Meneguzzi pede informações sobre valores do estacionamento rotativo repassados à FAS

janeiro 31, 2019

Requerimento apura ainda como é feito o estudo de impacto para a cobrança das vagas nas vias

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) protocolou, na manhã desta quinta-feira, 31 de janeiro, pedido de informações ao Executivo sobre a gestão do Estacionamento Rotativo Regulamentado (ERR), instalado na zona central de Caxias do Sul. Entre os questionamentos está o montante de recursos repassados à Fundação de Assistência Social (FAS), nos anos de 2013 a 2018, além do faturamento do da exploração do serviço, feito pela empresa Rek Parking, no mesmo período.

Formado por oito questionamentos, o documento também apura como é feito o estudo de impacto para a cobrança das vagas nas vias. Em outras palavras: como a Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM) delibera sobre o estacionamento pago nas ruas, se há um diálogo com os comerciantes, moradores e com a comunidade.

A intenção de Meneguzzi é verificar se, quase dois anos após a Operação Parcheggiare, do Ministério Público, a Rek Parking, exploradora do serviço, cumpre o que é previsto em Lei e também se a SMTTM fiscaliza a ação da empresa. “As vagas pagas vão ser aumentadas na avenida Júlio, até a rua Teixeira Mendes. Será que há essa demanda mesmo? Além disso, quantos funcionários têm essa empresa, porque em alguns dias você não os vê”, questiona.

O requerimento ainda pede a relação das ruas que possuem ERR, quantos parquímetros estão em funcionamento e o número de usuários do aplicativo Digipare, em Caxias. “Também pergunto sobre a quantidade de notificações e multas aplicadas pela empresa e pela SMTTM relacionadas ao estacionamento, bem como o valor arrecadado e a sua destinação. Precisamos fiscalizar, cobrar, porque a demanda da FAS sempre aumenta. Então imagine o quanto desse dinheiro, em um ano pode ser repassado para a Fundação de Assistência Social e quanto pode ser repassado para abater o valor da tarifa do transporte coletivo, que é o que diz a lei”, comenta o vereador.