Meneguzzi Nenhum comentário

Parlamentar entregou cópias das folhas do relógio ponto, que apontam mais de 20 horas extras ao mês, de um único profissional

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) protocolou, na tarde desta quinta-feira, 22 de agosto, pedido à Corregedoria-Geral do Município para que investigue e abra sindicância para apurar as horas extras de um único profissional médico, aos sábados, no Centro Especializado em Saúde (CES). O pedido de averiguação se deu depois de o parlamentar ter recebido as respostas ao requerimento de informações feito por ele à Secretaria Municipal da Saúde sobre a atuação daquela unidade e da carga horária de seu efetivo de médicos.

No documento, Meneguzzi explica que recebeu denúncias de que havia um profissional médico que estava realizando plantões extras aos sábados no CES, quando o local não abre para atendimento à comunidade. Por isso fez um pedido de informações à Secretaria Municipal da Saúde sobre os horários de atendimento do CES e o que fazem os médicos aos sábados, bem como o registro dos pontos.

De acordo com a pasta, aos sábados é feita a triagem e também a interpretação de eletrocardiogramas. No entanto, Meneguzzi estranha o fato de, no período de janeiro a junho de 2019, apenas um profissional médico ter feito horas extras. Há meses em que esse profissional realizou mais de 20h de plantão aos sábados. Por coincidência, esse médico é esposo da diretora do CES.

Meneguzzi já levou o assunto ao plenário da Câmara e disse que buscaria esclarecer a situação, tendo em vista, sobretudo, que há emprego de dinheiro público. “É suficiente apenas um médico para fazer todos esses procedimentos que foram fornecidos pela Secretaria da Saúde no CES? Outra pergunta que eu faço: Por que sempre o mesmo médico? Sempre o mesmo médico, marido da diretora do CES, fazendo hora extra todos os sábados? Se é tão importante assim, e é pela justificativa da Secretaria da Saúde, por que outros médicos não são colocados na escala de trabalho do CES aos sábados?”, indaga.

As folhas ponto recebidas não foram assinadas pelo secretário Júlio Freitas, mas foram recebidas pelo vereador como documentos oficiais do Executivo caxiense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *