Meneguzzi reitera necessidade de reforma política para o combate à corrupção

setembro 24, 2018

Presidente do Legislativo falou também sobre doações para campanha em reunião-almoço na CIC

O presidente do Legislativo caxiense, vereador Alberto Meneguzzi (PSB), reiterou, durante a reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) desta segunda-feira, 24 de setembro, a necessidade de uma reforma política para o combate à corrupção. A fala do parlamentar foi endossada pelo palestrante, o ex-diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello Coimbra.

Durante sua fala, Meneguzzi citou que algumas das mudanças colocadas em vigor nas eleições municipais de 2016 e as deste ano, abrem outras brechas para que a corrupção política ganhe novos adeptos. Entre essas medidas está a proibição das doações de pessoas jurídicas para o financiamento de campanha. “As empresas não podem repassar, mas a imprensa revela que muitas dessas doações são feitas pelos empresários. Isso é uma porta aberta para a corrupção”, salientou.

A temática da reunião-almoço desta semana tratou sobre “o momento brasileiro em combate à corrupção”. Na oportunidade, Daiello, que atuou por sete anos como diretor-geral da PF, falou sobre as operações policiais e o estouro dos escândalos com os políticos. Segundo ele, as investigações se concentraram sobre os doleiros e grande parte da corrupção, no Brasil, começa na família. “Existem corruptos em todo o mundo, mas aqui, quando a entrada é gratuita até os cinco anos e a criança tem seis, o pai muitas vezes manda dizer que tem cinco”, exemplificou.

Da tribuna da CIC, Daiello lamentou que o povo brasileiro se orgulhe das operações da PF. De acordo com o ex-diretor-geral do órgão, a consciência deveria ser a de extinguir a corrupção e não comemorar a cada nova prisão. Por fim, disse que a população não deve condenar os poderes políticos, mas deve ser consciente ao eleger quem pode mudar a história do Brasil. “Desde os anos 1990, a legislação tem mudado e facilitado as investigações. Então, que a gente reconheça a nossa importância e a importância do poder político”, concluiu.