Meneguzzi quer que projeto que proíbe a contratação de parentes no serviço publico seja votado o quanto antes

setembro 29, 2019

Parlamentar defende que proposta seja analisada ainda em 2019 e, se aprovada, deva ser colocadas em prática o mais breve possível

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) encaminhou, na tarde da última segunda-feira, 23 de setembro, ofício à Comissão de Constituição, Justiça e Legislação (CCJL) da Câmara Municipal, onde pede que o grupo parlamentar agilize o trâmite do projeto que veta a contratação de Cargos em Comissão com parentesco de até terceiro grau, nos órgãos públicos de Caxias do Sul.

A proposta, assinada por ele e outros vereadores, é a emenda à Lei Orgânica Municipal 02/2019. ” Não podemos mais achar isso normal. Pode até estar dentro da legalidade a contratação de parentes, mas em Caxias, principalmente no executivo, está havendo um exagero. Por isso, é importante que aprovemos a lei o mais rápido possível.”

O projeto  antinepotismo vale tanto para o executivo quanto para o legislativo e segundo Meneguzzi, não pode haver exceções.

Meneguzzi protocola moção contrária ao sucateamento e privatização dos Correios

setembro 26, 2019

Documento visa defender o serviço público e a integridade da ECT; documento será enviado ao governo federal

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) protocolou, na manhã desta quinta-feira, 26 de setembro, moção de contrariedade ao movimento empregado pelo governo federal para o enfraquecimento do serviço público da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT), bem como a possibilidade de privatização da instituição. O documento é em apoio à mobilização dos carteiros de Caxias do Sul, que se manifestaram na tribuna no último dia 17 de setembro.

A ECT é uma empresa pública de direito privado, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). A autarquia está presente nos mais de 5.500 municípios do país. Meneguzzi salienta que é necessário respeitar o interesse público e fortalecer as instituições e não sucatear os Correios. “O Legislativo caxiense é a caixa de ressonância das demandas da comunidade. A população também precisa de bom atendimento e agilidade na entrega de correspondências e encomendas. Sabemos que a decisão não é tomada aqui, mas podemos apoiar e fazer chegar às instâncias federais”, aponta.

Os vereadores Alceu Thomé (PTB), Denise Pessôa (PT), Edson da Rosa (MDB), Elói Frizzo (PSB), Edi Carlos Pereira de Souza (PSB), Gladis Frizzo (MDB), Kiko Girardi (PSD) e Renato Oliveira (PCdoB) também assinam como autores da moção.

Meneguzzi pede que CCJL agilize trâmite de projetos que vetam uso de fogos de artifício e contratação de CCs com parentescos

setembro 23, 2019

Parlamentar defende que propostas sejam analisadas ainda em 2019 e, se aprovadas, devam ser colocadas em prática o mais breve possível

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) encaminhou, na tarde desta segunda-feira, 23 de setembro, ofício à Comissão de Constituição, Justiça e Legislação (CCJL) da Câmara Municipal, onde pede que o grupo parlamentar agilize o trâmite de dois projetos. Uma das propostas, assinada por ele e outros vereadores, é a emenda à Lei Orgânica Municipal 02/2019, que veta a contratação de Cargos em Comissão com parentesco de até terceiro grau, nos órgãos públicos de Caxias do Sul.

Meneguzzi também pede atenção ao projeto de lei 14/2019, que proíbe o uso de fogos de artifício que produzam ruídos, em Caxias do Sul. Ele entende que a queima de fogos de artifício ruidosos pode ocasionar traumas aos animais, pessoas enfermas, idosos e portadores do Transtorno do Espectro autista, além de acarretar danos à comunidade e ao patrimônio público e privado.

Esta última proposta está baixada ao Executivo desde o mês de junho para que a prefeitura dê seu posicionamento acerca da matéria. Ele pede que a CCJL cobre o retorno do processo e dê o trâmite necessário ao projeto. “Eu apoio o projeto que visa proibir a queima e a soltura de fogos de artifício ruidosos no âmbito de Caxias do Sul e vou lutar para que vá para a pauta de votação ainda neste ano de 2019. Sobre a emenda à Lei Orgânica, antinepotismo, penso que quando não existem ética e senso de moralidade, a legislação se faz necessária”, explica.

Meneguzzi apoia mobilização dos carteiros contra privatização dos Correios

setembro 17, 2019

Parlamentar irá encaminhar moção em defesa do serviço público; documento será enviado ao governo federal

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) reforçou, na manhã desta terça-feira, 17 de setembro, o seu apoio à mobilização dos carteiros de Caxias do Sul contra a privatização da Empresa de Correios e Telégrafos. Ele intermediou a cedência de espaço de cinco minutos para o pronunciamento do diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos na Serra Gaúcha, Ricardo Paim.

Meneguzzi irá encaminhar moção de repúdio às tentativas do governo federal de privatizar a instituição. Ele salienta que é necessário respeitar o interesse público e fortalecer as instituições e não sucatear os Correios. “O Legislativo caxiense é a caixa de ressonância das demandas da comunidade. A população também precisa de bom atendimento e agilidade na entrega de correspondências e encomendas. Sabemos que a decisão não é tomada aqui, mas podemos apoiar e fazer chegar às instâncias federais”, aponta.

Meneguzzi pede que Ministério do Trabalho realize vistoria nas obras da UPA Central

agosto 16, 2019

Parlamentar citou a demora na conclusão das reformas e a falta de transparência do Executivo sobre a situação do prédio

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) encaminhou, na tarde desta sexta-feira, 16 de agosto, ofício ao chefe da Secretaria do Trabalho e Previdência Social, antigo Ministério do Trabalho, em Caxias do Sul. No documento, o parlamentar pede que Vânius Corte realize vistoria nas obras do Pronto Atendimento 24h, que será denominado de UPA Central.

Meneguzzi justifica preocupação com a demora na entrega das obras de reforma do local, que está fechado desde outubro de 2018, bem como com as condições de trabalho de quem está executando as adequações. Além disso, cita a falta de transparência do Executivo municipal sobre a situação do prédio, sendo que não há prazo para reabertura dos serviços. Não se tem conhecimento sobre o estágio do andamento das obras e já foi negada a visita à Comissão de Saúde da Câmara, pelas secretarias municipais da Saúde e de Planejamento.

De acordo com Meneguzzi, a vistoria do Ministério do Trabalho pode ajudar o município nas questões pertinentes à finalização das obras, bem como do restabelecimento da prestação dos serviços de atendimento em saúde. “Nós, vereadores, não temos a liberação para visitar as obras e fiscalizar o uso do dinheiro público, que é nossa prerrogativa. Já pedi ao MP que intermedeie essa situação com o Executivo. Precisamos de transparência, inclusive se há condições de trabalho para que tudo fique pronto e seja seguro para a população usar a UPA Central”, explica.

Meneguzzi e Kiko Girardi pedem que MP intermedeie visita às obras na UPA Central

agosto 13, 2019

Documento endereçado à promotora Adriana Chesani sugere que o Ministério Público também acompanhe a vistoria

Os vereadores Alberto Meneguzzi (PSB) e Kiko Girardi (PSD) protocolaram, na tarde desta terça-feira, 13 de agosto, ofício no Ministério Público Estadual, solicitando que o órgão intermedeie a visita dos parlamentares às obras da UPA Central. No documento, endereçado à promotora Adriana Chesani, é sugerido que o MP acompanhe a vistoria.

Meneguzzi e Kiko justificam que estão preocupados com os serviços de atendimento de saúde de Caxias do Sul, porque a UPA Zona Norte não tem dado conta de todas as demandas e o plano de contingenciamento anunciado pela prefeitura para o inverno apresenta falhas. Além disso, o Pronto Atendimento 24h, que passará a se chamar UPA Central, está fechado e sem prazo para reabertura. Não se tem conhecimento sobre o estágio do andamento das obras e já foi negada a visita à Comissão de Saúde da Câmara, pelas secretarias municipais da Saúde e de Planejamento.

De acordo com Meneguzzi, a visita se faz necessária para ver o andamento da reforma, bem como tirar dúvidas sobre a gestão compartilhada e licitações da UPA Central. “Já que não há uma liberação por parte da prefeitura para as visitas e não foram cumpridos os prazos que era de abertura ate abril e também não há garantia que vai abrir até o fim de 2019, precisamos saber o que está acontecendo e como está acontecendo”, explica.

Alberto Meneguzzi critica postura de secretários municipais

julho 23, 2019

Vereador ainda falou sobre projeto de lei anticorrupção, protocolado no Legislativo caxiense

Na sessão ordinária desta terça-feira, 23 de julho, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) falou sobre o projeto de lei 87/2019, protocolado na Câmara Municipal de Caxias do Sul. O documento prevê dar transparência a processos licitatórios e inibir ações de corrupção. Segundo ele, o dispositivo já se ampara na legislação federal anticorrupção e possibilita a criação dos chamados planos de integridade, aos quais aderem empresas e organizações inscritas em certames com o poder público.

Meneguzzi ainda afirmou que o decreto anticorrupção apresentado pelo Executivo é tímido. Para ele, o Controle Interno deve ter total autonomia para fazer seu trabalho de forma idônea, sendo que o decreto não dá essa autonomia. Além disso, o parlamentar citou que o documento contém erros de digitação e parágrafos fora de ordem, tornando-se de difícil compreensão.

O vereador falou ainda sobre a postura de alguns secretários do Governo municipal. Citando uma reportagem da Tua Rádio São Francisco, Meneguzzi disse que Alguns nomes do governo guerra adotaram a medida de receber as perguntas antes de prestar entrevista à imprensa. O parlamentar, que é jornalista, disse que esse procedimento é tido como brincadeira, motivo de piada entre os profissionais de comunicação.

Como comunicador, Meneguzzi afirmou que a fonte não tem obrigação de responder, mas como pessoas públicas, os secretários deveriam, pelo menos, expor os motivos de não falar. Ele ainda disse que de 17 contatos feitos pela emissora de rádio, apenas dois foram atendidos.

Segundo o vereador, o telefone funcional é pago pelo povo e deve ser utilizado para atender a população. Para ele, ignorar a população e a imprensa é uma vergonha.

 

 

Meneguzzi vê como grave situação no Canil Municipal

julho 11, 2019

Vereador considera que situação de precariedade é questão de saúde pública e afeta os caxienses

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) está preocupado com o tratamento dado aos animais no Canil Municipal, que é administrado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma). Ele tem recebido inúmeras denúncias que denotam problemas com a conservação do espaço, o cuidado com os cães e gatos, bem como a atuação do Executivo municipal. Nos últimos dias, a comprovação da leptospirose aumentou ainda mais a apreensão que, segundo o parlamentar, é questão de saúde pública.

Nesse sentido, Meneguzzi protocolou, na tarde desta quarta-feira, 10 de junho, pedido de informações sobre a política municipal de cuidado com os animais recolhidos nas ruas e também com os que estão no Canil. Entre os questionamentos estão os estoques de medicamentos, vacinas e outros materiais utilizados para o controle de doenças. O parlamentar também pede que a Semma detalhe os processos de adoção e seus critérios, bem como os números de castrações mensais.

De acordo com o vereador, justamente por ser uma situação preocupante, é necessário ter clareza dos processos que são desenvolvidos pela prefeitura. “Leptospirose e outras doenças que atacam animais também podem fazer as pessoas adoecerem. É por isso que queremos entender como está o Canil Municipal, porque é questão de saúde pública. Não podemos permitir que a falta de cuidado com os animais possa prejudicar e até levar pessoas a óbito”, explica Meneguzzi.

Protocolado projeto que inclui Caxias do Sul na Rota das Cervejarias Artesanais do RS

maio 16, 2019

Mobilização do vereador Alberto Meneguzzi e do deputado Elton Weber pode se tornar lei

O deputado estadual Elton Weber (PSB) protocolou, na tarde desta quinta-feira, 16 de maio, o projeto de lei que visa incluir as cidades de Caxias do Sul e Farroupilha na Rota das Cervejarias Artesanais do Rio Grande do Sul. A adesão do município caxiense se deu pela mobilização do vereador Alberto Meneguzzi (PSB) que, desde o início de 2018, promoveu reuniões entre as lideranças do setor cervejeiro, poder público e Câmara de Indústria Comércio e Serviços (CIC).

Com isso, as cidades podem se unir a outros 22 municípios que já compõem a Rota, instituída por lei em janeiro do ano passado, por iniciativa de Weber e aprovação pelo plenário da Assembleia Legislativa. A iniciativa tem a intenção é fortalecer o turismo, gerar emprego e renda, e valorizar a produção gaúcha de cervejas artesanais.

Atualmente, Caxias do Sul conta com 16 cervejarias artesanais, sendo considerada a terceira cidade com maior número de estabelecimentos desse setor do Brasil. O município encerrou 2018 com a fabricação média de 160 mil a 200 mil litros mensais da bebida, cuja diversidade de tipos já ultrapassa 193 rótulos, de acordo com a Associação dos Produtores de Cerveja da Serra Gaúcha (Aprocerva).

Meneguzzi acredita que o ato do protocolo do projeto é um passo importante para o desenvolvimento econômico desse setor na região e especificamente em Caxias. “Vamos trabalhar internamente, realizar um trabalho de fortalecimento com as cervejarias, os sindicatos e todos os órgãos, para criar e dar todas as condições para que isso aconteça na prática e não fique só no papel”, comenta.

Meneguzzi critica cortes na educação e reitera necessidade da mobilização dos estudantes

maio 14, 2019

Da tribuna, parlamentar também falou que prefeito, secretários e vereadores devem defender os investimentos para a educação pública

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) foi à tribuna da Câmara Municipal, na sessão desta terça-feira, 14 de maio, para criticar os cortes que o governo federal tem anunciou, nos investimentos relacionados à educação pública. Entretanto, reiterou a necessidade da mobilização dos estudantes, que devem fazer repercutir nas redes sociais e também em ações do dia a dia o seu descontentamento com a medida.

Além disso, Meneguzzi teceu críticas à postura do Executivo municipal, que não tem demonstrado preocupação diante do anúncio do governo Jair Bolsonaro (PSL), de cortar 30% do orçamento do Ministério da Educação. Ele ainda comentou que essas ações impopulares praticadas pelos políticos são aprendizados para a sociedade. “Nós temos que observar quais são as linhas oferecidas pelos candidatos quando eles se candidatam, quando eles colocam seus nomes”, salientou.

Da tribuna, ele ainda esclareceu que os boatos de que a prefeitura quer reduzir a estrutura da Secretaria do Esporte e Lazer, fazendo com que ela se torne um departamento da Secretaria Municipal da Educação passa por uma decisão política. Meneguzzi criticou, contudo, o modelo de economia que o Executivo tem feito, o que leva a interromper diversos projetos para crianças, jovens e idosos. “Têm os secretários municipais que vêm em reuniões aqui na Câmara e dizem: nós temos que 19 milhões de recursos em caixas. Como é que o senhor economizou? Economizei no Fiesporte. O Fiesporte tem sido moeda de troca desse governo. Eles dizem que diminuir o Fiesporte é economizar. É o Financiarte, o Fiesporte, enfim, isso para esse governo é economia”, apontou.

Ao final, fez mais uma crítica aos políticos que se dizem da “nova política”. De acordo com Meneguzzi, quem se diz gestor, na maioria das vezes, prejudicam a economia, o presente e o futuro da população. “Todos esses políticos que entraram com a ideia de gestor estão acabando com o esporte, com a cultura e estão acabando com a educação e eles se dizem gestores e muitos de nós aplaudimos eles. Esses são os caras novos. Então isso que sirva de aprendizado para todos nós, que a gente pense quais são os programas políticos e esses candidatos”, concluiu.