Meneguzzi repudia críticas do prefeito Guerra à imprensa caxiense

julho 30, 2019

Para o vereador, chefe do Executivo não sabe dialogar e coloca a culpa desses problemas de comunicação nas costas dos profissionais e veículos

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) repudiou, nesta terça-feira, 30 de julho, as ofensas do prefeito Daniel Guerra (PRB) aos veículos de imprensa. Segundo o parlamentar, o chefe do Executivo não sabe dialogar a coloca a culpa dassas falhas de comunicação nas costas dos profissionais e veículos. Em suas redes sociais, Guerra publicou que sua gestão economizou mais de R$ 4 milhões não fazendo propaganda de seu governo em veículos de imprensa. Entretanto, não consegue explicar onde, de fato, este dinheiro poupado foi investido nas áreas de saúde de educação.

Não é a primeira vez que Guerra vai às redes sociais falar mal da imprensa. Em outras duas ocasiões, o prefeito se manifestou negativamente em relação à comunicação, sendo uma delas o compartilhamento do link de uma notícia falsa. “Ele ofende, de forma frequente, a todos profissionais locais quando diz que a imprensa não trabalha de forma séria. Ofende, inclusive, os jornalistas capacitados que trabalham com ele”, aponta Meneguzzi.

Meneguzzi, que é jornalista, relações públicas e trabalhou por décadas em emissoras de rádio da Serra Gaúcha, recorda que a imprensa não é perfeita, tem também seus erros e suas falhas. No entanto, segundo ele, quando os veículos de comunicação são atacados sistematicamente por quem governa, é um sinal de perigo. “O ataque sistemático à imprensa, é um álibi dos omissos. Uma imprensa livre é garantia do estado de direito”, explica.

Para Meneguzzi. o prefeito deveria usar o seu tempo para se comunicar melhor com a população, através dos próprios veículos de comunicação que Caxias do Sul possui. Segundo ele, se não o faz, se não atende pedidos de entrevistas, é por medo de perguntas e de questionamentos. “Uma lástima que tenhamos de um prefeito, eleito legitimamente pelo povo, através do voto e da democracia, uma postura autoritária e antidemocrática”, conclui.

Após pedido de Meneguzzi, ARI Serra Gaúcha repudia manifestação do prefeito Guerra

fevereiro 27, 2019

Entidade que representa empresas de comunicação ressaltou que irá pedirá para MP investigar a publicação

A Associação Riograndense de Imprensa – Seccional Serra (ARI Serra) emitiu nota oficial, na tarde desta quarta-feira, 27 de fevereiro, na qual repudia a manifestação do prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB), em suas redes sociais, onde deprecia a imprensa e diz que a “mamata” acabou. A medida se deu após o pedido do vereador Alberto Meneguzzi (PSB), na sessão do último dia 20 de fevereiro e reiterada na plenária da terça-feira, 26.

Na sessão ordinária da Câmara Municipal da manhã desta quarta-feira, 27 de fevereiro, o representante do Sindicatos dos Jornalistas Profissionais do RS, Roberto Carlos Dias, esteve no plenário da Casa e destacou que a publicação de Guerra afronta e agride o livre exercício da profissão, sugerindo censura e cerceamento por parte do chefe do Executivo. Segundo o dirigente, o jornalista tem direito e dever de tornar públicas informações positivas ou negativas sobre qualquer administração, a fim de alertar a comunidade.

Confira a nota da ARI Serra Gaúcha

NOTA DE REPÚDIO

A Associação Riograndense de Imprensa – ARI Serra Gaúcha repudia a manifestação do prefeito de Caxias do Sul no último dia 20. Em postagem em sua rede social, Daniel Guerra escreveu, em referência a um texto que circulava, sem autoria esclarecida: “Se a imprensa grita contra? É sinal de que é bom….”. E completou: “Com a gente aqui a mamata deles também acabou. Imperdível o texto, igual ao que ocorre em Caxias!”.

A seccional local da ARI solicita que o chefe do Executivo se retrate. A entidade também encaminhará ao Ministério Público a manifestação do prefeito e pedirá investigação sobre a referida “mamata”. A ARI Serra desconhece qualquer tipo de beneficiamento e entende que, se é do conhecimento do prefeito qualquer ilegalidade, é obrigação do mesmo denunciar ao MP e cobrar investigação. Havendo culpados, devem ser responsabilizados. Em não havendo, a responsabilidade recai sobre o prefeito. A generalização macula o nome de todos da imprensa, o que é inaceitável, visto o valoroso trabalho prestado, conforme a história e o dia a dia comprovam.

A ARI Serra esclarece à sociedade que a postura hostil de políticos à imprensa nada mais é do que a intenção de tirar o foco da fiscalização sobre o poder público, um dever inerente à profissão jornalística. Essas atitudes não nos impedirão de levar ao conhecimento do público os fatos, papel fundamental que cumprimos honradamente à democracia e à sociedade.

Associação Riograndense de Imprensa – ARI Serra Gaúcha

 

Confira a manifestação do Sindicato dos Jornalistas

Meneguzzi critica publicação em que prefeito Guerra despreza a imprensa caxiense

fevereiro 20, 2019

Vereador se posicionou contrário à postagem durante sessão legislativa e pediu à ARI Serra e ao Sindicato dos Jornalistas que se posicionem

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) se manifestou durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 20 de fevereiro, e criticou a publicação do prefeito Daniel Guerra (PRB), em suas redes sociais, na qual despreza a imprensa de Caxias do Sul. A postagem foi realizada no último dia 15, e remete a um blog onde está escrito: “Se a imprensa grita contra? É sinal de que é bom….”. Na legenda de sua página no Facebook, ele completa: “Com a gente aqui a mamata deles também ACABOU Imperdivel o texto, igual ao que ocorre em Caxias!”.

Para Meneguzzi, apesar de não citar explicitamente os jornais e demais empresas de comunicação de Caxias do Sul, Guerra desrespeita os veículos de imprensa e os profissionais que lutam pela verdade dos fatos e buscam dar à comunidade a possibilidade de pensar e refletir. “Lamento que o prefeito coloca todos os colegas da imprensa numa vala comum. Existe um movimento aqui em Caxias e também no Brasil todo, contra o jornalismo sério. Quando o prefeito faz isso, ofende a todos os jornalistas”, salientou.

Meneguzzi, que é jornalista e relações públicas, enviou ofício à Associação Riograndense de Imprensa, seccional Serra Gaúcha e ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, para que se posicionem oficialmente a respeito do caso.

Diário da Presidência – 23/01/2018

janeiro 23, 2018

Gabinete da Presidência

Vereador Alberto Meneguzzi

23 de janeiro de 2018

08h30 – Meneguzzi conduziu a 11ª Sessão Representativa da XVII Legislatura, a terceira transmitida pela página do Facebook da Câmara Municipal de Caxias do Sul. A sessão durou 1h45. Neste tempo, o Face Live alcançou mais de 2,4 mil pessoas, com quase 800 visualizações. Foi apreciada a moção 1/2018, em repúdio à Lei que obriga o uso de faróis acesos, mesmo durante o dia, nas rodovias.

11h – Visita institucional da Mesa Diretora (Alberto Meneguzzi, Ricardo Daneluz, Gladis Frizzo e Renato Oliveira), diretor-geral Rodrigo Weber e do chefe de comunicação Tales Armiliato, à RBS TV, sendo recebidos pelo jornalista Jean Prado e na rádio Gaúcha Serra, sendo recebidos pele repórter Flávia Noal. Em ambos os locais, foram entregues exemplares do do livro “Democracia, Memória e Cidadania: 125 anos do Poder Legislativo em Caxias do Sul”.

13h30 – Visita institucional da Mesa Diretora (Alberto Meneguzzi, Ricardo Daneluz e Renato Oliveira), diretor-geral Rodrigo Weber e do chefe de comunicação Tales Armiliato, Tua Rádio São Francisco e Maisnova FM. A comitiva foi recebida pelo diretor-geral, frei Álvaro Morés, gerente-geral, Eron Voesh e coordenadores da Tua Rádio, Daniel Rodrigues e Maisnova, Maurício Pretto. Ali também foram entregues exemplares do do livro dos 125 anos da Câmara. 

14h15 – Visita institucional da Mesa Diretora (Alberto Meneguzzi, Ricardo Daneluz e Renato Oliveira), diretor-geral Rodrigo Weber e do chefe de comunicação Tales Armiliato, à Rádio Viva, Portal Leouve e Rádio Jovem Pan em Caxias. O grupo foi recebido pelo repórter Maicon Rech, que também recebeu um exemplar do livro.

15h – Visita institucional da Mesa Diretora (Alberto Meneguzzi, Ricardo Daneluz e Renato Oliveira), diretor-geral Rodrigo Weber e do chefe de comunicação Tales Armiliato, à redação do jornal Pioneiro, sendo recepcionados e entrevistados, sobre os temas polêmicos e a relação entre o Legislativo e o Executivo pelos jornalistas André Tajes, Rosinele Pozza e Juliana Bevilaqua. Cada um dos jornalistas recebeu um exemplar do livro, sendo um deixado para o editor de Política, Ciro Fabres.