Meneguzzi Nenhum comentário

Não é hora de ter medo. É hora de ter coragem. Quem se coloca à disposição na missão de evangelizar, não pode ficar sempre arrumando desculpas para não fazer. Chega de “nhê-nhê-nhê” e de “mi-mi-mi”. Chega de “choramingar” e de ficar reclamando de tudo. Chega de arranjar culpados.

Vamos em busca de aliados para espalhar o projeto de Deus. Um catequista anuncia e denuncia, mas não pode ficar escondido, achando que o caminho deveria ser um “mar de rosas”. Quem te prometeu facilidades, afinal de contas?Não é mais hora de ter medo. É hora, de uma vez por todas, da coragem de enfrentar crianças e jovens desinteressados das coisas de Deus e pais ausentes.

Se esta é a realidade, enfrente, coloque-se no enfrentamento dos dilemas e não seja mais um cristão a desistir diante da primeira dificuldade que aparecer. De uma vez por todas: precisamos de cristãos engajados e dispostos, firmes na fé e esperançosos que dias melhores virão. Precisamos de gente que não se acomode, que não fique na superfície, mas que tenha a coragem de avançar para águas mais profundas.

Chega de mesmice. Chega de ficar no limbo. Ou vai, ou racha, poxa! De gente morna, este mundo esta cheio. Não pense que irá encontrar o paraíso na catequese. Há muitos desafios que precisam ser enfrentados. Mas não iremos tocar corações de ninguém se ficarmos na turminha do “lamento” e da “lamúria”.

Afinal de contas, que tipo de catequista você é? Daqueles que fica só arrumando desculpas ou daqueles que vai lá e faz, que dá um jeito?

A catequese precisa de gente de coragem. Não é hora de ter medo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *