Meneguzzi Nenhum comentário

Vereador solicitou que a Secretaria da Saúde fiscalize o IGH após denúncias de demora e mau acolhimento

Desde novembro de 2017, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) aponta que a gerência do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que administra a Unidade de Pronto Atendimento da Zona Norte (UPA), não consegue prestar um serviço de excelência à comunidade caxiense. Tanto é que já existe um inquérito civil no Ministério Público Estadual em trâmite desde dezembro daquele ano, após o recebimento das denúncias do parlamentar.

E nesta terça-feira, 15 de janeiro, ele protocolou ofício endereçado ao secretário Júlio Freitas da Rosa pedindo que a pasta fiscalize a prestadora de serviços e garanta o bom atendimento, que é de direito dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). O documento, também encaminhado ao MP, para ser anexado ao inquérito, remete ao último sábado, dia 12, quando uma jovem permaneceu por quatro horas aguardando para a consulta. As denúncias, além da demora, dão conta de grosserias por parte de atendentes e superlotação da Unidade. Após passar pela avaliação médica, ela chegou a desmaiar na fila onde esperava para ser medicada.

De acordo com Meneguzzi, é uma obrigação da Secretaria da Saúde fiscalizar a atuação da empresa que recebe R$ 1,8 milhão por mês dos cofres municipais. “As reclamações já existiam em 2017 e depois do fechamento do Postão 24h, várias pessoas já nos acionaram e contataram demais vereadores falando sobre demora e superlotação na UPA. Nosso pedido é que fiscalizem o atendimento dessa empresa. Sabemos que a prefeitura firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) garantindo os atendimentos, para poder fechar o PA. Que esse TAC seja cumprido”, exige o vereador.

O parlamentar também irá encaminhar a demanda para a Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *