Alberto Meneguzzi propõe que Orquestra de Sopros vire patrimônio imaterial de Caxias

fevereiro 4, 2020

Status garantiria orçamento público para as atividades do grupo musical

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB protocolou, nesta terça-feira (04), um projeto de lei que visa reconhecer a Orquestra Municipal de Sopros como Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Município. A proposição tem o apoio dos vereadores Denise Pessôa/PT, Edi Carlos Pereira de Souza e Wagner Petrini/PSB, Felipe Gremelmaier e Gladis Frizzo/MDB, Kiko Girardi/PSD e Rafael Bueno/PDT.

Na justificativa, Meneguzzi ressalta que a Orquestra Municipal de Sopros é considerada como um dos mais importantes grupos musicais de Caxias do Sul, atuando com um repertório popular e erudito. Ela foi fundada em 1997, desde quando tem desenvolvido uma significativa atividade artística e cultural na cidade, atingindo, anualmente, uma média de público de cerca de 35 mil expectadores.

É fundamental a manutenção das atividades do grupo, garantindo a disponibilização dos recursos públicos necessários para este fim, já que a Orquestra representa a excelência da arte musical e da cultura caxiense,” alega Meneguzzi.

Ouça a notícia em podcast

Meneguzzi propõe transformação da Orquestra de Sopros em patrimônio imaterial de Caxias

janeiro 6, 2020

Parlamentar intermediou reunião de integrantes com o Executivo

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB protocolou, nesta segunda-feira (06), uma Indicação, sugerindo que o Executivo transforme a Orquestra Municipal de Sopros em Patrimônio Imaterial do Município. A proposição surgiu depois de ma reunião intermediada pelo parlamentar, no dia 29 de dezembro do ano passado com o então prefeito interino Flavio Cassina/PTB. Junto com Meneguzzi estiveram representantes da Orquestra. Eles foram levar ao Executivo, a preocupação com o futuro do órgão cultural.

A preocupação dos músicos levou Meneguzzi a propor a inclusão da Orquestra no patrimônio público municipal. “A Orquestra de Sopros é um importante órgão no cenário cultural do Município. Se trata de uma medida para assegurar a continuidade e a disponibilização de recursos para garantir o pleno funcionamento do grupo musical”, ressalta Meneguzzi que não descarta a possibilidade de entrar com um projeto de lei com relação ao tema.