Meneguzzi comemora anúncio da retomada da emissão do certificado de vacinação da febre amarela

março 25, 2018
Demanda foi entregue pelo presidente da Câmara ao Executivo no início de fevereiro
O presidente da Câmara Municipal de Caxias do Sul, vereador Alberto Meneguzzi (PSB), comemorou o anúncio da retomada da emissão do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), no município ainda no primeiro semestre de 2018. Em 05 de fevereiro, o parlamentar encaminhou a demanda ao secretário de Governo da prefeitura, Luiz Eduardo da Silva Caetano, depois de receber informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que um ofício do gabinete do prefeito Daniel Guerra (PRB) concordava com a interrupção do serviço, em setembro de 2017. A ação da administração obriga o deslocamento de dezenas de caxienses até Porto Alegre para retirar o documento, obrigatório para viagens internacionais.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da prefeitura, a tendência é que a emissão seja reativada no primeiro semestre de 2018. À imprensa, o Executivo informou que um setor específico será montado no prédio do Centro Administrativo Municipal para atendimento à população. O serviço de emissão do CIVP foi interrompido em setembro de 2017, por problemas técnicos com um computador e uma impressora cedidos pela Anvisa.

Para Meneguzzi, a ação do Executivo de extrema importância para dar melhor atendimento aos caxienses e reparar o erro de concordar com a interrupção do serviço. “Quando ficamos sabendo, por meio da Anvisa, que nos enviou cópia o ofício do gabinete do prefeito, avalizando o fim do serviço, logo fizemos contato e entregamos essa demanda ao secretário de Governo e acionamos a Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara”, comenta.

O presidente do Legislativo recorda, também que Caxias do Sul era a única cidade do interior gaúcho a contar com o serviço, interrompido por falta de comunicação e bom senso. “Os caxienses não podem perder tempo indo até Porto Alegre. Aguardemos até o início efetivo da emissão do documento”, conclui.