Meneguzzi prestigia posse do bispo diocesano, dom José Gislon

setembro 9, 2019

Vereador ressalta importância do diálogo entre as entidades religiosas e o poder público

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) representou a Câmara Municipal de Caxias do Sul na posse do novo bispo diocesano, dom José Gislon, na tarde do domingo, 08 de setembro. A missa solene, celebrada na Catedral Diocesana, contou com a presença de mais de uma dezena de bispos e grande parte do clero diocesano e religioso que atende as comunidades dos 32 municípios da região, bem como os padres da diocese de Erexim.

Meneguzzi prestigiou a celebração e foi saudado por dom Gislon no protocolo da missa. Ele substitui dom Alessandro Ruffinoni, que governou a diocese de Caxias do Sul de 2011 a 2019 e renunciou por motivo de idade, conforme prevê o Código de Direito Canônico. Em 26 de junho de 2019, o Papa Francisco nomeou dom José Gislon como quinto bispo da diocese e o transferiu do antigo posto: ele era bispo da diocese de Erexim, em Erechim.

Na mesma missa também foram celebrados os 85 anos de criação da diocese de Caxias do Sul, em 08 de setembro de 1934. Em sua homilia, Gislon reconheceu a importância de amar e servir ao povo, com caridade. Para Meneguzzi que além de vereador, também é catequista e tem grande envolvimento com as comunidades católicas, além do ato religioso, a posse do novo bispo representa novo vigor na vida da Igreja. “A principal característica das entidades religiosas deve ser o diálogo com o poder público. Dom José já disse que irá dialogar, buscará construir de forma conjunta o bem comum das nossas cidades”, salienta.

Meneguzzi homenageia catequistas que atuam nas comunidades de Caxias do Sul

agosto 27, 2019

Vereador enalteceu o trabalho de evangelização realizado com crianças e jovens; Dia do catequista foi lembrado no último domingo, 25 de agosto

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) recordou, na sessão desta terça-feira, 27 de agosto, a vida e a missão dos catequistas. No espaço do Pequeno Expediente, ele enalteceu a presença de centenas de lideranças nas comunidades de Caxias do Sul e que atuam na evangelização de crianças e jovens. De acordo com o parlamentar, no Brasil inteiro, os catequistas somam mais de 1 milhão de pessoas, sendo mil em Caxias e três mil nas cidades da região da Serra Gaúcha.

Na Igreja do Brasil, o dia do Catequista foi recordado no último domingo, 25 de agosto, dentro das comemorações do Mês Vocacional. Meneguzzi reconheceu a importância da atuação desses homens e mulheres. “São pessoas que trabalham pela evangelização para transformar esse mundo em algo melhor. Não é para transformar alguém, um jovem ou um adulto numa determinada religião, mas é para fazê-los cidadãos e cidadãs melhores”, explicou.

Meneguzzi participa de palestra e ações comunitárias no final de semana

junho 16, 2019

Agenda do parlamentar iniciou no loteamento Jardim La Paloma; vereador esteve junto aos casais do movimento católico ECC

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) teve um final de semana movimentado. Na tarde de sábado, 15 de junho, o parlamentar participou de uma ação comunitária na igreja Santa Clara, no loteamento Jardim La Paloma. A atividade contou com a presença de dezenas de pessoas e os recursos arrecadados serão destinados à manutenção do atendimento pastoral e demais ações.

Ainda na tarde de sábado, Meneguzzi palestrou para os participantes da terceira etapa do movimento católico Encontro de Casais com Cristo (ECC), no colégio Murialdo, em Ana Rech no sábado a tarde. O encontro teve como tema “Batizados e enviados para a missão, na simplicidade de Cristo”, e nesse contexto, o parlamentar falou sobre a justiça social e a responsabilidade do cristão. “Precisamos cada vez mais nos inserir nos meios de decisão, para podermos lutar pelos menos favorecidos. Essa é a missão dos leigos: dar voz e cara às ações de busca pelo bem comum”, salienta.

Já neste domingo, 16 de junho, Meneguzzi participou de almoço da festa de Santo Antônio, na Paróquia Imaculada Conceição, dos capuchinhos, em Caxias do Sul.

Evangelização: não dá mais para ficar em cima do muro

junho 2, 2019

Em cima do muro

Todos somos catequistas, independentemente de termos uma “turminha” de crianças ou jovens com encontros semanais. Quem trabalha com a evangelização, é catequista de alguma forma. Quem se diz cristão, é batizado, atua numa comunidade-igreja, seja lá o serviço ou pastoral que for, é catequista. Em casa, no trabalho, na roda de amigos, na faculdade, na família, enfim, em todos os lugares, nossas atitudes devem transmitir aquilo que acreditamos. A evangelização não admite mais gente que vacila, que não se posiciona, que não  sai de cima do muro, ou que é cristão apenas conforme suas conveniências ou interesses pessoais.
O cristo fácil é aquele que está apenas dentro do ambiente de igreja,  no convívio com quem é, com quem atua na mesma jornada, com quem prega as mesmas coisas, é fácil ser cristão. Mas que diz sim, precisa assumir e se preparar também com o Cristo difícil, ou seja, assumir o compromisso com o projeto de Deus no meio de quem renega, faz chacota, não acredita, depõe contra e este tipo de pessoa, nós podemos encontrar inclusive na nossa própria família.
Alguém que se diz “catequista” não pode ligar e desligar a chave conforme o ambiente que está, tipo ” agora estou no encontro de igreja então eu sou catequista” ou “agora estou no meu ambiente de trabalho, então eu não sou catequista”.
Quem diz sim, quem diz que é, quem se apresenta para ser e dispõe ao serviço sempre será catequista, em todos os ambientes. Não tem como separar.
Por isso, cuidado com o que você diz, com o que você posta nas suas redes sociais, com o que você acredita, com suas atitudes, com quem você admira, segue, lê, com o o que você curte e compartilha.
Em alguns casos, como dizia Madre Tereza de Calcutá, “talvez você seja o único evangelho que o seu irmão lê”.
É a mais pura verdade!
E o que o seu irmão tem lido?

Meneguzzi lamenta a morte do padre Fábio Piazza

maio 16, 2019

Vereador considera que o sacerdote era exemplo de humanidade e serviço pelo bem comum

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB)  lamentou o falecimento do padre Fábio Thomás Piazza, aos 100 anos, ocorrido na tarde desta quinta-feira, 16 de maio. O sacerdote, que atuou em diversas paróquias da Diocese de Caxias do Sul e dedicou quase duas décadas ao serviço no Santuário de Caravaggio, em Farroupilha, completou um século de vida em dezembro de 2018.

De acordo com Meneguzzi, padre Fábio foi exemplo de humanidade e serviço pelo bem comum. Ele era conhecido pela generosidade, pelo dom da confissão e pela capacidade de servir ao próximo. O sacerdote estava hospitalizado há cerca de uma semana no Hospital Saúde, em Caxias do Sul. “Uma perda muito grande para a Igreja e também para a sociedade. Conheci o padre Fábio através do sobrinho dele, padre Nivaldo Piazza, que foi pároco de Lourdes aqui em Caxias, onde iniciei minha missão”, explica.

Filho de Giulio Piazza e Julia Radaelli, padre Fábio Piazza nasceu em 5 de dezembro, no distrito de Nova Milano, em Farroupilha. Seu avô materno é Tomaso Benedetto Radaelli, que juntamente com sua avó, Maria Pirovena, foi um dos primeiros imigrantes italianos a chegar a Farroupilha, e tornar o local, posteriormente, o berço da imigração italiana no Estado do Rio Grande do Sul.

Sua alfabetização ocorreu no hoje chamado Colégio Santa Cruz, ainda em Nova Milano, que na época era de responsabilidade das irmãs da congregação de São Carlos. Em 1937, com 18 anos, Padre Fábio ingressou no Seminário Central São Leopoldo, onde mais tarde, na década de 40, cursou Teologia e Filosofia. Antes disso, entre 1938 e 1939, padre Fábio também estudou no Seminário Nossa Senhora Aparecida, em Caxias do Sul.

Vida sacerdotal

A vida sacerdotal do presbítero teve início em 8 de dezembro de 1950, quando foi ordenado por Dom José Barea. Sua primeira missa solene ocorreu na Igreja Matriz de Nova Milano dois dias após, em 12 de dezembro. Mais tarde, em 1989, voltou a Nova Milano, e atuou como pároco da paróquia de Santa Cruz durante 22 anos.

Na cidade de Farroupilha, ao longo de sua vida, padre Fábio passou também pela paróquia de Caravaggio por três períodos diferentes: em 1953, como vigário, onde permaneceu por seis meses; de 1978 a 1980, como vigário auxiliar; em 1984, durante cinco anos, como administrador; e desde 2011 até os dias atuais trabalha como padre auxiliar no Santuário. Na cidade, em 1954, também foi vigário auxiliar da paróquia Sagrado Coração de Jesus, onde permaneceu por quase oito anos.

Além de sua terra natal, o sacerdote também trabalhou, ao longo de sua trajetória sacerdotal, por outras cidades da região, como Caxias do Sul (nos anos de 1951 e 1952, e 1983), Cambará do Sul (em 1952), Coronel Pilar (em 1953), Garibaldi (em Marcorama, no ano de 1962) e Cotiporã (em 1964). Além disso, também foi pároco de Nova Andradina, no Mato Grosso do Sul, por duas vezes, em 1973 e depois em 1983.

Meneguzzi participa de painel sobre a Campanha da Fraternidade na Paróquia Santa Catarina

abril 3, 2019

Vereador foi mediador da mesa-redonda que contou com a presença de produtores culturais

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) mediou, na noite de terça-feira, 02 de abril, o painel “Políticas Públicas na área cultural”, pomovido pela Paróquia Santa Catarina e pela Coordenação Diocesana de Pastoral. O evento foi realizado no espaço da catequese da igreja Santa Catarina e abordou a temática no âmbito da Campanha da Fraternidade 2019, que trata do acesso dos brasileiros às políticas públicas.

Além Meneguzzi, participaram da mesa-redonda, a presidente do Conselho Municipal de Cultura, Magali Quadros, o músico Ladir Brandalise e a produtora cultural e analista de mercado da UCS, Cristina Nora Calcagnotto. O evento que atraiu lideranças católicas e produtores culturais, se estendeu por mais de 1h30 e abordou, sobretudo, a falta de incentivos públicos para a produção cultural nas esferas municipal, estadual e federal.

Meneguzzi avaliou o encontro como positivo, sobretudo a partir da ótica cristã. Segundo ele, as lideranças culturais acabam também por encontrar dificuldades para dialogar com a Igreja Católica. “Motivar encontros de reflexão e debate sobre políticas públicas é desafiador e a Paróquia e a Coordenação de Pastoral estão de parabéns. O objetivo é esse: percebermos as sombras e luzes do caminho para vermos onde é necessário mudar”, salienta.

O próximo painel será na terça-feira, 09 de abril, às 20h, e abordará as políticas públicas para a juventude.

Após decisão do Executivo, Meneguzzi dará sequência ao projeto de tornar a encenação da Via-Sacra dos Pavilhões patrimônio imaterial de Caxias

março 22, 2019

Prefeito e conselheiros do Conselho do Patrimônio Histórico pediram novos documentos para embasar a decisão

Iniciado em julho de 2017 junto ao Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (COMPAHC), o processo encaminhado pelo vereador Alberto Meneguzzi (PSB) para tornar a encenação da Via-Sacra dos Pavilhões da Festa da Uva um patrimônio cultural e imaterial do município de Caxias do Sul, terá um novo desdobramento. Após as reuniões do colegiado, houve a decisão pelo indeferimento, mas o Executivo caxiense pediu novas instruções e documentos para embasar a decisão.

A partir de agora, o gabinete do parlamentar irá trabalhar para reunir a documentação e material veiculado pela imprensa nas edições de 2018 e 2019, sendo que esta última será realizada em 19 de abril deste ano. De acordo com o parlamentar, a apresentação, que acontece na manhã de Sexta-Feira Santa, desde 2005, junto à escadaria do Monumento Jesus Terceiro Milênio, reúne mais de 60 jovens dos diversos grupos pastorais e movimentos da Igreja Católica.

Constam da documentação relatos inscritos no Livro de Tombo da Paróquia São José, onde a apresentação teve início, e clipagens da imprensa da cidade e do Estado, desde o ano de 2008. A iniciativa existe há mais de 15 anos e aconteceu, por alguns anos, nas quadras próximas à igreja do bairro. Depois, em 2005, passou a ser realizada junto ao Monumento Jesus Terceiro Milênio, organizada pelos jovens das paróquias Santa Catarina, São José e Santa Fé.

Em 2014, com a intenção de abranger a juventude de toda a cidade, a coordenação da encenação passou a ser realizada pelo Setor Diocesano da Juventude. “Há alguns anos, a apresentação esteve presente no calendário cultural do município. Nós entendemos que ela precisa entrar para a história de Caxias. A apresentação dos Pavilhões chega a reunir mais de 1.500 pessoas e é conhecida pelo Estado afora. Além de ser artístico, por mostrar os últimos passos de Jesus, antes de sua morte, esse evento congrega e valoriza os jovens”, ressalta Meneguzzi.

Meneguzzi se reúne com catequistas para comemorar a missão do leigo

novembro 29, 2018

Encontro teve partilha de experiências e de alimentos

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) se reuniu, na tarde desta quarta-feira, 28 de novembro, com um grupo de catequistas que atuam em diversas comunidades de Caxias do Sul. Na oportunidade, comemoraram a missão dos leigos e a vocação para evangelizar crianças e jovens, ainda no espírito do Ano do Laicato. Além de uma boa conversa e troca de experiências, o encontro também teve partilha de alimentos.

De acordo com Meneguzzi, q ue é catequista há mais de 30 anos, o maior objetivo da atividade foi poder reencontrar pessoas com as quais tem contato pelas redes sociais e que fazem parte de sua missão enquanto cristão e também como vereador. “É sempre bom receber abraços e a visita de quem nos faz bem, ainda mais quando o que nos une é a pessoa de Jesus Cristo e a vontade de evangelizar nossas crianças. A política também é algo que deve servir para que possamos criar laços de humanidade”, salienta.

O Vídeo do Papa: Francisco pede ações e oração pela paz

novembro 11, 2018

No mês de novembro de 2018, o Papa Francisco convida a rezarmos e termos ações de paz em nosso cotidiano

Paz. Três letras que alguns utilizam normalmente mas há outros que há anos não a experimentam. Porque em muitos lugares do mundo a paz não é uma realidade, é somente um desejo para milhares de pessoas que sofrem pela sua ausência. Pensemos mais do que nessas três letras, mas no seu significado. Rezemos e trabalhemos para alcançar a verdadeira paz.

O Vídeo do Papa: Francisco pede orações contra as divisões na Igreja

outubro 9, 2018

No mês de outubro de 2018, o Papa Francisco nos convida a rezarmos o Rosário de Nossa Senhora e a oração de São Miguel Arcanjo, para repelir o diabo, que é autor da divisão na Igreja e também na sociedade. 

O diabo é um sedutor. Por isso, sem nos darmos conta, deixamo-lo entrar nas nossas vidas. E também na vida da Igreja. Para lutar contra a força do mal e proteger a Igreja, o Papa pede-nos neste mês de outubro que rezemos o Rosário à Virgem Maria e a oração ao Arcanjo São Miguel. Unimo-nos todos a este pedido? Oração ao Arcanjo São Miguel São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate. Sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Que Deus manifeste sobre ele o seu poder, esta é a nossa humilde súplica. E vós, Príncipe da Milícia Celeste, com o poder que Deus vos conferiu, precipitai no inferno a Satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Ámen. Oração “À vossa proteção” À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita!