Alberto Meneguzzi critica publicações do prefeito em redes sociais

julho 31, 2019

O vereador citou um caso específico em que Daniel Guerra afirmou economia de gastos do poder Executivo em publicidade

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) ocupou a tribuna na sessão desta quarta-feira, 31 de julho, e falou sobre as declarações do prefeito Daniel Guerra, em redes sociais. Como jornalista, o parlamentar destacou que os veículos não são perfeitos e que também erram, mas disse que quem sistematicamente ataca os profissionais de comunicação está atacando o estado de direito e se torna um álibi dos omissos.

O parlamentar destacou uma publicação do prefeito em uma rede social, em que afirma ter economizado verba em publicidade e investido em saúde e educação. O vereador Elói Frizzo (PSB) complementou que a postagem se deu após a apresentação do projeto de lei que regula a publicidade, por arte do poder Executivo.

Meneguzzi cobrou que o prefeito também publicasse nas redes sociais, onde foram investidos os valores economizados pelo Executivo. Ele ainda lamentou que um prefeito eleito de forma democrática e legítima agisse de maneira tão autoritária no trato com a população. Na ótica do socialista, a maneira mais prática de prestar contas para os caxienses é simplesmente atender a imprensa e não proibir as pessoas de fazer perguntas.

Repudiando o ataque frequente, Meneguzzi afirmou que isso é característica de um ditador. Para o vereador, a eleição de 2016 foi plebiscitária, sendo que as pessoas votaram pela mudança, sem ter consciência do candidato que estavam elegendo. Meneguzzi disse que o prefeito precisa sair da campanha eleitoral e colocar em prática o que prometeu.

O socialista ainda falou sobre um pedido de informações sobre o edital que envolve o serviço de acolhimento em família e o programa de apadrinhamento. Para ele, a diferença entre a entidade que venceu a licitação e a que ficou em segundo lugar foi muito pequena. Ele ainda destacou que um dos membros da entidade vencedora tem ligação familiar com Daniel Guerra.

Meneguzzi sugere que comissões do Legislativo façam vistoria no Complexo Dal Bó, após a detecção da morte de peixes

julho 30, 2019

Parlamentar ainda indicou que Comissão de Agricultura promova encontro sobre a nova lista de agrotóxicos permitidos pelo Governo Federal

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) protocolou, na tarde desta terça-feira, 30 de julho, sugestões às comissões de Saúde e Meio Ambiente e de Agricultura da Câmara, indicando que os parlamentares realizem visita às represas do Complexo Dal Bó, no bairro Nossa Senhora de Fátima. O objetivo, segundo ele, é verificar o fato da mortandade de centenas de peixes nesta semana, nas proximidades do Jardim Botânico.

Em outro documento, Meneguzzi sugere que a Comissão de Agricultura promova uma reunião ou audiência pública para tratarul realize encontros e/ou audiências públicas para tratar sobre a influência direta dos agrotóxicos na saúde dos caxienses. A intenção do encontro seria sanar dúvidas a partir da nova lista, com o acréscimo de outros 51 defensivos agrícolas aprovados pelo Governo Federal.

Para Meneguzzi, a função do vereador é justamente fiscalizar e propor caminhos, sugerir ações. Ele entende que, apesar da comprovação de que a água dos caxienses não está contaminada, é importante que haja o cuidado e se redobre a atenção com o solo e os lençóis freáticos.

Meneguzzi repudia críticas do prefeito Guerra à imprensa caxiense

julho 30, 2019

Para o vereador, chefe do Executivo não sabe dialogar e coloca a culpa desses problemas de comunicação nas costas dos profissionais e veículos

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) repudiou, nesta terça-feira, 30 de julho, as ofensas do prefeito Daniel Guerra (PRB) aos veículos de imprensa. Segundo o parlamentar, o chefe do Executivo não sabe dialogar a coloca a culpa dassas falhas de comunicação nas costas dos profissionais e veículos. Em suas redes sociais, Guerra publicou que sua gestão economizou mais de R$ 4 milhões não fazendo propaganda de seu governo em veículos de imprensa. Entretanto, não consegue explicar onde, de fato, este dinheiro poupado foi investido nas áreas de saúde de educação.

Não é a primeira vez que Guerra vai às redes sociais falar mal da imprensa. Em outras duas ocasiões, o prefeito se manifestou negativamente em relação à comunicação, sendo uma delas o compartilhamento do link de uma notícia falsa. “Ele ofende, de forma frequente, a todos profissionais locais quando diz que a imprensa não trabalha de forma séria. Ofende, inclusive, os jornalistas capacitados que trabalham com ele”, aponta Meneguzzi.

Meneguzzi, que é jornalista, relações públicas e trabalhou por décadas em emissoras de rádio da Serra Gaúcha, recorda que a imprensa não é perfeita, tem também seus erros e suas falhas. No entanto, segundo ele, quando os veículos de comunicação são atacados sistematicamente por quem governa, é um sinal de perigo. “O ataque sistemático à imprensa, é um álibi dos omissos. Uma imprensa livre é garantia do estado de direito”, explica.

Para Meneguzzi. o prefeito deveria usar o seu tempo para se comunicar melhor com a população, através dos próprios veículos de comunicação que Caxias do Sul possui. Segundo ele, se não o faz, se não atende pedidos de entrevistas, é por medo de perguntas e de questionamentos. “Uma lástima que tenhamos de um prefeito, eleito legitimamente pelo povo, através do voto e da democracia, uma postura autoritária e antidemocrática”, conclui.

Projeto de lei de Meneguzzi para a criação da Agência Municipal de Empregos será discutido nesta semana

julho 29, 2019

Proposta recebeu parecer favorável das comissões de Direitos Humanos e Desenvolvimento Econômico, que avaliaram o mérito

O projeto de lei 120/2017, de autoria do vereador Alberto Meneguzzi (PSB), que autoriza a criação da Agência Municipal de Empregos (AME), será discutido e votado nesta semana. Durante a sessão ordinária desta terça-feira, 30 de julho, acontece a primeira discussão e a expectativa é que ele seja aprovado na próxima quinta-feira, 1º de agosto. A proposta recebeu parecer favorável das comissões de Direitos Humanos e de Desenvolvimento Econômico, que avaliaram o mérito.

No projeto, Meneguzzi explica que a AME funcionaria conveniada à Secretaria do Trabalho e Previdência – extinto Ministério do Trabalho – e permitiria a captação de vagas formais e de estágios junto às empresas sediadas em Caxias do Sul, bem como o cadastramento de currículos, formação básica e encaminhamento aos postos de trabalho. A administração, segundo a proposição, seria da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego (SDETE).

A intenção de Meneguzzi é que o projeto seja a base de um grande debate sobre a atuação da SDETE.

Meneguzzi participa da entrega Medalha Agricultor Destaque 2019

julho 26, 2019

Pela primeira vez o Legislativo homenageou duas mulheres, Marta Bolson Camelo e Cristiane Salete Andreazza

Em sessão solene, realizada na noite da última quinta-feira, 25 de julho, o Legislativo caxiense entregou a Medalha Agricultor Destaque 2019. Pela primeira vez, a honraria foi entregue a duas mulheres, as homenageadas foram Marta Bolson Camelo e Cristiane Salete Andreazza. A escolha dos nomes se deu pelo requerimento 92/2019, de autoria da Mesa Diretora, aprovado por unanimidade pelos vereadores. Integrante da Comissão de Agricultura da Câmara, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) participou do evento.

Marta é empresária e comanda a agroindústria Bolson e Camêlo junto com a família. “A escolha do meu nome e da Cristiane é muito representativo em respeito à todas as mulheres da agricultura, que muitas vezes tem dupla ou tripla função”, afirmou a empresária.

Cristiane é formada Engenheira Agrônoma pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e hoje atua na empresa da família, a Frutazza. “Ser agricultor hoje já é uma função um pouco diferente do que no passado, não basta dizer apenas que você usa uma enxada todos os dias e faz calo nas mãos com o cabo desta enxada. É preciso estudo, planejamento do que se vai fazer, empenho para fazer o que deseja”, destacou a engenheira.

A criação do prêmio coube aos ex-vereadores Geni Peteffi e Marcos Daneluz, a partir dos decretos legislativos 207-A/2007 e 230-A/2008.

Meneguzzi recebe presidente da Microempa para dialogar sobre políticas de empreendedorismo

julho 26, 2019

Parlamentar e liderança do setor empresarial conversaram sobre propostas para o desenvolvimento da economia local a partir das micro e pequenas empresas

O vereador Alberto Meneguzzi (PSB) recebeu, na manhã desta sexta-feira, 26 de julho, a presidente da Associação das Empresas de Pequeno Porte da Região Nordeste do RS (Microempa), Luiz Colombo Dutra. Na oportunidade, o parlamentar a cumprimentou pelo trabalho desenvolvido à frente da entidade e ambos dialogaram sobre as políticas de empreendedorismo. Entre as pautas esteve a desburocratização da liberação de licenças e documentos, bem como propostas para o desenvolvimento da economia local  a partir das micro e pequenas empresas.

Para Meneguzzi esses encontros são importantes para o fortalecimento do diálogo entre o poder público e a iniciativa privada. “Temos procurado ajudar, intermediar, sugerir caminhos. Nosso mandato está de portas abertas para construir propostas que visem o bem comum e o desenvolvimento de Caxias”, salienta.

Vereadores aprovam pedido de informações de Meneguzzi sobre antigo prédio do INSS

julho 25, 2019

Executivo terá que prestar contas acerca do destino do empreendimento

Informações acerca do antigo prédio do INSS, são o objetivo do vereador Alberto Meneguzzi (PSB), no requerimento nº 107/2019, aprovado na sessão desta quinta-feira, 25 de julho. O socialista quer saber, ao longo de cinco questionamentos, detalhes sobre o que foi feito com o prédio no período de 2017 a 2019 e o que o município tem feito em relação à preservação e segurança do imóvel. Ele também questiona se já existe um plano de ocupação do espaço, entre outras questões.

Localizado na Rua Pinheiro Machado, no Bairro Cinquentenário, em Caxias do Sul, o local está desocupado desde 2011, quando encerrou o contrato entre o município e União, então proprietária do imóvel. Na sessão da última terça-feira, 24 de julho, o abandono do prédio foi alvo de críticas do vereador Renato Oliveira (PCdoB). Com a aprovação do pedido de informações, de acordo com a Lei Orgânica Municipal, o Executivo tem 30 dias para responder aos questionamentos.

“Esse é o tipo de empresa que queremos na administração da UPA Central?”, questiona Meneguzzi

julho 24, 2019

Na tribuna da Câmara, vereador falou sobre autos de infração do IGH e afirmou que aproximadamente meio bilhão de reais do orçamento de Caxias é destinado à saúde

Na sessão ordinária desta quarta-feira, 24 de julho, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) abordou a situação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Norte, administrada pelo Instituto de Gestão de Humanização (IGH). O parlamentar falou sobre a solicitação feita ao Ministério Público (MP), pedindo os relatórios das fiscalizações realizadas no espaço.

O vereador afirmou que a solicitação foi baseada na Lei de Acesso à Informação. O documento recebido, com relatórios das fiscalizações feitas em 2017 e 2018, relata 23 autos de infração. Sendo que algumas descumprem, inclusive, o edital do poder Executivo.

Meneguzzi citou algumas das infrações, entre elas, que a empresa deixou de conceder descanso de 11 horas entre uma jornada e outra, também não concedeu 24 horas de descanso remunerado após seis dias de trabalho. Além disso, ainda admitiu ou manteve empregados sem registro em livro, ficha ou sistema eletrônico. Ele afirmou que o poder Executivo está admitindo e aceitando questões ilegais. Ainda destacou que os vereadores sempre alertaram que esta empresa já teve problemas parecidos em outros municípios.

O parlamentar ainda falou que são destinados 2,2 milhões de reais por mês para o IGH. Para Meneguzzi, a empresa diz-se de humanização, mas não trata as pessoas de forma humana. Segundo ele, o instituto descumpre o contrato com a prefeitura e suas obrigações trabalhistas.

Ministério do Trabalho já lavrou ao menos 23 autos de infrações contra o IGH, aponta levantamento de Meneguzzi

julho 23, 2019

Parlamentar enviou requerimento ao órgão federal baseado na Lei de Acesso à Informação

Desde setembro de 2017, quando foi inaugurada a UPA Zona Norte, o Instituto de Gestão de Humanização teve ao menos 23 autos de infração à legislação trabalhista, lavrados pelo então Ministério do Trabalho, atual Secretaria do Trabalho e Previdência Social, aponta o levantamento do vereador Alberto Meneguzzi (PSB). O parlamentar enviou pedido ao órgão federal, para que remetesse cópia de todos os documentos, baseado na Lei de Acesso à Informação.

Em 2017, além dos problemas com a falta de registros dos funcionários e dos exames de admissão, o IGH foi penalizado por não conceder o período mínimo de 11 horas de descanso entre jornadas de trabalho, bem como a falta do descanso semanal remunerado e exceder o limite de duas horas extras diárias. Também houve autuação por não fornecimento do vale-transporte. Naquele ato, foram lavrados três autos de infração em virtude da falta de contrato e de assinatura da Carteira de Trabalho dos profissionais médicos da Unidade.

Já no mês de agosto de 2018, além da repetição de algumas das mesmas situações apontadas anteriormente, houve autuação pela falta do controle de entrega dos equipamentos individuais de proteção, bem como pela ausência da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). O IGH também cometeu infração por não conceder intervalo para repouso ou alimentação dos funcionários. Outras infrações, como a ausência do Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes (PPRA), com materiais perfurocortantes, e a falta da entrega de documentos após o desligamento de servidores, receberam punição.

Para Meneguzzi, a falta de cuidado para com os funcionários e as infrações à legislação trabalhista configuram descumprimento de contrato com o município, uma vez que problemas funcionais como estes influenciam diretamente na saúde do trabalhador e no atendimento à comunidade. “Sabemos que existe mais uma fiscalização sendo realizada na UPA Zona Norte, também provocada pelas diversas denúncias que eu e ex-funcionários também apresentamos ao Ministério do Trabalho. Queremos que o IGH trate bem seus funcionários e atenda bem os caxienses. São muitas as denúncias de mau atendimento e falta de insumos”, salienta.

Alberto Meneguzzi critica postura de secretários municipais

julho 23, 2019

Vereador ainda falou sobre projeto de lei anticorrupção, protocolado no Legislativo caxiense

Na sessão ordinária desta terça-feira, 23 de julho, o vereador Alberto Meneguzzi (PSB) falou sobre o projeto de lei 87/2019, protocolado na Câmara Municipal de Caxias do Sul. O documento prevê dar transparência a processos licitatórios e inibir ações de corrupção. Segundo ele, o dispositivo já se ampara na legislação federal anticorrupção e possibilita a criação dos chamados planos de integridade, aos quais aderem empresas e organizações inscritas em certames com o poder público.

Meneguzzi ainda afirmou que o decreto anticorrupção apresentado pelo Executivo é tímido. Para ele, o Controle Interno deve ter total autonomia para fazer seu trabalho de forma idônea, sendo que o decreto não dá essa autonomia. Além disso, o parlamentar citou que o documento contém erros de digitação e parágrafos fora de ordem, tornando-se de difícil compreensão.

O vereador falou ainda sobre a postura de alguns secretários do Governo municipal. Citando uma reportagem da Tua Rádio São Francisco, Meneguzzi disse que Alguns nomes do governo guerra adotaram a medida de receber as perguntas antes de prestar entrevista à imprensa. O parlamentar, que é jornalista, disse que esse procedimento é tido como brincadeira, motivo de piada entre os profissionais de comunicação.

Como comunicador, Meneguzzi afirmou que a fonte não tem obrigação de responder, mas como pessoas públicas, os secretários deveriam, pelo menos, expor os motivos de não falar. Ele ainda disse que de 17 contatos feitos pela emissora de rádio, apenas dois foram atendidos.

Segundo o vereador, o telefone funcional é pago pelo povo e deve ser utilizado para atender a população. Para ele, ignorar a população e a imprensa é uma vergonha.