Após a greve, gasolina sofreu aumento na maioria dos postos caxienses, aponta ranking de Meneguzzi

junho 8, 2018

Diesel teve redução em grande parte dos estabelecimentos, de acordo com a ordem do governo federal

O gabinete do vereador Alberto Meneguzzi (PSB) divulgou, na manhã desta sexta-feira, 08 de junho, nova edição do levantamento dos preços praticados pelas revendas de combustíveis de Caxias do Sul. De acordo com o ranqueamento semanal, a gasolina sofreu nova elevação se comparado ao mapeamento divulgado em 17 de maio, o último anterior à greve dos caminhoneiros. O litro da gasolina comum é vendido, na cidade, com uma variação de R$ 4,729 a R$ 4,899. Já a aditivada chegou aos R$ 4,989.

O etanol também registrou majoração, no entanto, grande parte das revendas caxienses ainda não dispõem desse combustível, mesmo com o fim da paralisação dos caminhoneiros. Por outro lado, o diesel sofreu redução na maioria dos postos que forneceram os preços, sendo comercializado – no tipo S500 (comum) – com o valor mínimo de R$ 3,179.

As pesquisas foram realizadas na quinta-feira, 07 de junho, sendo esse levantamento divulgado por Meneguzzi desde o início de dezembro de 2017. O aplicativo Acredita Caxias, lançado pelo vereador, conta com um menu específico para receber denúncias de propaganda enganosa ou de preços acima da média.

 

Ranking dos Postos 07-06-18

 

Confere um infográfico com a variação de preços desde dezembro de 2017. Percebe a elevação do preço mínimo da gasolina comum nas últimas semanas.

Variação dos preços (1)

Câmara analisa viabilidade de proposição de Meneguzzi que obriga postos a exporem reajustes

dezembro 6, 2017

Vereador argumenta aumento rápido e redução lenta nos preços de derivados de petróleo

O plenário da Câmara irá votar, nesta quinta-feira, 07 de dezembro, a viabilidade do Projeto de Lei Complementar 16/2017. De autoria do vereador Alberto Meneguzzi (PSB), a matéria procura dar mais clareza aos processos de majoração e redução nos preços praticados pelas revendas de derivados de petróleo em Caxias do Sul. A proposta do parlamentar é que os postos de combustíveis exponha, de foma visível, com antecedência mínima de 36h, o percentual e o valor a ser majorado ou reduzido.

“Esses dias, vi uma fila em um dos postos aqui, e pensei: nossa, a gasolina deve estar R$ 3,50. É R$ 4,20 para cima. Por isso, protocolei esse projeto ainda em maio e vamos discuti-lo aqui na Câmara. Vou insistir nele, porque nas reportagens de TV falam que o combustível também baixa o preço, mas não se vê. Os postos não anunciam isso. Mas para elevar os preços sim”, argumenta Meneguzzi.

Ler mais