Meneguzzi 2 Comentários

Serão apuradas denúncias de falta de medicamentos, insumos e descumprimento de contrato

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) percebeu como importante a abertura de inquérito civil contra o Instituto de Gestão e Humanização (IGH), sobre irregularidades apontadas por funcionários e ex-colaboradores da entidade na administração da Unidade de Pronto Atendimento da Zona Norte (UPA Zona Norte). A matéria das investigações é fruto de ofícios e gravações encaminhadas pelo parlamentar ao Ministério Público Estadual em 10 e 22 de novembro, 12 e 13 de dezembro.

“Nós gravamos, conversamos, com o pessoal, checamos bem as informações e visitamos a UPA na noite da última terça-feira, dia 12, onde constatamos a veracidade de uma série dessas irregularidades. A promotora Adriana Chesani nos pediu provas e encaminhamos os áudios das conversas e fotos da vistoria. É importante esclarecer que ninguém é contra a UPA, mas o bom atendimento não pode custar o sangue dos funcionários e nem a falta de materiais e insumos. É dinheiro público colocado ali, são quase R$ 2 milhões por mês”, resume Meneguzzi.

As denúncias do vereador abordavam questões trabalhistas e descumprimentos da CLT, a falta de insumos, medicamentos, protocolos de atendimento, linhas telefônicas e do descumprimento do contrato de gestão compartilhada assinado pelo IGH com o município em 14 de agosto de 2017. O vereador também relatou, na tribuna, a quarteirização, ou seja, a subcontratação de empresa de Erechim para gerir as escalas de pediatria. Além disso, o setor estaria operando com o número de pediatras abaixo do necessário. O restante do atendimento seria feito por clínicos gerais. A falta de compressas para limpeza de ferimentos e a reutilização de lençóis em diversos atendimentos também foi observada.

“Não recebemos qualquer resposta da Prefeitura ou do IGH sobre essas demandas. Por meio da imprensa a Secretaria da Saúde disse que tudo foi apurado e que não há irregularidades. Considero isso também um desrespeito com o Legislativo, pois as representações foram feitas por um vereador, com a anuência do presidente da Comissão de Saúde e Meio Ambiente, que acompanhou a vistoria”, salienta Alberto Meneguzzi.

— 2 comentários —

    • Cristina, obrigado pelo teu comentário!
      O atendimento no Postão precisa melhorar e essas denúncias e contatações de servidores ao celular precisam ser corrigidas, mas a administração terceirizada me preocupa sobretudo porque temos o exemplo da UPA, onde o IGH recebe R$ 1,8 milhão por mês e está com falta de materiais e quitando o salário dos funcionários em desacordo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *