Meneguzzi apoia manifestação do Ministro da Saúde: ” É hora de agir com racionalidade e não no impulso”

março 29, 2020

O vereador Meneguzzi apoia as manifestações do Ministro da Saúde feitas neste sábado, dia 28 de março. Em entrevista coletiva  Luiz Henrique Mandetta reforçou a necessidade de aumentar e uniformizar as medidas de isolamento no país para conter o novo coronavírus (covid-19).
Entre outras coisas, ele disse:
“Nós precisamos ter racionalidade e não nos mover por impulso neste momento. Nós vamos nos mover, pela ciência e pela parte técnica, com planejamento. Não é hora de carreata, de efeito manada”.

Coronavirus: Caxias do Sul tem 11 casos confirmados e prefeitura projeta que até agosto 51 mil pessoas devem estar infectadas

março 26, 2020

A prefeitura de Caxias do Sul confirmou uma informação preocupante: até agosto, 51 mil pessoas devem ser infectadas com o coronavírus em Caxias do Sul. Dessas, 41 mil devem apresentar sintomas leves, 7668 serão hospitalizados e 345 serão internados na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Essa projeção de casos de covid-19 no município, até o fim de agosto, foi apresentada em live nas redes sociais da Secretaria Municipal da Saúde na tarde desta quinta-feilra( 26). O estudo, realizado pela equipe da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde, faz parte do Plano de Contingência Municipal.

O número de casos de coronavírus  subiu para 11 (03 curados). Desses, 06 foram confirmados pelo Lacen e 05 pela rede privada. Dos quatro casos positivos que foram divulgados, um deles, um idoso de 62 está internado na UTI. Os demais estão em isolamento domiciliar.

O Município também apresentou o hospital de campanha, no Hospital Virvi Ramos, que tem capacidade para 49 leitos.

Segundo informações reveladas na live de hoje a tarde, desses 7.668 casos possíveis de internação, pelo menos 60% serão atendidos pelo SUS. Desses 7.668 existe a possibilidade real de que pelo menos 300 pessoas precisem ser internadas na Unidade de Tratamento Intensivo. Temos na cidade 100 leitos de UTIs, envolvendo toda rede, particular e privada

*Fonte: site da Prefeitura  de Caxias do Sul ( www.caxias.rs.gov.br)

Meneguzzi avalia de forma positiva o anúncio de mutirão de saúde

setembro 13, 2018

Parlamentar encaminhou quatro indicações e se reuniu presencialmente com secretários para tratar do assunto

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) avaliou positivamente o anúncio, por parte do Executivo caxiense, da realização do mutirão de saúde, que irá atender mais de 400 pessoas, com o objetivo de reduzir a fila de espera para consultas especializadas. A ação que será realizada em 30 de setembro, é uma cobrança do parlamentar desde que assumiu uma das cadeiras do Legislativo caxiense, em 2017. Ao longo de um ano e meio, foram encaminhadas quatro indicações, além de diversas reuniões presenciais com os secretários para tratar do assunto.

Em 2017, como integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara, Meneguzzi sugeriu que fosse realizado um mutirão a exemplo do município de Canoas, que em um final de semana atendeu mais de 12.000 pessoas. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), as consultas serão agendadas num domingo, 30 de setembro, no qual o transporte coletivo urbano operará com passe livre.

As especialidades contempladas serão cardiologia; dermatologia; gastroenterologia; hematologia; neurologia adulto; neurologia pediátrica; ortopedia; otorrinolaringologia e urologia. Os atendimentos serão realizados no Centro de Especialidades em Saúde (CES), que fica na rua Sinimbu, nº 2.231, no Centro.

Para Meneguzzi, a ação é meritória e revela que a realização da iniciativa também se dá a partir da mobilização da Câmara para que houvesse esse entendimento da administração municipal. “Nós indicamos isso diversas vezes e até foi dito por uma especialista, na imprensa, que um mutirão de saúde era necessário e urgente. Infelizmente, foram necessários 19 meses para que a decisão fosse tomada”, salientou.

Confere as indicações feitas por Meneguzzi sobre a necessidade da realização de um mutirão de saúde em Caxias do Sul

Indicações sobre anecessidade de ummutirão de saúde (1)

Meneguzzi reforça importância de mutirão de saúde a novo secretário da pasta

junho 16, 2018

Desde o início de 2017, o vereador indica constantemente a ação como meio para minimizar sofrimento dos caxienses

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) aproveitou a solenidade realizada no Legislativo na noite da última quinta-feira, 14 de junho, para reforçar ao novo secretário da Saúde de Caxias do Sul, Geraldo da Rocha Freitas Júnior, a importância da realização de um mutirão de saúde para reduzir as filas de espera para consultas especializadas e cirurgias. Desde o início de seu mandato, em 2017, o parlamentar tem indicado constantemente a ação como meio para minimizar o sofrimento dos caxienses.

De acordo com Meneguzzi, que já encaminhou cinco documentos à Secretaria Municipal da Saúde, a iniciativa diminuiria a espera de mais de 4.450 pacientes que aguardam cirurgias eletivas, isto é, não urgentes, e centenas de pessoas que aguardam para consultas especializadas e/ou exames pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O vereador contesta o argumento do Executivo de que não existe possibilidade para a sua realização e pediu a Júnior que dê um olhar especial à demanda. O responsável pela pasta concordou que algo precisa ser feito.

Ainda em janeiro de 2017, quando integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (CSMA) da Câmara, Meneguzzi e os demais vereadores do grupo sugeriram ao então secretário da Saúde, Darcy Ribeiro Pinto Filho a realização de um grande mutirão que reduzisse as consultas represadas, os exames e procedimentos cirúrgicos. A resposta foi negativa, pois de acordo com Pinto Filho, a pasta precisaria passar por reestruturação.

Percebendo o número de pessoas que procuravam o seu gabinete, Meneguzzi encaminhou indicação ao prefeito Daniel Guerra (PRB) e à Secretaria, onde sugeria a realização da iniciativa e citava como exemplo o mutirão realizado pelo município de Canoas, que em um final de semana realizou mais de 12.000 atendimentos. Sem respostas, repetiu a entrega do documento em 13 de abril.

Apesar da realização de um mutirão odontológico e da promessa da secretária de Saúde, Deysi Piovesan, que a execução da sugestão de Meneguzzi estava sendo planejada, em julho de 2017 e a mesma fala ter sido feita pelo próprio prefeito, em entrevista à imprensa, nada aconteceu. Nesse sentido, o vereador encaminhou pela quarta vez, indicação na qual referendava que a medida reduziria o sofrimento de muitos caxienses.

Conforme Meneguzzi, a troca de secretário pode dar um novo olhar para a situação da saúde caxiense e, por isso, é necessário indicar e sugerir novamente a realização do mutirão. Em todos os documentos encaminhados, o vereador citava a necessidade de evoluir na negociação de parcerias com as clínicas e hospitais de Caxias do Sul. “Há um ano e meio estou indicando isso, mas reduzir a fila não foi prioridade até então. Vamos aguardar e cobrar para ver se agora anda”, completa.

Meneguzzi também encaminhou a demanda à Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Casa, presidida pelo vereador Renato Oliveira (PCdoB), para que apresente formalmente a solicitação ao novo secretário.

 

Confere as indicações feitas por Meneguzzi sobre a necessidade da realização de um mutirão de saúde em Caxias do Sul

Indicações sobre anecessidade de ummutirão de saúde (1)

Em Caxias, Parlamento Regional debate a situação financeira dos hospitais que atendem ao SUS

junho 15, 2018

Vereadores foram recebidos pelo presidente da Câmara de Caxias do Sul, Alberto Meneguzzi

Representantes de nove cidades da Serra Gaúcha estiveram reunidos no Legislativo caxiense, na manhã desta sexta-feira,15 de junho, para o encontro mensal do Parlamento Regional. De início, o presidente da Câmara Municipal de Caxias do Sul, Alberto Meneguzzi (PSB), deu as boas vindas aos vereadores das cidades vizinhas e repassou o comando para o presidente do grupo e chefe do Legislativo de Bento Gonçalves, vereador Moisés Scussel (PSDB).

A temática principal do encontro deste mês foi a situação financeira dos hospitais que atendem ao SUS na Serra Gaúcha. Nesse sentido foi deliberada a elaboração de um manifesto conjunto dos Legislativos, no qual será defendida a descentralização dos procedimentos cirúrgicos dos grandes hospitais de Caxias do Sul e Porto Alegre para as instituições de saúde das cidades do interior.

Além disso, foi levantada a situação do setor vitivinícola também tratada no II Fórum de Discussão do Setor, realizado no município de Monte Belo do Sul, no mês de abril. De acordo com a constatação das lideranças do segmento, a carga tributária está facilitando a importação de vinhos. Vinícolas da região importam a bebida, com impostos reduzidos, engarrafam e rotulam como se o produto fosse local. O mercado do alho também foi discutido, uma vez que a alta da importação da planta de origem chinesa desvaloriza o agricultor.

Realizado o balanço das ações do Parlamento Regional no primeiro semestre de 2018, com a realização de cinco reuniões e quatro manifestos, foi comemorado o resultado de uma das iniciativas do grupo, que encaminhou documento pela manutenção da agência da Receita Federal do Brasil em Veranópolis, que estava em risco de fechamento e teve desfecho positivo.

Os vereadores caxienses Renato Oliveira (PCdoB) e Paula Ioris (PSDB), que presidem as comissões de Saúde e Meio Ambiente (CSMA) e Temporária Especial para o Enfrentamento da Violência respectivamente, pautaram a necessidade da atenção regional à assistência financeira das instituições de saúde. Além disso, falaram sobre a importância de um trabalho conjunto para viabilizar salas de aula e pavilhões de trabalho para os apenados.

Por fim, Meneguzzi propôs que, em um dos próximos encontros do Parlamento Regional seja realizada reunião com os pré-candidatos ao governo do Estado do Rio Grande do Sul. A intenção é conhecer seus posicionamentos sobre a questão do ICMS e dos tributos sobre o vinho, além de debater sobre o funcionamento e a sustentação do abastecimento de água da Corsan.

De acordo com o presidente do Legislativo caxiense, que foi anfitrião do encontro, o momento é propício para o diálogo e a construção coletiva do desenvolvimento da Serra Gaúcha. Os presidentes foram unânimes na opinião que o Parlamento já mostrou sua força em diversos pleitos e que é necessário fortalecer ainda mais. “Aqui em Caxias, pautamos a saúde, porque é um assunto que envolve 49 municípios e a nossa Câmara está à inteira disposição do Parlamento Regional, seja para realizar debates e encontros ou mesmo para trabalhar assuntos relacionados à comunicação”, finaliza.

O próximo encontro será realizado em 11 de julho, a partir das 14h, na cidade de Farroupilha.

Solicitação de Meneguzzi para retomada de emissão de certificado internacional de vacinação é atendida pelo Executivo

junho 7, 2018

Presidente da Câmara e Comissão de Saúde encaminharam pedido ao prefeito em fevereiro

O presidente do Legislativo caxiense, vereador Alberto Meneguzzi (PSB) recebeu, com alegria, na tarde desta quinta-feira, 07 de junho, o anúncio da retomada da expedição do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), em Caxias – o termo “profilaxia” envolve medidas para prevenir ou amenizar doenças. Encaminhado pelo parlamentar ao Executivo no dia 05 de fevereiro deste ano, o pedido para que o município voltasse a fornecer o documento recebeu a atenção das secretarias de Governo e da Saúde, que refizeram o processo, interrompido em setembro de 2017.

Na época, o serviço de emissão do CIVP foi interrompido por problemas técnicos com um computador e uma impressora cedidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A situação obrigava dezenas de caxienses a se deslocarem até Porto Alegre para retirar o documento, obrigatório para viagens internacionais.

De acordo com Meneguzzi, a Câmara fez a sua parte. Denunciou a deficiência no serviço, chamou para o diálogo e se colocou à disposição para intermediar a demanda. “Precisamos comemorar, porque é uma vitória de Caxias e que foi pautada pelo Legislativo. Lá em fevereiro, chamamos a prefeitura para expor uma situação causada por um ofício em que o gabinete do prefeito concordava com o cancelamento da emissão e pedimos que o caminho fosse refeito”, completa.

O município passará a expedir o documento na próxima semana. A solenidade de reabertura do posto emissor, que estará localizado no Centro Administrativo, será realizada na terça-feira, 12 de junho. A demanda também foi acompanhada pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente, presidida pelo vereador Renato Oliveira (PCdoB).

Câmara homenageia Hospital Geral com o Prêmio Caxias do Sul

março 19, 2018

Solenidade de entrega aconteceu no auditório da entidade, em comemoração aos seus 20 anos

O Hospital Geral (HG), mantido pela Fundação Universidade de Caxias do Sul (Fucs), foi homenageado, na tarde desta segunda-feira (19/03), com o Prêmio Caxias do Sul. O Legislativo caxiense concedeu a distinção à entidade, no dia em que comemora seus 20 anos de criação. A honraria foi proposta pela Mesa Diretora e deliberada por meio da Resolução de Mesa nº. 897/A, de 1º de março deste ano.

A solenidade foi realizada no auditório da instituição e reuniu colaboradores, gestores, representantes da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e diversas autoridades. O ato foi conduzido pelo presidente da Câmara Municipal, Alberto Meneguzzi/PSB. Os vereadores Adiló Didomenico/PTB, Edson da Rosa/PMDB, Flavio Cassina/PTB, Gustavo Toigo/PDT, Kiko Girardi/PSD, Paula Ioris/PSDB, Paulo Périco/PMDB, Renato Oliveira/PCdoB e Velocino Uez/PDT, também acompanharam a homenagem.

Na oportunidade, Flávio Cassina falou à comunidade em nome do Legislativo. Ele recordou a construção, iniciada pelo ex-governador Pedro Simon e a inauguração, em 19 de março de 1997, pelo então governador gaúcho, Antonio Britto/PMDB. Ao se referir às duas décadas de atuação, o vereador enalteceu a humanização do atendimento prestado. “É notório o cuidado com a vida e também excepcional o tratamento oncológico, de hemodiálise e demais procedimentos realizados”, sublinhou.

O parlamentar também comentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), com relação à suplementação dos planos de saúde ao Sistema Único de Saúde (SUS). O parlamentar elogiou a posição do Judiciário, que foi unânime, prevendo que os beneficiários do sistema privado tenham seu tratamento custeado pelas operadoras, quando eles forem atendidos pela rede pública. Cassina explicou que a medida será implantada a partir de um cruzamento de dados feito pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). “O HG é de todos nós e a Câmara é parceira no debate e na construção de ações que venham a contribuir com a vida financeira do hospital”, finalizou.

A entrega do Prêmio Caxias do Sul foi realizada por todos os vereadores aos gestores do HG. Logo em seguida, o diretor-geral do hospital, Sandro Junqueira, salientou que o momento é de celebração pelas duas décadas a serviço da comunidade. Citou, também, o déficit econômico-financeiro do Geral e a busca incessante, tanto da instituição, quanto da mantenedora, a Fucs, por recursos para o custeio da estrutura. “Nós primamos pela qualidade e atendemos a todos com toda a dignidade. Sabemos que o SUS tem suas deficiências, mas nós queremos continuar atendendo 100% a saúde pública. É um compromisso”, complementou.

Atualmente, o HG possui aproximadamente 1.000 colaboradores. Outros 678 estudantes de diversos cursos de graduação da UCS que atuam nas dependências da instituição, que desde 2005 é certificado como hospital de ensino da Universidade. Em pronunciamento, o reitor da UCS, Evaldo Kuiava, agradeceu o empenho de todos na busca da excelência e acreditação hospitalar. Destacou também a humanização com que atendem os profissionais que ali trabalham.

No final do encontro, o presidente do Legislativo, Alberto Meneguzzi/PSB, reiterou o orgulho que Caxias do Sul tem do Hospital Geral. “Se a Câmara saiu de lá e veio aqui, é porque o mínimo que podemos fazer é dizer obrigado”, sublinhou.

Meneguzzi representa Legislativo no encontro com ministro da Saúde e lideranças da Serra

fevereiro 9, 2018

Durante a reunião, governo federal anunciou repasse de R$ 966,5 mil ao Hospital Geral

A Câmara Municipal se fez presente na reunião de trabalho com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, realizada na noite da quinta-feira, 08 de fevereiro, no auditório do Hospital Geral (HG). O Legislativo foi representado pelo presidente, Alberto Meneguzzi (PSB). Também acompanharam o encontro os vereadores Arlindo Bandeira (PP), Edi Carlos Pereira de Souza (PSB) e Neri, o Carteiro (SD).

Alguns parlamentares participaram da comitiva de recepção ao representante do governo federal, no aeroporto Hugo Cantergiani, que depois seguiu até a Universidade de Caxias do Sul (UCS). No HG, Barros, que esteve acompanhado pelo prefeito Daniel Guerra (PRB) e por alguns deputados da bancada gaúcha na Câmara, percorreu os corredores da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), construída em sua totalidade com verda federal, e conheceu o canteiro de obras da ampliação da área de hemodinâmica da instituição.

No encontro com os prefeitos, vereadores e lideranças políticas e civis da Serra Gaúcha, o ministro prestou contas de sua gestão à frente da pasta e anunciou o repasse anual de outros R$ 966.500 para a manutenção dos serviços de saúde do HG. Estiveram presentes, além do reitor da UCS, Evaldo Kuiava, o diretor-geral do HG, Sandro Junqueira, e o diretor-geral do Hospital Pompéia, Francisco Ferrer.

“Caxias sofre com uma demanda cada vez maior e com recursos que são insuficientes. Foram apresentados tantos números e ações do Ministério em 2017, mas poucas notícias boas vieram para Caxias e região na área da saúde”, lamentou Meneguzzi.

Meneguzzi entrega denúncias de precarização do Postão ao Ministério Público

dezembro 13, 2017

Entre os problemas, falhas na escala médica e pressão sobre os servidores

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) entregou ao Ministério Público, na tarde desta quarta-feira, 13 de dezembro, denúncias que chamam a atenção por mostrarem a precarização do Pronto Atendimento 24h. De acordo com o parlamentar, a estratégia do Executivo é o fornecimento do mínimo do serviço para justificar a gestão compartilhada já prometida pelo prefeito Daniel Guerra (PRB).

No documento, Meneguzzi ilustra dois casos de vistorias realizadas por ele em 1º e 09 de dezembro. Na primeira situação, havia cidadãos aguardando por mais de seis horas para serem consultados. Além disso, conversou com servidores, que relataram a desatenção da administração com o PA. O vereador constatou, entre outras coisas, um elevador que estava quebrado há mais de uma semana e um condicionador de ar que expedia água para dentro da sala, sendo recolhida em um balde.

Já no sábado, 09 de dezembro, estavam de plantão apenas três médicos durante a tarde, com a perspectiva de atendimento de dois no plantão noturno. Assim, os servidores, tanto os médicos quanto a equipe de enfermagem, que estavam trabalhando ficaram extremamente sobrecarregados. “O caos está instaurado no SUS em Caxias e, porque é nítida a vontade da atual administração de sucatear, provocar pressão e estresse aos servidores, a fim de justificar a terceirização ou a extinção de serviços básicos à população”, salienta Meneguzzi.

A falta de profissionais e as falhas no atendimento geraram um memorando escrito pela equipe médica e de enfermagem para a coordenação de enfermagem e direção-geral do PA 24H, sobre a escala médica insuficiente. O documento exara: “Declaramos que as condições de trabalho da equipe de plantão na data de hoje foram precárias e insalubres, sobrecarregando todos os funcionários e colocando a equipe e a população em risco – e a população se queixando de um atendimento demorado”.

De acordo com o memorando, os profissionais contataram o diretor-geral do PA, solicitando a reposição de médicos ou a sua presença para plantão e não foram atendidos. O referido gestor informou que estava de sobreaviso em outro serviço.

“Não bastasse isso, a imprensa de Caxias veiculou uma matéria nesta quarta onde o Executivo diz que a grande justificativa para terceirizar o Postão é a demora no atendimento. Ora, se existe uma sindicância aberta para tratar desse assunto, um processo dito como sigiloso, e a prefeitura coloca no edital de seleção da empresa que vai gerenciar a UPA que a problemática está instaurada nos servidores e no atendimento é, no mínimo, estranho”, rebate Meneguzzi.

As denúncias foram encaminhadas à promotora Adriana Chesani, que está com o restante da documentação referente aos fatos levantados contra o IGH na administração da UPA Zona Norte, acompanhadas de provas e documentos.

Os vereadores Rafael Bueno (PDT) e Renato Oliveira (PCdoB), também integrantes da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara, também estiveram presentes e fizeram a entrega de denúncias que denotam a terceirização do Albergue Municipal.