Meneguzzi realiza visita às empresas que receberão Selo Empresa Inclusiva

agosto 21, 2018

Presidente do Legislativo se encontrou com a presidência da Associação São Carlos e a direção da Eaton

O presidente do Legislativo caxiense, Alberto Meneguzzi (PSB), realizou visitas nesta terça-feira, 21 de agosto, às organizações que serão homenageadas com o Selo Empresa Inclusiva 2018. O parlamentar se reuniu, ainda pela manhã, com a presidente da Associação Educadora São Carlos (AESC), Irmã Helena Ferrarini, onde conheceu a entidade, que é mantenedora de obras como o Centro de Atendimento ao Migrante (CAM) e Colégio São Carlos, dentre outras. Ele apresentou a honraria que será entregue durante a sessão ordinária da quarta-feira, 22 de agosto.

No período da tarde, Meneguzzi visitou as dependências da Eaton Corporation. A empresa multinacional, com sede em Dublin, emprega 422 funcionários em Caxias do Sul, das quais 25 são pessoas com deficiência. Além disso, a organização desenvolve frentes de trabalho para a inclusão de mulheres e jovens nas mais diversas funções. O representante do Legislativo foi recebido pelos gerente-geral da unidade, Luciano Beltrame, e pelos gerentes da fábrica, Bruno Andrade, da engenharia, Rafaela Fernandes, e de Recursos Humanos, Rosangela Schmachtenberg.

Durante a visita, Meneguzzi colocou a estrutura da Câmara Municipal à disposição da empresa e salientou a importância de ouvir e visualizar novos projetos, além de possibilitar a troca de experiências. O parlamentar revelou que irá sugerir à Escola do Legislativo a realização de momentos para compartilhar informações e cases realizados pela Eaton. “Quando a gente sai de si e visita outros espaços, aprende novas técnicas, novos jeitos de trabalhar a inclusão e a construção de uma sociedade melhor. O Parlamento tem muito a aprender”, pontuou.

O Selo Empresa Inclusiva foi instituído pelo decreto legislativo 283/A, de 22 de maio de 2012, a partir da iniciativa da vereadora Denise Pessôa/PT. Em 2017, com o Decreto Legislativo 362, o selo passou a ser entregue a cada dois anos, sempre nos pares. As indicações partem da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Segurança (CDHCS), em conjunto com uma comissão formada também por outras entidades, como o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).