Meneguzzi Nenhum comentário

Vereador também lutou por políticas públicas para a capacitação profissional e geração de emprego, principalmente, para os jovens

Uma das maiores lutas do primeiro mandato do vereador Alberto Meneguzzi/PSB foi pela qualidade da prestação dos serviços públicos de saúde e de educação. Desde 2017, denunciou o descaso praticado pelo Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que operou a UPA Zona Norte, até o ano passado, baseado em informações recebidas de funcionários e usuários do SUS. “Foram dezenas de denúncias encaminhadas ao Ministério Público Federal e Estadual, Cremers e Ministério do Trabalho sobre mau atendimento da população e infração da legislação trabalhista, como atos de assédio moral aos trabalhadores”, ressalta.

Meneguzzi também denunciou problemas na gestão da UPA Central (antigo Postão), por parte do InSaúde, principalmente, este ano, por causa da pandemia. “Como integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente, foram dezenas de vistorias, inclusive, de madrugada, verificando denúncias, como morosidade no atendimento, entre outras. Este ano, tivemos situações que envolveram o descumprimento das medidas de prevenção ao Coronavírus, como festas e confraternizações na UPA Central, por exemplo”, destaca.

O parlamentar também integrou a Comissão de Educação, onde entre várias ações, articulou pela manutenção do Senai José Gazola e a utilização do espaço físico como um centro de capacitação profissional para jovens. Além disso, foi autor do projeto do Programa Municipal do Primeiro Emprego, aprovado este mês pelo plenário, favorecendo o ingresso de jovens no mercado de trabalho e concedendo incentivos fiscais para empresas que aderirem ao programa.

Também lutei pela geração de emprego e renda para a população, principalmente, pelo acesso às informações sobre vagas. Idealizei o projeto de lei que criou a Agência Municipal de Emprego, aprovado pela Câmara, mas o prefeito cassado recorreu à Justiça e não implantou o órgão, que seria um auxiliar do FGTAS/Sine, na busca e intermediação de mão de obra”, ressalta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *