Meneguzzi destaca a importância do desenvolvimento da cidade durante a votação do Plano Diretor

setembro 18, 2019

Ele acompanhou a tramitação da matéria e as reuniões públicas realizadas desde 2018

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) votou favorável ao substitutivo que valida a implementação do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado (PDDI). O documento foi apreciado pelos legisladores durante a sessão ordinária desta quarta-feira, 18 de setembro, recebendo a aprovação por 20 votos a um.

Para Meneguzzi, o Plano Diretor é essencial para o desenvolvimento urbano, econômico e social de Caxias do Sul. “Estamos planejando a cidade para médio e longo prazo. São 10 anos que teremos pela frente e precisamos fazer Caxias voltar a crescer. Sem dúvidas, a votação desse projeto é o grande marco desta Legislatura”, completa.

Meneguzzi questiona a falta de atenção do Executivo à segurança da população caxiense

setembro 17, 2019

Vereador também voltou a falar sobre a ocupação do prédio do Senai José Gazola por batalhão de choque

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) se manifestou durante o espaço da convocação do secretário municipal de Segurança Pública e Proteção Social, durante a sessão ordinária desta terça-feira, 17 de setembro. Na oportunidade, ele contestou Ederson de Albuquerque Cunha, sobre que medidas estão sendo tomadas para combater a criminalidade na cidade. O parlamentar enfatizou que a atual administração não prioriza a segurança pública. Ele retomou a fala sobre o termo de cessão de uso do prédio do antigo Senai José Gazola, no bairro São José, cuja lei determina que o espaço deva ser utilizado para a formação profissional de jovens e não para a implantação de batalhão de choque.

Meneguzzi também relatou a realidade de Caxias do Sul, que conta com 25 mil desempregados e outros 14 mil jovens esperando na fila por uma vaga de estágio. Recordou os casos de latrocínio (roubo seguido de morte), sempre envolvendo indivíduos ligados ao tráfico de drogas. Questionou a intervenção que foi feita no bairro Euzébio Beltrão de Queiroz, quais ações foram feitas, bem como a retirada do local que era destinado a Guarda Municipal, na região do bairro São Pelegrino.

Ele manifestou sua curiosidade com relação à função de um lutador de jiu-jitsu contratado pela prefeitura e o projeto de segurança. “Nós estamos desde o primeiro dia do governo do prefeito Daniel Guerra insistindo em questões práticas de diálogo com a Brigada Militar, com outras corporações. Não me surpreende o prefeito ter lhe convidado, mas o senhor, secretário, ter aceito o convite para integrar um governo que dá importância para a segurança pública”, completou.

 

Confira as vagas do Sine Caxias para quarta-feira, 18 de setembro

setembro 17, 2019

VAGAS SINE CAXIAS DO SUL – 18/09/2019

ACOMPANHANTE DE IDOSOS

ADMINISTRADOR DE MARKETING

ALMOXARIFE – VAGA URGENTE-

AUXILIAR DE LIMPEZA – URGENTE

AUXILIAR TÉCNICO EM OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE ESTRADAS

AUXILIAR DE LIMPEZA PCD

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

ALIMENTADOR DE LINHA DE PRODUÇÃO

ATENDENTE DE LANCHONETE

ATENDENTE DE LANCHONETE – ESTÁGIO –

ATENDENTE/BALCONISTA

AUXILIAR DE OPERAÇÃO

AUXILIAR DE SERVIÇO DE SEGURANÇA PCD

BARBEIRO – URGENTE-

BORRACHEIRO AUXILIAR

BALANCEADOR

CONSULTOR DE VENDAS

COZINHEIRO GERAL

COSTUREIRA EM GERAL

CARPINTEIRO

CASEIRO

ENCANADOR

ESTOQUISTA

ELETRICISTA DE INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS

ELETRICISTA DE INSTALAÇÕES

ENTREGADOR DE BEBIDAS (AJUDANTE DE CAMINHÃO) – VAGA URGENTE-

INSTALADOR DE ALARME

MECÂNICO DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS INDUSTRIAIS

MECÂNICO

MECÂNICO DE AUTO EM GERAL

MONTADOR

MOTORISTA DE AUTOMÓVEIS – VAGA URGENTE-

OPERADOR DE CAIXA – VAGA RUGENTE-

OPERADOR DE EXTRUSORA

OPERADOR DE CENTRO DE USINAGEM COM COMANDO NUMÉRICO

OPERADOR DE EMPILHADEIRA – VAGA URGENTE-

OPERADOR DE MÁQUINAS FIXAS

OPERADOR ELETROMECÂNICO

OPERADOR PREPARADOR DE INJETORAS

OPERADOR DE CALANDRAS

PORTEIRO

PROMOTOR DE VENDAS

PROMOTOR DE VENDAS PCD

PASSADOR DE ROUPAS

SUPERVISOR COMERCIAL

TÉCNICO EM ATENDIMENTO E VENDAS

TÉCNICO DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

VENDEDOR INTERNO – VAGA URGENTE –

VENDEDOR PRACISTA – PCD-

VENDEDOR PRACISTA

 

OBS. AS VAGAS ACIMA ESTARÃO DISPONÍVEIS DE ACORDO COM O NÚMERO DE CANDIDATOS SOLICITADOS PELO EMPREGADOR.

PCD VAGAS EXCLUSIVAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (COM LAUDO MÉDICO)

Meneguzzi lamenta o crescimento dos números da violência em Caxias

setembro 13, 2019

Parlamentar se manifestou na tribuna dizendo que insegurança se combate com educação e profissionalização de jovens

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) lamenta o crescimento dos números de violência na cidade de Caxias do Sul. Na última quinta-feira, 12 de setembro, o parlamentar foi a tribuna do Legislativo, onde abordou a ocorrência de crimes que atentaram contra a vida de uma mulher de 45 anos. Ela foi vítima de latrocínio logo após descer do ônibus para ir ao trabalho. De acordo com a Polícia, somente em 2019, foram registrados quatro crimes deste gênero, no município.

Durante a sua fala, Meneguzzi ainda recordou de um sequestro ocorrido na terça-feira, 10 de setembro, onde um indivíduo obrigou mãe e filho a circularem com o seu veículo por diversas ruas da cidade e lhes roubou a camionete e um valor em dinheiro. Ao mesmo tempo, ele recordou do fechamento do Senai José Gazola e sua cessão de uso para instalação do batalhão de choque da Brigada Militar.

Na visão de Meneguzzi, não são as forças de repressão que irão diminuir os índices de violência, mas a questão da educação e profissionalização dos jovens. “Nós batemos na tecla do Senai José Gazola desde o ano passado. Para que aquele lugar fosse um local de qualificação profissional para a nossa juventude, para adultos, para recolocação no mercado de trabalho, em uma região que é bastante abandonada, que é quase uma cidade a região norte de Caxias do Sul”, salienta.

Meneguzzi pede que deputados estaduais do PSB abram mão de emendas da Assembleia

setembro 12, 2019

Parlamentar enviou ofício à bancada e aos deputados na manhã desta quinta-feira

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) enviou, na manhã desta quinta-feira, 12 de setembro, ofício à bancada e deputados estaduais do Partido Socialista Brasileiro na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. No documento, ele se posiciona contrariamente às emendas de R$ 1 milhão por parlamentar, totalizando R$ 55 milhões, propostas pelo governador Eduardo Leite (PSDB) na Lei Orçamentária de 2020. Ele pede que Dalciso Oliveira, Elton Weber e Franciane Bayer abram mão desses valores.

De acordo com Meneguzzi, o ofício tem a concordância dos demais componentes da bancada socialista na Câmara de Caxias, vereadores Edi Carlos Pereira de Souza e Elói Frizzo. Ele argumenta que causa estranheza a movimentação do Executivo Estadual, que disponibiliza apenas R$ 20 milhões para as prioridades da Consulta Popular e, ao mesmo tempo, a liberação de R$ 55 milhões em emendas para os deputados, sendo que a previsão do deficit é de R$ 5,2 bilhões.

Meneguzzi também foi à tribuna da Câmara para falar sobre a iniciativa de pedir que os parlamentares do PSB na Assembleia abram mão dos valores. “Repudio essa ação do governo Leite, que representa as ideias da velha política, tão combatida em campanha. Sou contrário a qualquer tipo de emenda, porque isso não pode servir como moeda de troca para votos favoráveis às propostas do Executivo”, salienta.

Ao final do ofício, ele sugere que a bancada do PSB lute para que sejam destinados mais recursos aos Coredes, tendo em vista a implementação das prioridades da Consulta Popular.

 

Acompanhe a notícia em podcast

“Milhares de jovens em Caxias podem ficar sem bolsa de estudo”, diz Meneguzzi sobre possível modificação na lei previdenciária

setembro 11, 2019

Vereador demonstra preocupação com a situação dos bolsistas, muitas pessoas dependem desse recurso para frequentar escolas e universidades

Nesta quarta-feira, 11 de setembro, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) protocolou um ofício que sugere a realização de uma audiência pública da Comissão de Educação da Câmara acerca do risco de perda de bolsas de estudos de escolas e universidades em Caxias do Sul. De acordo com o noticiado, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de reforma da Previdência, que tramita no Congresso Nacional, prejudica entidades como escolas e hospitais que disponibilizam esse subsídio, possuem certificado de filantropia e em contrapartida ficam isentas de contribuição com o INSS.

Conforme levantamento do Sindicato do Ensino Privado (Sinepe-RS), no Estado, cerca de 100 mil alunos podem perder o benefício. Meneguzzi é contra a reforma que segue em votação no plenário, em Brasília,e poderá trazer sérios problemas para estudantes assistidos por entidades filantrópicas. Caso seja aprovada, isso corresponde a 20% sobre a folha de salários de seus funcionários, valor que voltaria a ser cobrado.

Meneguzzi sugere a realização de um encontro, que reúna entidades acadêmicas estudantis, sindicatos, poder público, para que a partir dessa estimulação seja elaborado um documento. “A intenção é que esse material seja enviado aos parlamentares do Congresso Nacional, ressaltando a importância das bolsas de estudo para a educação e profissionalização de jovens, bem como para a saúde financeira das escolas e universidades”, conclui.

Para Meneguzzi, ocupação do prédio do Senai José Gazola por batalhão de choque contraria a legislação que autorizou uso do espaço

setembro 10, 2019

Vereador recordou a lei que permitiu o uso de terrenos públicos para construção de escola profissionalizante; o local, se não usado para educação, deveria ser devolvido ao município

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) foi à tribuna da Câmara, na sessão desta terça-feira, 10 de setembro. Ele, que sempre foi contra o fechamento do Senai José Gazola, no bairro São José, acredita que o termo de cessão de uso assinado na última sexta-feira, 06 de setembro, pela prefeitura e direção estadual do Senai, autorizando a utilização do prédio, localizado na esquina das ruas Governador Roberto Silveira e Professor Luís Facchin, para a implantação do batalhão de choque da Brigada Militar, vai de encontro à legislação municipal.

Ainda em setembro de 2018, Meneguzzi se manifestou junto à Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e ao Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs), sobre a preocupação com a interrupção dos cursos que atendiam mais de 400 jovens, sendo a maior parte deles da Zona Norte. Foram realizadas diversas reuniões, mobilizadas pelo gabinete do parlamentar, entretanto, o Senai resolveu não abrir mais vagas na unidade José Gazola e aumentar o número de atendimentos no Instituto de Mecatrônica, nas proximidades da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

Neste ano de 2019, Meneguzzi iniciou uma série de diálogos para que o prédio não ficasse abandonado e pudesse servir para a formação educacional e profissional de jovens. Isso porque, nas leis municipais 2.483/1979 e 2.575/1980 estabelecem a permuta de terrenos públicos para que o Senai pudesse construir a unidade José Gazola, está escrito que a área deveria ser revertida ao município caso não lhe fosse dado a destinação de espaço de formação educacional.

Ele relatou que, no mês de agosto de 2019, se reuniu com o atual presidente do Simecs, Paulo Spanholi, e intermediou uma conversa entre o gestor da entidade e representantes da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs). A intenção era verificar a viabilidade da realocação das instalações dessa unidade de ensino, hoje localizada junto ao Instituto Estadual Cristovão de Mendoza, para o prédio do Senai José Gazola.

Da tribuna, Meneguzzi se mostrou surpreso com a falta de diálogo do Sistema S, que administra o Senai, e fechou a unidade sem consultar a comunidade, bem como da própria prefeitura e representantes do setor empresarial, que não deram a destinação correta e legal às instalações do Senai José Gazola. “Eu vibro com um batalhão de choque aqui, mas preferia humildemente que aquele local fosse utilizado para a área da educação porque é essa a necessidade, a formação profissional. A Zona Norte de Caxias tem uma população de 100 mil habitantes e muitos jovens estão sem emprego e sem formação,” esclareceu.

 

Ouça a notícia no podcast

Meneguzzi prestigia posse do bispo diocesano, dom José Gislon

setembro 9, 2019

Vereador ressalta importância do diálogo entre as entidades religiosas e o poder público

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) representou a Câmara Municipal de Caxias do Sul na posse do novo bispo diocesano, dom José Gislon, na tarde do domingo, 08 de setembro. A missa solene, celebrada na Catedral Diocesana, contou com a presença de mais de uma dezena de bispos e grande parte do clero diocesano e religioso que atende as comunidades dos 32 municípios da região, bem como os padres da diocese de Erexim.

Meneguzzi prestigiou a celebração e foi saudado por dom Gislon no protocolo da missa. Ele substitui dom Alessandro Ruffinoni, que governou a diocese de Caxias do Sul de 2011 a 2019 e renunciou por motivo de idade, conforme prevê o Código de Direito Canônico. Em 26 de junho de 2019, o Papa Francisco nomeou dom José Gislon como quinto bispo da diocese e o transferiu do antigo posto: ele era bispo da diocese de Erexim, em Erechim.

Na mesma missa também foram celebrados os 85 anos de criação da diocese de Caxias do Sul, em 08 de setembro de 1934. Em sua homilia, Gislon reconheceu a importância de amar e servir ao povo, com caridade. Para Meneguzzi que além de vereador, também é catequista e tem grande envolvimento com as comunidades católicas, além do ato religioso, a posse do novo bispo representa novo vigor na vida da Igreja. “A principal característica das entidades religiosas deve ser o diálogo com o poder público. Dom José já disse que irá dialogar, buscará construir de forma conjunta o bem comum das nossas cidades”, salienta.

Meneguzzi defende mais recursos para a formação profissional de jovens

setembro 6, 2019

Parlamentar é autor do Projeto de Lei Complementar que institui o Programa Municipal do Primeiro Emprego e luta pela ocupação do prédio do antigo Senai José Gazola

A notícia de que o governo federal e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) firmaram convênio de mais de R$ 2,3 milhões, para serem aplicados na formação profissional dos jovens, agradou o vereador Alberto Meneguzzi (PSB). Ele, que é autor do Projeto de Lei Complementar que institui o Programa Municipal do Primeiro Emprego, defende que sejam investidos cada vez mais recursos para a realização de cursos e demais técnicas de qualificação para o público de 16 a 29 anos.

De acordo com o Ministério da Cidadania, serão abertas 800 mil vagas para treinamento de jovens que não estudam e nem trabalham, em todo o Brasil. Somente no Rio Grande do Sul serão mais de 40 mil, para a geração chamada “nem-nem”. As aulas estão previstas para acontecer em 2020, sendo que em princípio devem ser oferecidos cursos de 100h de Língua Portuguesa e Matemática e 200 horas de qualificação profissional.

Meneguzzi tem realizado um trabalho com a finalidade de que o prédio do antigo Senai José Gazola, no bairro São José, seja aproveitado para a formação profissional dos jovens das comunidades da Zona Norte da cidade. “Aquele espaço precisa ser utilizado para ajudar jovens a se qualificarem, a terem perspectivas de futuro. É louvável essa ação da União e da CNI e queremos que chegue em Caxias. Quanto mais investirmos na juventude, menos precisaremos gastar com segurança ali na frente”, salienta.

De autoria de Meneguzzi, pedido de informações sobre a carga horária de servidores foi acolhido em plenário

setembro 5, 2019

Requerimento solicita dados ao poder Executivo e à Secretaria de Obras e Serviço Públicos

Foi aprovado, por unanimidade, na sessão da Câmara caxiense desta quinta-feira, 05 de setembro, o requerimento 135/2019, que solicita informações à Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (SMOSP) sobre carga horária e sobreavisos dos servidores. Assinado por Alberto Meneguzzi (PSB), o documento apresenta três pontos de questionamentos básicos.

Meneguzzi justifica o pedido por ter dúvida a respeito dos critérios de escolha dos funcionários públicos municipais que ficam de sobreaviso. “A intenção é esclarecer denúncias sobre horas extras e sobreavisos. Isso gera sempre uma suspeita. E, quando envolvem recursos públicos, nada melhor do que a gente ter uma informação oficial da Prefeitura, do Executivo, para depois tirar as conclusões e apontar os possíveis erros e dar os devidos encaminhamentos para que as coisas sejam feitas de forma correta”, explica.

 

Ouça a notícia em podcast