Alberto Meneguzzi articula parceria para a implantação da Agência Municipal de Emprego

janeiro 16, 2020

Cooperação entre Estado e Município é uma das alternativas para implantar o novo órgão público

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se reuniu, nesta quinta-feira (16), com o coordenador regional da Agência de Desenvolvimento Social (ADS) da Fundação Gaúcha do Trabalho e Assistência Social (FGTAS), Luiz Eduardo Caetano. O objetivo foi tratar de uma alternativa para a implantação da Agência Municipal do Emprego (AME). O projeto de autoria de Meneguzzi foi aprovado e promulgado pela Câmara de Vereadores, em outubro do ano passado, com a finalidade de incrementar a cadeia de captação e divulgação de vagas de emprego.

A proposta é que a AME seja implantada por meio de uma parceria entre o Município e o Governo do Estado. Com isso, a FGTAS cederia o espaço físico, no prédio onde funciona a agência do Sine, na avenida Julio de Castilhos e a Prefeitura disponibilizaria o pessoal necessário para as atividades. Além disso, os dois entes federados poderão, de forma conjunta, buscar recursos públicos nas três esferas governamentais, para a realização de projetos de capacitação profissional e captação de vagas no mercado de trabalho.

A lei que criou a Agência foi promulgada há três meses e o governo anterior não se manifestou em implantá-la. Acredito que a parceria com o Estado será fundamental para o alcance dos objetivos. Estamos com cerca de 30 mil desempregados em Caxias e precisamos adotar ações conjuntas e urgentes, que visem promover o acesso ao mercado formal de trabalho para essas pessoas”, ressalta.

A proposta será levada ao prefeito Flavio Cassina/PTB. Ficou acertada a marcação de uma reunião com o Executivo, com a participação de representantes do Sine/FGTAS, órgão responsável pelo serviço público de intermediação de mão de obra. Caso acolhida pelo Executivo, será firmado um Termo de Cooperação entre a Prefeitura e o governo estadual. No encontro, Meneguzzi ainda apresentou o projeto de lei que cria o Programa Municipal do Primeiro Emprego (PMPE). A matéria tramita nas comissões legislativas e ainda não tem data para entrar na pauta de votação.

Ouça a notícia em podcast

Meneguzzi pede mais transparência na terceirização da saúde pública de Caxias

janeiro 16, 2020

Parlamentar defende a fiscalização rigorosa dos contratos com IGH e InSaúde

Os contratos de terceirização das duas UPAs de Caxias do Sul foram os principais temas de um encontro entre o vereador Alberto Meneguzzi/PSB e a secretária municipal interina de Saúde, Marguit Weber Meneguzzi. A reunião ocorreu nesta quinta-feira (16), na sede do órgão. A finalidade também foi tratar de vários assuntos ligados à rede pública, como o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

Alberto Meneguzzi solicitou à secretária que os contratos com o Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que administra a UPA Zona Norte e com o Instituto nacional de Pesquisa e Gestão em Saúde (InSaúde), que opera a nova UPA Central, sejam fiscalizados com rigor. Além disso, que o Executivo promova total transparência, principalmente, ao investimento que estas duas empresas fazem do recurso público pago pelo Município.

Desde a abertura da UPA Zona Norte, em 2017, tenho recebido e encaminhado ao Ministério Público, dezenas de denúncias de irregularidades praticadas pelo IGH, dos pontos de vista trabalhista e operacional. O governo anterior terceirizou também a UPA Central, que já abriu com deficiência de atendimento. Solicitei à secretária Marguit, que a nova gestão aperte a fiscalização no cumprimento dos contratos, pois envolvem recursos públicos. Só o IGH já recebeu mais de R$ 53 milhões do Município”, salienta.

Marguit informou que nesta quinta-feira (16) ocorreria uma reunião com representantes do Município e do InSaúde, a fim de formar a Comissão de Avaliação e Fiscalização do contrato. O grupo de trabalho também será responsável por identificar possíveis inconformidades no cumprimento do contrato e sugerir soluções.

Meneguzzi também solicitou a atenção da secretária com relação a problemas apontados nas UBSs. Entre eles, a demora na manutenção de equipamentos e a reposição e substituição de profissionais.

Ouça a notícia em podcast

 

Meneguzzi considera grave a denúncia de omissão de atendimento na UPA Central e pede providências urgentes ao Executivo

janeiro 15, 2020

Caso revela a precariedade operacional do novo serviço de emergência de Caxias do Sul

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB repercutiu a denúncia do presidente do Conselho Municipal de Saúde (CMS), Alexandre Silva, veiculada por meio de rede social, onde uma criança com um ferimento na cabeça, teria tido o pronto atendimento negado pela direção do Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão em Saúde (InSaúde), que administra a UPA Central – antigo Postão 24 Horas. A justificativa foi de que não há serviço de pediatria no local e a referência desta modalidade é a UPA Zona Norte. No vídeo, Silva informa que a criança teve que ser atendida pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), cuja sede fica nos fundos do prédio da UPA. Não há imagens do atendimento, em cumprimento ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Conforme Meneguzzi, o fato revela a precariedade do atendimento da UPA Central, pela empresa terceirizada na gestão do prefeito cassado, Daniel Guerra. “A UPA foi aberta a toque de caixa, na véspera da sessão que julgou o impeachment do ex-prefeito, de forma politiqueira, sem a quantidade de médicos suficientes para atender a demanda. Além disso, sem a pediatra, que foi prometida para funcionar a partir do último dia 6 de janeiro. Entretanto, até agora, a terceirizada não cumpriu este compromisso. Enquanto a terceirizada recebe valor integral pelo atendimento incompleto, o cidadão é quem paga a conta do sofrimento pela falta do serviço e do dinheiro público empregado nesta empresa privada”, afirma. Ainda segundo o parlamentar, faltou mais divulgação sobre a ausência de serviço pediátrico na UPA Central.

De acordo com o Portal da Transparência, o InSaúde já recebeu R$ 1.701.937,09 do Município. Deste total, o valor de R$ 723.483,55, a título de custeio de implantação (investimento inicial), foi pago no dia 19 de novembro do ano passado. O valor foi repassado pelo Executivo, 30 dias antes da abertura da UPA, ocorrida em 19 de dezembro. Um outro empenho de R$ 978.453,54 foi quitado no dia 7 de janeiro deste ano. Conforme o contrato, assinado em 30 de outubro de 2019 e válido por um ano, o InSaúde vai receber, mensalmente, R$ 1.956.907,07. O total da contratação é de R$ 24.206.368,39.

Vereador lamenta falta de segurança no interior de Caxias do Sul

janeiro 14, 2020

Alberto Meneguzzi questiona planejamento de ações de segurança no interior

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se manifestou, na sessão representativa desta terça-feira (14), sobre a falta de segurança no interior de Caxias. O parlamentar lamenta a situação, que resultou em um assalto ocorrido no dia 06 de janeiro, na propriedade do ex-vereador Raimundo Bampi, na localidade de São Virgílio. As vítimas foram levadas para o banheiro, amarradas e torturadas.

Nosso interior não tem segurança. Duvido que alguma viatura da Brigada Militar circule por lá. Estamos em pleno período de colheita de uva, o agricultor vai para lavoura, volta depois de um dia cansativo, e recebe como prêmio a visita de assaltantes,” ressaltou. Meneguzzi acrescentou ainda a necessidade de um plano estratégico da Brigada Militar para atender o interior, que ele considera como desassistido em termos de segurança pública.

Meneguzzi cobra mais fiscalização do Procon ao preço dos combustíveis

janeiro 14, 2020

Parlamentar acredita que não há reflexo da queda de preço anunciada pelo governo nos postos de Caxias

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou na sessão representativa desta terça-feira (14), sobre uma notícia divulgada pela mídia nacional, onde o governo federal anunciou a redução de 3% no preço dos combustíveis nas refinarias. De acordo com o parlamentar, uma queda que não chegou às bombas, nos postos de Caxias do Sul.

Meneguzzi acredita que a medida não beneficia os consumidores caxienses. Além disso, de que há um acordo entre os revendedores para manter o preço alto. “A desculpa desses donos de postos, que mais são donos de cartéis do que qualquer outra coisa, é de que o governo aumentou nas refinarias, por isso que eles aumentam nas bombas. Mas agora, baixou nas refinarias. Irei enviar um documento ao Procon, para que ele faça uma investigação profunda e fique de olho nesses donos de postos. Já que os preços baixaram nas refinarias, que eles reduzam também o valor nas bombas”, ressaltou.

Meneguzzi intermedeia reunião entre Executivo e empresário Tarcísio Michelon

janeiro 10, 2020

Projeto de construção de uma passarela tramita há cinco anos na prefeitura

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB participou, nesta sexta-feira (10), de uma reunião entre o prefeito Flavio Cassina; o vice-prefeito Eloi Frizzo; o secretário de Planejamento, Paulo Dahmer, e o empresário Tarcísio Michelon. Ele é proprietário da rede de hotéis Dall’Onder, com sede em Bento Gonçalves; e do Dall’Onder Axten Hotel, construído em Caxias do Sul, no Bairro Sanvitto, próximo ao shopping Iguatemi.

A reunião foi intermediada por Meneguzzi, que foi procurado pelo empresário e representantes do Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria da Serra Gaúcha (SEGH), em 2018, quando ele era presidente da Câmara, a fim de agilizar um encaminhamento junto ao Executivo. Na época, ele havia se reunido com o ex-secretário Fernando Mondadori (Seplan). contudo, nunca foi apresentada uma resposta definitiva para a solicitação do empresário.

O objetivo do encontro foi discutir sobre um pedido de Michelon para que o Município autorize a construção de uma passarela entre o hotel e o shopping. Ainda segundo o empresário, até a metade deste ano, será construído um centro de convenções no hotel. Em contrapartida, o grupo Dall’Onder se propõe a investir em duas escolas municipais, com reforma e construção de salas de aula para a Educação Infantil.

A proposta de Tarcísio Michelon tramita na Secretaria Municipal de Planejamento, desde 2015. O processo já recebeu os pareceres necessários e depende de autorização da Câmara de Vereadores, segundo Dahmer. Ele informou que um projeto de lei será enviado pelo Executivo logo depois do início do ano legislativo, solicitando a autorização para a obra.

Meneguzzi ressaltou que acompanhará a tramitação do projeto no Legislativo. “Um absurdo que um empresário do porte de Tarcísio Michelon não tenha sido sequer recebido pelo ex-prefeito, nos últimos três anos. O investimento no hotel foi de aproximadamente R$ 60 milhões e o processo de autorização para uma simples passarela, esteja tramitando há cinco anos. Foi muita falta de respeito a quem empreende”, afirmou.

Também participaram da reunião, o gerente do Dall’Onder Axten, Everton Staggmaier e o gerente de Patrimônio da Rede Dall’Onder, Samuel Magagnin.

Vagas Sine Caxias do Sul, Quinta-Feira 09 de janeiro

janeiro 8, 2020

Vagas Sine Caxias do Sul – 09/01/2020

ALIMENTADOR DE LINHA DE PRODUÇÃO

AJUDANTE DE ELETRICISTA

AJUSTADOR MECÂNICO

AUXILIAR DE LIMPEZA

AUXILIAR TÉCNICO DE MONTAGEM

AUXILIAR DE MECÂNICO DE AUTOS – URGENTE-

ATENDENTE DE LANCHONETE -URGENTE –

AUXILIAR DE ALMOXARIFE

AUXILIAR DE COZINHA

AUXILIAR DE EXPEDIÇÃO

AUXILIAR TÉCNICO EM OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA DE ESTRADAS – URGENTE –

CAVALARIÇO

COMPRADOR

CERAMISTA

CONSULTOR DE VENDAS

COZINHEIRO GERAL

COSTUREIRA EM GERAL

COBRADOR EXTERNO

CONDUTOR DE ESCAVADEIRA

CUIDADOR DE IDOSOS

ENCANADOR INDUSTRIAL

ELETRICISTA DE INSTALAÇÕES

ELETRICISTA

EDUCADOR INFANTIL DE NÍVEL MÉDIO

FERRAMENTEIRO

FLORISTA

FRESADOR (FRESADORA UNIVERSAL)

GERENTE COMERCIAL – POLIDOR –

LÍDER DE PRODUÇÃO, NO ACABAMENTO DE CHAPAS E METAIS

MECÂNICO AJUSTADOR

MECÂNICO DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINA, EM GERAL

MOTORISTA DE CAMINHÃO

MECÂNICO DE MOTOR A DIESEL

MECÂNICO DE MANUTENÇÃO E INSTALAÇÃO DE APARELHOS DE CLIMATIZAÇÃO E REFRIGERAÇÃO

OPERADOR DE CAIXA -PCD

OPERADOR DE ESCAVADEIRA

OPERADOR DE CENTRO DE USINAGEM COM COMANDO NUMÉRICO

OPERADOR DE EXTRUSORA

OPERADOR DE JATO DE GRANALHA

OPERADOR DE LIXADEIRA

OPERADOR DE MÁQUINAS DE DOBRAR CHAPAS

OPERADOR ELETROMECÂNICO

PROMOTOR DE VENDAS

PEDREIRO

PINTOR INDUSTRIAL

RECENSEADOR

SERRALHEIRO

SERVENTE DE LIMPEZA – URGENTE-

SEPARADOR DE SUCATAS

SUPERVISOR DE CONSERVAÇÃO DE OBRAS

SOLDADOR

SUPERVISOR DE CONSERVAÇÃO DE OBRAS

TÉCNICO DE MANUTENÇÃO ELETRÔNICA

TÉCNICO DE APOIO AO USUÁRIO DE INFORMÁTICA (HELPDESK)

TORNEIRO CNC

TORNEIRO MECÂNICO

TÉCNICO DE PROCESSOS (PLÁSTICO)

TÉCNICO ELETRÔNICO

VENDEDOR INTERNO

VENDEDOR PRACISTA – URGENTE –

ZELADOR

OBS. AS VAGAS ACIMA ESTARÃO DISPONÍVEIS DE ACORDO COM O NÚMERO DE CANDIDATOS SOLICITADOS PELO EMPREGADOR.

PCD VAGAS EXCLUSIVAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (COM LAUDO MÉDICO)

Meneguzzi reivindica a volta da Comissão Tripartite de Emprego

janeiro 7, 2020

Em 2018, vereador protocolou dois projetos que incentivam a criação e acesso ao mercado de trabalho

Na sessão representativa desta terça-feira (07), o vereador Alberto Meneguzzi/PSB também abordou o problema do desemprego em Caxias do Sul. Ele solicitou que o novo governo municipal reative a Comissão Tripartite de Emprego. O grupo de trabalho era formado por representantes do setor público, empresários e trabalhadores.

Meneguzzi ressaltou que o colegiado encerrou as atividades ainda durante a gestão do ex-prefeito Alceu Barbosa Velho/PDT (2013-2016). Contudo, o sucessor dele Daniel Guerra/Republicanos não reativou o GT. “Nós temos quase 30 mil desempregados. Esse número não alterou e nós não temos a Comissão Tripartite. Temos muita gente desempregada, principalmente, jovens. Então, que essa comissão tripartite seja reinstalada imediatamente, isso é urgente”, reivindicou.

Em 2018, o vereador protocolou dois projetos de lei relacionados ao combate ao desemprego. Um deles foi a criação da Agência Municipal de Emprego (AME), com o objetivo de intermediar a busca de vagas e a contratação de trabalhadores. A matéria foi aprovada em outubro. Já o projeto que cria o Programa Municipal do Primeiro Emprego (PMPE), que concede incentivos fiscais para empresas que contratarem jovens de 15 a 29 anos, encerrou o ano tramitando na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Finanças e Fiscalização Orçamentária e ainda passará pela Comissão de Direitos Humanos.

Meneguzzi pede celeridade ao projeto da Lei Antinepotismo

janeiro 7, 2020

Matéria protocolada há oito meses ficou engavetada pendente de parecer pela gestão Guerra

O projeto de lei que proíbe a contratação de parentes até o terceiro grau no Executivo e no Legislativo de Caxias do Sul também foi tema do pronunciamento do vereador Alberto Meneguzzi/PSB, na sessão representativa desta terça-feira (07). Ele voltou a cobrar mais celeridade na tramitação da matéria, que foi protocolada em maio do ano passado e se encontra no Executivo, pendente de parecer solicitado pela Comissão de Constituição, Justiça e Legislação (CCJL), no último mês de outubro. A proposição é de autoria da bancada do PSB, assinada também pelos vereadores Edi Carlos Pereira de Souza e Eloi Frizzo.

De acordo com Meneguzzi, a matéria foi engavetada no Executivo, por interesse do ex-prefeito Daniel Guerra. “Até tinha uma justificativa: o prefeito tinha uma multidão de parentes dele e de seus secretários trabalhando na Prefeitura. Então, eu ficava na dúvida se esse projeto seria devolvido à Câmara ou não. Não temos mais esse prefeito. Ele foi cassado. Nós temos um outro, um governo interino. Então, imediatamente, esse projeto deve voltar para a Câmara e nós devemos aprová-lo. É não ao nepotismo no Executivo e não ao nepotismo no Legislativo”, ressaltou.

 

Alberto Meneguzzi defende municipalização gradual do pronto atendimento

janeiro 7, 2020

Vereador reitera a fiscalização rigorosa das empresas terceirizadas pela saúde pública

O vereador Alberto Meneguzzi/PSB se pronunciou, na sessão representativa desta terça-feira (07), sobre desemprego, projetos que tramitam no Legislativo e a terceirização dos serviços de pronto atendimento em Caxias do Sul. O parlamentar voltou a cobrar mais fiscalização na execução dos contratos com o Instituto de gestão e Humanização (IGH) e InSaúde, para a gestão compartilhada das UPAs Zona Norte e Central.

Segundo Meneguzzi, há uma cobrança que ocorre há três anos. Ele ressaltou que o IGH já recebeu mais de R$ 50 milhões, porém, só apresentou problemas, como falta de insumos, descumprimento de contrato e dass leis trabalhistas e prestação de contas incompleta, entre outros. “As denúncias que chegaram durante esses três anos foram trazidas por servidores e ex-servidores. Alguns nem aguentaram trabalhar muito tempo ali, pediram demissão ou foram perseguidos por essa empresa que se diz gestão e humanização, mas que de gestão e humanização não tem nada”, ressaltou.

Meneguzzi lembrou que um dos itens da denúncia de impeachment do ex-prefeito Daniel Guerra foi o desprezo do Executivo para com o posicionamento contrário do Conselho Municipal de Saúde para com a terceirização da saúde pública. “O Conselho diz o quê? Não à terceirização. Então, não entendo esse movimento de conversa com essa empresa e de dar qualquer possibilidade dessa empresa continuar administrando a UPA Zona Norte. Temos que ter uma alternativa, uma nova licitação, uma nova empresa ou, pelo menos, um momento de transição em que a gente preserve um pouco a vida profissional daqueles 250 servidores lá, mas que caminhe de forma concreta de volta à municipalização pelo menos de uma unidade”, afirma.

Ainda conforme ele, o IGH desistiu do contrato depois que o governo Guerra mudou de postura e apertou a fiscalização, no final do ano passado. Entretanto, reiterou que o serviço precisa voltar ao controle do Município. “O ex-secretário Júlio Freitas começou a ser mais rigoroso. Quando apertou a fiscalização a empresa caiu fora. Então queremos saber, e essa administração seja ela que for, precisa trazer à tona, quais são os problemas, quais são as dívidas, quais são as irregularidades. Qual é o plano a curto e médio prazo para administrar a UPA Zona Norte e a favor da municipalização”, concluiu.