No dia mundial das missões, uma homenagem a todos evangelizadores

outubro 21, 2019

Neste domingo, dia 20 de outubro, lembramos o dia Mundial das missões.
“A missão não pode ser um peso, mas um dom para oferecer.” Foi o que disse o Papa Francisco neste domingo, no Vaticano.
Eu ofereço este dom desde 1985, como catequista e liderança cristã.
A partir de 2005, Deus me deu uma missão incrível que foi evangelizar através das redes sociais. E foi um presente dos maiores para mim. Nunca pensei que eu pudesse conhecer tantos lugares, conversar com tantos catequistas e ver a realidade de tantas cidades simplesmente por causa da minha paixão de anunciar.
Estive em cidades como Jaru e Porto Velho, em Rondônia.
Franca, São Paulo, Leme, Itu e Araçoiaba da Serra em São Paulo.
Belo Horizonte, São João Del Rei e Conselheiro Lafayete em Minhas Gerais.
Tangará da Serra, em Mato Grosso.
Londrina e Araucária, no Estado do Paraná.
Por aqui, no meu estado, em cidades como Horizontina, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Porto Alegre, Garibaldi, Carlos Barbosa, Bento Gonçalves, Igrejinha, Taquara, Monte Belo do Sul, Barão, Flores da Cunha . Aqui em Caxias do Sul, em quase todos os cantos da cidade em diversas comunidades e paróquias.
Minha missão é evangelizar, sempre foi.

Siga-me também no instagram.com/meneguzzialberto

 

Artigo: “Não é hora de ter medo. É hora de ter coragem” sobre a Campanha da Fraternidade 2019

outubro 11, 2019

A Campanha da Fraternidade deste ano fala sobre políticas públicas e tem como chamada um trecho bíblico do livro de Isaías que diz: “Serviço transformativo e construtivo de novas relações que possibilitem a participação de todos na construção de uma sociedade fraterna baseada no direito e na justiça.” (Is 1,27)
A CF 2019 tem como objetivo geral estimular a participação em políticas públicas, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja, para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais de fraternidade.
Ora, o estímulo à cidadania, ao diálogo, o acompanhamento direto da atuação de nossos governantes tanto em âmbito executivo como legislativo, é algo fundamental para debatermos e fiscalizarmos as chamadas políticas públicas.
Mas alguns setores da igreja não entendem isso. Rezam,frequentam a missa, participam de pastorais e serviços, se dizem lideranças comunitárias, mas quando o debate se refere ao que diretamente afeta a vida das pessoas e que estão na pauta, como a reforma da previdência, atendimento público de saúde,  politica para idosos, falta de vagas em creches, falta de investimento na educação, insegurança, falta de vagas de emprego, violência e corrupção,  acabam dizendo que “isso não é assunto que se fale na igreja”.
Mas afinal de contas, o que de fato precisamos discutir sobre uma campanha da fraternidade que trata sobre politicas públicas, que não seja
o que atinge diretamente a vida das pessoas?
Não podemos ficar distantes da política e quando trato disso, não falo apenas em política partidária. Falo da construção de uma sociedade mais justa e igualitária, através da participação efetiva e fiscalizadora. Dialogar, participar, reunir, discutir é construir um mundo diferente. Isso se faz também através da política.
São João Paulo II afirmou que ” todos e cada um têm o direito e o dever de participar da política, embora em diversidade de formas, niveis, funções e responsabilidades”.  Ele quer dizer com isso, que todos nós devemos dedicar parte do nosso tempo e das nossas preocupações ao bem comum, ainda que de diversas formas e segundo diferentes vocações.
O texto-base da CF 2019 acrescenta ainda: “Assim, uns se dedicarão a atividades comunitárias, outros a sindicatos, grupos e associações, outros ao exercício de mandato político”(178)
Então, não é hora de ter medo, é hora de ter coragem.
Não é pecado discutir políticas públicas nos nossos grupos de igreja.
Não é o fim do mundo participar de forma efetiva da política, exercendo um mandato ou não.
Pecado mesmo é ficar omisso, calar diante de tantos desafios com a justificativa de quem alguns temas não são apropriados para um ambiente cristão.
O que de fato não  é apropriado para o ambiente cristão é a hipocrisia.

Meneguzzi homenageia catequistas que atuam nas comunidades de Caxias do Sul

agosto 27, 2019

Vereador enalteceu o trabalho de evangelização realizado com crianças e jovens; Dia do catequista foi lembrado no último domingo, 25 de agosto

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) recordou, na sessão desta terça-feira, 27 de agosto, a vida e a missão dos catequistas. No espaço do Pequeno Expediente, ele enalteceu a presença de centenas de lideranças nas comunidades de Caxias do Sul e que atuam na evangelização de crianças e jovens. De acordo com o parlamentar, no Brasil inteiro, os catequistas somam mais de 1 milhão de pessoas, sendo mil em Caxias e três mil nas cidades da região da Serra Gaúcha.

Na Igreja do Brasil, o dia do Catequista foi recordado no último domingo, 25 de agosto, dentro das comemorações do Mês Vocacional. Meneguzzi reconheceu a importância da atuação desses homens e mulheres. “São pessoas que trabalham pela evangelização para transformar esse mundo em algo melhor. Não é para transformar alguém, um jovem ou um adulto numa determinada religião, mas é para fazê-los cidadãos e cidadãs melhores”, explicou.

Evangelização: não dá mais para ficar em cima do muro

junho 2, 2019

Em cima do muro

Todos somos catequistas, independentemente de termos uma “turminha” de crianças ou jovens com encontros semanais. Quem trabalha com a evangelização, é catequista de alguma forma. Quem se diz cristão, é batizado, atua numa comunidade-igreja, seja lá o serviço ou pastoral que for, é catequista. Em casa, no trabalho, na roda de amigos, na faculdade, na família, enfim, em todos os lugares, nossas atitudes devem transmitir aquilo que acreditamos. A evangelização não admite mais gente que vacila, que não se posiciona, que não  sai de cima do muro, ou que é cristão apenas conforme suas conveniências ou interesses pessoais.
O cristo fácil é aquele que está apenas dentro do ambiente de igreja,  no convívio com quem é, com quem atua na mesma jornada, com quem prega as mesmas coisas, é fácil ser cristão. Mas que diz sim, precisa assumir e se preparar também com o Cristo difícil, ou seja, assumir o compromisso com o projeto de Deus no meio de quem renega, faz chacota, não acredita, depõe contra e este tipo de pessoa, nós podemos encontrar inclusive na nossa própria família.
Alguém que se diz “catequista” não pode ligar e desligar a chave conforme o ambiente que está, tipo ” agora estou no encontro de igreja então eu sou catequista” ou “agora estou no meu ambiente de trabalho, então eu não sou catequista”.
Quem diz sim, quem diz que é, quem se apresenta para ser e dispõe ao serviço sempre será catequista, em todos os ambientes. Não tem como separar.
Por isso, cuidado com o que você diz, com o que você posta nas suas redes sociais, com o que você acredita, com suas atitudes, com quem você admira, segue, lê, com o o que você curte e compartilha.
Em alguns casos, como dizia Madre Tereza de Calcutá, “talvez você seja o único evangelho que o seu irmão lê”.
É a mais pura verdade!
E o que o seu irmão tem lido?

Meneguzzi participa de painel sobre a Campanha da Fraternidade na Paróquia Santa Catarina

abril 3, 2019

Vereador foi mediador da mesa-redonda que contou com a presença de produtores culturais

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) mediou, na noite de terça-feira, 02 de abril, o painel “Políticas Públicas na área cultural”, pomovido pela Paróquia Santa Catarina e pela Coordenação Diocesana de Pastoral. O evento foi realizado no espaço da catequese da igreja Santa Catarina e abordou a temática no âmbito da Campanha da Fraternidade 2019, que trata do acesso dos brasileiros às políticas públicas.

Além Meneguzzi, participaram da mesa-redonda, a presidente do Conselho Municipal de Cultura, Magali Quadros, o músico Ladir Brandalise e a produtora cultural e analista de mercado da UCS, Cristina Nora Calcagnotto. O evento que atraiu lideranças católicas e produtores culturais, se estendeu por mais de 1h30 e abordou, sobretudo, a falta de incentivos públicos para a produção cultural nas esferas municipal, estadual e federal.

Meneguzzi avaliou o encontro como positivo, sobretudo a partir da ótica cristã. Segundo ele, as lideranças culturais acabam também por encontrar dificuldades para dialogar com a Igreja Católica. “Motivar encontros de reflexão e debate sobre políticas públicas é desafiador e a Paróquia e a Coordenação de Pastoral estão de parabéns. O objetivo é esse: percebermos as sombras e luzes do caminho para vermos onde é necessário mudar”, salienta.

O próximo painel será na terça-feira, 09 de abril, às 20h, e abordará as políticas públicas para a juventude.

Meneguzzi se reúne com catequistas para comemorar a missão do leigo

novembro 29, 2018

Encontro teve partilha de experiências e de alimentos

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) se reuniu, na tarde desta quarta-feira, 28 de novembro, com um grupo de catequistas que atuam em diversas comunidades de Caxias do Sul. Na oportunidade, comemoraram a missão dos leigos e a vocação para evangelizar crianças e jovens, ainda no espírito do Ano do Laicato. Além de uma boa conversa e troca de experiências, o encontro também teve partilha de alimentos.

De acordo com Meneguzzi, q ue é catequista há mais de 30 anos, o maior objetivo da atividade foi poder reencontrar pessoas com as quais tem contato pelas redes sociais e que fazem parte de sua missão enquanto cristão e também como vereador. “É sempre bom receber abraços e a visita de quem nos faz bem, ainda mais quando o que nos une é a pessoa de Jesus Cristo e a vontade de evangelizar nossas crianças. A política também é algo que deve servir para que possamos criar laços de humanidade”, salienta.

O Vídeo do Papa: Francisco pede ações e oração pela paz

novembro 11, 2018

No mês de novembro de 2018, o Papa Francisco convida a rezarmos e termos ações de paz em nosso cotidiano

Paz. Três letras que alguns utilizam normalmente mas há outros que há anos não a experimentam. Porque em muitos lugares do mundo a paz não é uma realidade, é somente um desejo para milhares de pessoas que sofrem pela sua ausência. Pensemos mais do que nessas três letras, mas no seu significado. Rezemos e trabalhemos para alcançar a verdadeira paz.

O Vídeo do Papa: Francisco pede orações contra as divisões na Igreja

outubro 9, 2018

No mês de outubro de 2018, o Papa Francisco nos convida a rezarmos o Rosário de Nossa Senhora e a oração de São Miguel Arcanjo, para repelir o diabo, que é autor da divisão na Igreja e também na sociedade. 

O diabo é um sedutor. Por isso, sem nos darmos conta, deixamo-lo entrar nas nossas vidas. E também na vida da Igreja. Para lutar contra a força do mal e proteger a Igreja, o Papa pede-nos neste mês de outubro que rezemos o Rosário à Virgem Maria e a oração ao Arcanjo São Miguel. Unimo-nos todos a este pedido? Oração ao Arcanjo São Miguel São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate. Sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Que Deus manifeste sobre ele o seu poder, esta é a nossa humilde súplica. E vós, Príncipe da Milícia Celeste, com o poder que Deus vos conferiu, precipitai no inferno a Satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Ámen. Oração “À vossa proteção” À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita!