legais e propor políticas de difusão e acesso às informações contidas no acervo institucional.

De acordo com o presidente da Câmara, Alberto Meneguzzi (PSB), a iniciativa tem como objetivo deixar um legado para as próximas administrações, além de contribuir para a questão da sustentabilidade. “O que precisar ser feito vai ser feito. Não é interesse só meu, mas de toda a Legislatura. A intenção é dar continuidade nos próximos dois anos e reduzir os custos da Casa”, salienta.